sexta-feira, 29 de abril de 2016

Senac São Bernardo promove "Encontro com Locutores" com Nilson César

Em maio, o Senac São Bernardo do Campo será palco de um encontro entre profissionais do mercado de locução. O evento discutirá as possibilidades de atuação, exigências e diferenciais de cada perfil profissional. Intitulado Encontro com Locutores, o evento ocorre entre os dias 9 e 12, é gratuito e tem vagas limitadas.

“O Encontro com Locutores é uma ótima oportunidade para o público ter contato com o renomado locutor esportivo Nilson César, além de participar de oficinas gratuitas promovidas com docentes da instituição”, afirma Camila Fernanda Sartori Finardi, coordenadora da área de comunicação e artes do Senac São Bernardo do Campo. 

Nilson César, locutor esportivo titular da Jovem Pan, é uma das atrações confirmadas | Foto: reprodução
No dia 9, a oficina Saúde e experimentação vocal dá início à programação especial, abordando os mitos e verdades, cuidados, curiosidades e dicas sobre o uso da voz. 

Já no dia 10, à tarde, é a vez de se divertir sendo ator, narrador ou sonoplasta de uma narrativa sonora da era de ouro do rádio durante a oficina de Radionovela. À noite, os participantes também vão conhecer o ambiente da locução radiofônica experimentando alguns estilos, com dicas de interpretação e recursos vocais durante a oficina Locutor por um dia.

No dia 12, Nilson César, locutor esportivo e narrador titular da equipe da Rádio Jovem Pan de São Paulo, comandará a atividade A Prática da Locução em Eventos Esportivos e simulará algumas transmissões esportivas.

Os interessados em participar do evento podem se inscrever por meio do Portal Senac, em www.sp.senac.br/encontrocomlocutores ou pelo telefone 4336-7900.



Pólo Bilingue de Português e Libras é lançado em Santo André

Um complexo educacional onde a Língua Brasileira de Sinais (Libras) flui naturalmente, ao lado da Língua Portuguesa, entre alunos ouvintes, professores, pais, funcionários e estudantes com surdez. Essa é a principal missão do Pólo Bilingue – Português e Libras, inaugurado oficialmente na tarde de ontem (28), em cerimônia realizada na Emeief (Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) Nicolau Moraes Barros, na Vila Pires.  

A Emeief é uma das unidades que, juntamente com a creche Yone Cintra de Souza e o Centro Público de Formação Profissional Valdemar Matei, formam o complexo  que vai atender os 25 alunos surdos da rede municipal de ensino, juntamente com os 1,3 mil alunos que estudam nas três unidades juntas. 

“Esse projeto faz a diferença não só para  as nossas crianças,  mas para os adultos também, pois traz dignidade para os estudantes, quebra barreiras de preconceito e abre oportunidades para todos. Além disso, é maravilhoso vê-los conversando animadamente, felizes, usando a Língua de Sinais”, disse a vice-prefeita Oswana Fameli.

Local foi inaugurado na tarde de ontem (28) | Foto: Julio Bastos/PSA
O atendimento para os alunos surdos no Pólo conta com a presença de um intérprete de Libras em tempo integral em sala de aula.  Além disso, os estudantes vão permanecer três horas a mais diariamente na escola, em atividades na sala de recursos multifuncional, onde eles vão aprofundar o estudo da Libras com um instrutor nativo, ou seja, que nasceu surdo, e também o conhecimento  da Língua Portuguesa escrita. 

“Para que o aprendizado aconteça realmente e com qualidade, os alunos precisam dominar as duas linguagens. Estamos investindo nisso, para que esse aluno possa se desenvolver plenamente e avançar nos estudos e na vida”, disse o secretário de Educação Gilmar Silvério. A iniciativa, segundo Silvério, atende a legislação que preconiza o atendimento educacional aos deficientes, e ao Plano Municipal de Educação, que também aborda esta questão.

 “Estou muito feliz por ter a minha filha estudando aqui. Ela está evoluindo muito. Está mais esperta e ficou mais independente”, conta Elaine Aparecida Ramos Paulino, de 44 anos, mãe de Beatriz , de 2 anos. Ela tem dois filhos adultos e ouvintes e conta que foi difícil no começo, mas agora está mais tranquila. “Estou aprendendo Libras também. É um pouco complicado, mas vou em frente. Quero muito saber conversar com ela”, completou.



ABC realiza novo ato contra a dengue

A terceira mobilização de 2016 para o combate ao mosquito da dengue, “Grande ABC contra o Aedes”, acontece no primeiro sábado de maio (7), na região de divisa entre as cidades de São Bernardo do Campo, Diadema e São Paulo. A concentração será no cruzamento da Avenida Almiro Senna Ramos com a Rua Polônia, em frente ao Supermercado Extra, em Diadema, próximo à Avenida do Taboão, na divisa com São Bernardo.

Iniciativa do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, por meio do Grupo de Trabalho (GT) Saúde, a Campanha Regional de Combate ao Mosquito da Dengue integra as sete cidades da região e tem como objetivo orientar a população sobre a identificação e eliminação dos criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya.

Objetivo da ação é orientar a população sobre a eliminação dos criadouros do mosquito | Foto: Diego Barros/PSA
O novo ato deve fechar as ações regionais de mutirão de combate à dengue e contará com tendas de atendimento à população, amostras de larvas e do mosquito adulto, maquetes, materiais educativos, teatro de fantoches e personagens fantasiados, por parte dos municípios envolvidos. 

De acordo com o coordenador do GT Saúde e secretário de Saúde de Santo André, Homero Nepomuceno Duarte, “a avaliação dos mutirões deve permitir o monitoramento futuro da dengue na região”. 

Os agentes da Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo irão integrar as equipes de mutirão e conscientização, durante o evento. A Superintendência de Controle de Endemias (Sucen), da Secretaria de Saúde do Governo do Estado de São Paulo, confirmou presença no auxílio às equipes.



Juiz considera improcedente ação de Ainda Ravin

Vivian Silva e Vitor Lima

Nesta última quarta-feira (27), o ex-prefeito de Santo André Aidan Ravin (PSB) perdeu a ação movida contra o prefeito Carlos Grana (PT), na qual ele acusava o chefe do Executivo de contratar empresa de telemarketing para realizar ligações, durante a madrugada, solicitando votos nas vésperas das Eleições de 2012. A ação teria contribuído para a derrota de Aidan nas urnas. 

Juiz Eleitoral julgou que acusações contra Carlos Grana não procedem | Foto: arquivo
De acordo com informações sobre a sentença publicadas no portal do Tribunal Superior Eleitoral, as acusações não foram provadas. “Diante do exposto, julgo improcedente a representação apresentada por Aidan Antonio Ravin e Partido Trabalhista Brasileiro - PTB de Santo André contra Carlos Alberto Grana e Oswana Maria Fernandes Fameli”. 

Por meio da fanpage, Grana comemora o resultado da sentença. “Após nova colheita de provas e do exame meticuloso das 3.989 páginas dos autos de 21 volumes, o Juiz Eleitoral da 156ª Zona Eleitoral de Santo André afirmou na sentença que inexistem provas que confirmem as acusações de Aidan Ravin, não justificando desse modo, a cassação do meu mandato e inelegibilidade por oito anos”, afirma. Até o fechamento desta matéria, o ex-prefeito não foi localizado para comentar a decisão.



quarta-feira, 27 de abril de 2016

Especialista dá dicas para conseguir um novo emprego

Com o aumento do desemprego, o psicólogo e professor da Faculdade Santa Marcelina (FASM), Breno Rosostolato, indica ao profissional investir continuamente na carreira, para “driblar a crise” e reverter à situação. Ele ressalta ainda que algumas habilidades como desenvoltura, facilidade para se expressar, capacidade para trabalhar em equipe e empatia, são observadas no processo de seleção. 

O networking é grande aliado na relocação profissional | Foto: Reprodução 
“Durante a entrevista é necessário recapitular as situações mais importantes da vida profissional, demonstrando os feitos e os bons resultados obtidos na carreira. Caso o candidato não tenha experiência profissional, é muito importante que cite situações vivenciadas na faculdade, viagens, intercâmbio e cursos, além de mencionar experiências que possam ressaltar suas aptidões. É necessário ser positivo e otimista nas falas”, explica Rosostolato. 

Segundo o especialista, para que o candidato tenha sucesso ao participar de uma dinâmica (processo seletivo interativo e em grupo), o ideal é que ele seja natural,  participativo e que escute o que os outros concorrentes dizem e sugerem, a fim de melhorar a sua participação e evitar cometer erros e deslizes.

O psicólogo também destaca que os cursos voltados à formação acadêmica, de atualização e idiomas, assim como estabelecer conexões por meio de uma rede ativa de relacionamentos - o famoso networking - sempre são úteis na hora da relocação profissional. E dependendo da profissão pretendida, existem diversas ferramentas como a contratação de um headhunter, que possa auxiliar no retorno ao mercado de trabalho, um mentoring ou coaching e a possibilidade de procurar órgãos como a Central de Trabalho e Renda da CUT (Central Única dos Trabalhadores) e, claro, os tradicionais sites de empregos. 

Dois aspectos são também  importantes na busca de um  novo emprego: a escolha adequada do traje usado durante as entrevistas e o conteúdo postado nas redes sociais, pois o candidato sempre é avaliado, reitera Rosostolato.



segunda-feira, 25 de abril de 2016

Abertura e fechamento de contas bancárias podem ser feitos pela internet

Os clientes bancários agora podem abrir ou fechar contas bancárias, como conta-corrente e de poupança, usando a internet. O Conselho Monetário Nacional (CMN) regulamentou as regras para abertura e fechamento de contas de depósitos por meio eletrônicos hoje (25). 

Segundo o Banco Central (BC), os bancos terão que adotar procedimentos e controles que permitam confirmar a autenticidade dos documentos eletrônicos e podem usar tecnologias como contato por vídeo, de reconhecimento de voz e assinaturas com certificação eletrônica.

Regras foram regulamentadas pelo CMN hoje (25) | Foto: reprodução
As regras já estão valendo. A chefe do departamento de Regulação do Sistema Financeiro do BC, Silvia Marques, revelou que o objetivo é “permitir que haja facilidade maior para abertura e encerramento de contas e incorpore nesse processo toda a inovação tecnológica”. 

As mesmas regras das contas convencionais são válidas para as abertas por meio eletrônico, como as relativas à situação cadastral, tarifas, prevenção à lavagem de dinheiro e ao financiamento ao terrorismo.

Clientes de outros bancos devem ser atendidos

O CMN também aprovou resolução que proíbe a recusa de atendimento em caixas convencionais de clientes de outro banco. Ou seja, se um cliente de um banco for a um caixa pagar um boleto, por exemplo, em outra instituição financeira, terá que ser atendido. A exceção é para os casos de pagamento de cheques, boletos vencidos e convênios que preveem o pagamento específico em um banco. Segundo Silvia Marques, a resolução que esclarece as regras é resultado de reclamações de clientes que não foram atendidos no caixa.



Colégio Singular promove feira de adoção de animais

Neste sábado (30), a partir das 10 horas, o Colégio Singular, por meio da Equipe Singulariana de Proteção Animal (ESPA), promove a 5ª edição da Feira de Adoção Especial de Animais na unidade Santo André da escola (Rua Álvares de Azevedo, 222, Centro), com entrada gratuita. 
Feira ocorre no próprio Colégio Singular, em Santo André | Foto: Divulgação 
Para adotar é necessário ser maior de 18 anos, ter a concordância de toda a família e levar comprovante de endereço. Os interessados também receberão informações sobre guarda responsável. 

A ESPA é um projeto educacional inserido na programação pedagógica da escola, com o objetivo de ensinar aos alunos a importância da guarda responsável, com abordagens diferenciadas de acordo com a faixa etária.


O primeiro acordo climático global da história

Por Reinaldo Dias, professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Doutor em Ciências Sociais e Mestre em Ciência Política pela Unicamp, além de se especialistar em Ciências Ambientais.

O dia 22 de abril, dia da Terra, foi designado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2009 como forma de reconhecer a responsabilidade de toda humanidade em promover a harmonia com a natureza e o planeta Terra, com o objetivo de alcançar um equilíbrio justo entre as necessidades econômicas, sociais e ambientais das atuais e das futuras gerações.

Pois foi esse dia, carregado de simbolismo, que foi destinado para a assinatura do acordo climático alcançado em Paris durante a COP-21 com a participação de 195 países. Com comparecimento recorde de 165 países o evento de formalização das assinaturas foi um sucesso sem precedentes demonstrando o interesse e preocupação dos países diante do agravamento do aquecimento global. 

Durante a semana do evento, a Agência Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA) divulgou relatório indicando que o mês de março deste ano foi o mais quente já registrado desde que se iniciaram as medições em 1880. Foi o 11º mês consecutivo em que se bate este recorde, revelando uma sequência inédita e preocupante, pois indicam que o processo de aquecimento global está se acelerando. Acrescente-se que 2015 foi o ano mais quente já registrado, superando o de 2014 que havia atingido esse recorde anteriormente. E, tudo indica que 2016 superará o ano anterior.

"O Brasil tem um importante papel nesse processo", comenta Dias | Foto: reprodução
O impacto causado pelas mudanças climáticas continua desestabilizando diversas formas de vida, ecossistemas e grandes regiões, como o Ártico e a Groenlândia. A desertificação e a seca têm provocado o deslocamento massivo de pessoas em todos continentes, causando epidemias e gerando conflitos pelo controle de recursos. As mudanças climáticas são parte integrante da agenda de política exterior de todos os países, pois afeta a segurança global no atual momento, e não num futuro distante. Assim, a ação coletiva universal passa a ser fundamental para conter a ameaça. 

Nesse sentido o Acordo climático para o qual foram colhidas assinaturas em número recorde, constitui uma ferramenta importante nessa ação coletiva, pois é um tratado legalmente vinculante que para ter força de lei deve ser ratificado pelos organismos legislativos de cada país. E somente quando se conseguir a adesão de 55 países, que representem pelo menos 55% do total das emissões de gases do efeito estufa (GEE) é que passará a vigorar substituindo o atual protocolo de Quioto em 2020.

O processo de ratificação pelos legislativos nacionais pode ser lento ou rápido e dependerá principalmente da mobilização obtida pelos diversos atores em suas respectivas sociedades. Todos devem realizar sua parte para que se alcance a vigência do acordo o quanto antes. Além dos atores estatais devem participar ativamente organizações não governamentais, empresas, cidades entre outros num esforço coletivo de implementação, que em sua fase inicial deve ter como foco a pressão sobre os legislativos nacionais para sua ratificação.

Ato contínuo, cada país tem a responsabilidade de desenvolver políticas de incentivo a práticas que reduzam a emissões de GEE contribuindo decisivamente para que se abra uma perspectiva de se alcançar um mundo sem a utilização dos combustíveis fósseis.

O Brasil tem um importante papel nesse processo, não só pelas suas dimensões continentais, sua população, mas principalmente pelos recursos que possui e que podem vir a substituir a utilização dos combustíveis fósseis num prazo relativamente curto pois tem condições para utilização de diversas fontes de energia: eólica, solar, bioenergia entre outras numa matriz diversificada que não nos torna dependentes de um só recurso como ocorre atualmente em relação aos combustíveis fósseis e a dependência em relação à energia obtida das hidrelétricas. 

Ao mesmo tempo se deve combater as propostas que estão sendo veiculadas de intensificação da utilização de carvão em usinas termelétricas com o argumento de custo baixo, ou da utilização do “fracking”, fracionamento das rochas de xisto betuminoso para obtenção de gás e petróleo com a utilização de água e produtos químicos. Alternativas que são incompatíveis com o Acordo Global que assinamos e certamente ratificaremos.



Infectologista fala sobre H1N1 e explica como evitar a contaminação pelo vírus

O H1N1 chegou mais cedo e mais forte neste ano. A doença que é comum no inverno já atinge a população dos grandes centros urbanos e é responsável por 42 mortes no estado de São Paulo. A infectologista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Andreia Maruzo Perejão, explica como se prevenir do vírus que está causando um surto na cidade, quais as formas de tratamento e prevenção. 

Segundo a médica a gripe desenvolvida pelo H1N1 possui sintomas parecidos com a gripe comum. “Seus principais sintomas são a febre de início súbito a 39°, calafrios, mal estar, cefaléia, dores musculares, tosse, dor de garganta e rinorréia, mais conhecida como corrimento nasal”.  De acordo com a especialista em alguns casos podem ocorrer outros sintomas, “falta de ar, por exemplo, pode indicar um quadro mais grave da doença”.

A gripe suína como é conhecida é uma variação da influenza A, que também causa a gripe comum, e só é diagnosticado através do exame de coleta de secreção respiratória. Para a infectologista do Hospital e Maternidade São Cristóvão o vírus esta mais forte. “O H1N1 esta se tornando mais agressivo com o passar do tempo, quando consideramos o quadro clínico e a  gravidade dos sintomas e sua alta transmissibilidade”, afirma.

Idosos, crianças, gestantes e pessoas com algumas doenças crônicas, como o diabetes e doenças imunossupressoras, que reduzem o sistema imunológico, possuem um risco maior de ter complicações devido à gripe, explica Andreia. “A principal forma de prevenção é a vacinação, que pode ser feita a partir de seis meses de idade, porém tomar algumas medidas básicas de higiene no dia a dia podem ajudar a evitar o contágio do vírus, como lavar as mãos frequentemente, uso de álcool gel, evitar permanecer em ambientes fechados e não ventilados, usar lenços quando espirrar ou tossir, evitar compartilhar objetos pessoais como toalhas, talheres pratos e copos e evitar tocar algumas regiões do corpo como olhos, nariz e a boca”. 

“O tratamento do H1N1 é feito com a ministração de antiviral com principio ativo oseltamivir”, lembra a infectologista. Segundo o Ministério da Saúde a recomendação caso seja diagnosticado com o vírus, é evitar sair de casa no período de contaminação da doença  durante os sete primeiros dias, e buscar o serviço de saúde imediatamente caso apresente algum dos sintomas. 

Confira as principais diferenças entre a gripe comum e a influenza A (H1N1):





sexta-feira, 22 de abril de 2016

Santo André tem novo aplicativo sobre o transporte público

A Prefeitura de Santo André, por meio da SATrans - empresa pública que administra o transporte  municipal - lança um novo aplicativo, o Moovit, batizado informalmente de “Waze dos ônibus”. Instalado no smartphone, a ferramenta permite realizar cálculo de rotas, além de disponibilizar opções que permitem aos usuários informar atrasos, se o veículo não parou no ponto, limpeza dos coletivos, entre outros incidentes. 
Moovit permite ao usuário dos ônibus municipais traçar rotas | Foto: Divulgação
Segundo o diretor da SATrans, Fábio de Jesus Leite, o Moovit traz todas as linhas, ruas e paradas da cidade. “O trabalho executado permitirá ao usuário traçar rotas confiáveis e seguras”, afirma. Em Santo André são 51 linhas de ônibus e 1.810 pontos de parada mapeados no novo aplicativo. 

Além do Moovit, os andreenses já utilizam o Cittamobi, que possui menos funcionalidades, por exemplo, neste aplicativo não é possível traçar rotas. 

O Moovit está disponível em mais de 800 cidades, em 60 países e possui mais de 30 milhões de usuários no mundo. Somente no Brasil são mais de 10 milhões de usuários.



Aplicativo da Prefeitura de São Bernardo recebe prêmio internacional

O aplicativo de zeladoria urbana de São Bernardo do Campo, o VcSBC, recebeu na última terça-feira (19) em Washington, nos Estados Unidos, o Governarte 2015: Prêmio Eduardo Campos, premiação promovida pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e que  avalia experiências administrativas de órgãos públicos de toda a América Latina e Caribe. Na ocasião, o prefeito Luiz Marinho e o secretário de Administração, José Augusto Guarnieri Pereira, representaram o município. 

Pode de árvores pode ser solicitada via app, por exemplo| Foto: Nilso Sandre
Disponível para os moradores desde junto de 2015, o aplicativo para smartphones e tablets foi desenvolvido em parceria com Instituto TIM. A ferramenta possibilita a qualquer cidadão requisitar mais de 100 serviços da Prefeitura, como de varrição de vias, coleta de lixo, poda de árvores, manutenção de áreas verdes e reparos de buracos na rua. O sistema foi escolhido o melhor na categoria “Cidades e Big Data”.

Segundo o secretário de Coordenação Governamental e responsável pela Pasta de Serviços Urbanos Tarcisio Secoli, um dos gestores do VcSBC, o prêmio é a prova de que o investimento feito pela Prefeitura em tecnologia foi bem sucedido. “Estamos usando as ferramentas tecnológicas para fazer com que o munícipe possa informar em tempo real demandas de manutenção da cidade e contribuir, para a melhoria na qualidade de vida de todos”.



O que temer no governo de Michel?

Por Paulo Kliass, no site Carta Maior

O Brasil conseguiu a proeza de oferecer ao mundo as lamentáveis imagens de encerramento do primeiro round da tentativa do golpeachment, com o apoio essencial do réu Eduardo Cunha no comando do processo no interior da Câmara dos Deputados. A aceitação da denúncia ocorreu sem a apresentação de nenhuma prova contra a Presidenta da República que justificasse seu impedimento, uma vez que a Constituição prevê a existência de crime de responsabilidade no mandato em curso.

Na verdade, trata-se de uma ampla articulação golpista destinada a conduzir ao Palácio do Planalto aquele partido político que não conseguiria se eleger em eleições diretas, o PMDB. Mais do que isso, esse precedente criminoso de ruptura da ordem democrática abre o espaço político para o retorno do programa de governo que havia sido derrotado em outubro de 2014, sob a candidatura de Aécio Neves.

Ao que tudo indica, a partir de meados de maio o vice-presidente Michel Temer será obrigado a sair de seu exercício diário de contemplação em frente do espelho e se preparar para a difícil tarefa de governar o País por longos 180 dias. Tendo participado ativamente da conspiração para usurpar o poder da legítima mandatária, ele foi eleito na mesma chapa e assinou mais de um decreto autorizativo de natureza orçamentária, similar aos que estão na base da arguição de crime de responsabilidade contra Dilma. Porém, no entender de sua tropa de choque, em seu caso não cabe o impedimento.

Mas como se explica que tal processo tenha conseguido avançar tão rapidamente em sua tramitação nas instâncias de nossa democracia republicana? A verdade é que as classes dominantes nunca engoliram que o país fosse presidido por dirigentes políticos vinculados a causas populares. No passado, estão os desfechos de Getúlio e Jango. Por mais que os governos de Lula e Dilma fizessem de tudo para agradar nossas elites em termos de política econômica, políticas setoriais e de ocupação de cargos na administração pública, sempre permaneceu por parte da burguesia uma desconfiança e o desejo de ver instalado no poder um grupo de gente de maior confiança.

A construção de um consenso em torno da estratégia do golpe midiático-jurídico permitia sonhar com esse objetivo. Os excessos da Operação Lava Jato, os abusos cometidos pelo Juiz Moro, o massacre dos meios de comunicação, tudo parecia compor uma partitura orquestrada à perfeição. As etapas e os objetivos seriam depor Dilma, condenar Lula e finalmente realizar o sonho de reconquistar o conjunto da Esplanada de porteira fechada.

Bastaria apenas assistir a colocação de tal enredo em movimento para que se justificasse um enorme receio em relação ao governo que viesse a substituir o atual. No entanto, infelizmente, há muito mais o que recear em uma equipe montada pelo presidente do PMDB e seus articuladores do golpe. As declarações de voto dos deputados na noite de 17 de abril, os venenos destilados por figuras como Bolsonaro e os fundamentalistas radicais, as perspectivas de encerramento das investigações da Lava Jato, a possível anistia aos processos perpetrados contra o Presidente da Câmara dos Deputados, a composição política com o PSDB, enfim são inúmeros os riscos de retrocesso político embutidos no putsch.

Mas afinal o que temer de um governo comandado por Michel? Muita coisa! As possibilidades de implementação de maldades são grandes. Vejamos.

Antes de mais nada, é preciso relembrar das propostas contidas no documento chamado“Uma ponte para o futuro”, que foi divulgado ainda no ano passado pela Fundação Ulysses Guimarães, do PMDB. À frente da organização do material, mais um ex integrante dos governos Lula e Dilma, Welington Moreira Franco. Ele ocupou a vice presidência da CEF (2007-10), a Secretaria de Assuntos Estratégicos (2011-13) e a Secretaria de Aviação Civil (2013-15).

A agenda de malvadezas contidas naquilo que denunciei como uma verdadeira ponte para o passado se orienta pelo mais fiel pensamento conservador. O documento sugere a retomada do processo de privatização, orienta a desconstrução das conquistas em torno das políticas sociais, propõe a ruptura com as políticas de integração regional na América do Sul, identifica o Regime Geral de Previdência Social (RGPS) como o programa que maior comprometeria o sucesso de um ajuste fiscal rigoroso, aponta para a desvinculação das despesas constitucionais obrigatórias com saúde e educação, entre outras pérolas.

Os líderes golpistas não economizavam palavras para criticar a timidez do governo Dilma na condução da Reforma da Previdência Social e o documento do PMDB explicita a necessidade de promover a retirada de direitos previdenciários, bem como a eliminação das vinculações com o piso do salário mínimo no RGPS. Na verdade, nada muito diferente do que vinha sendo apregoado pelo ex Ministro Joaquim Levy e por Nelson Barbosa. A diferença é que talvez não haja políticos no novo núcleo duro do gabinete do golpe com sensibilidade para ouvir um pouco mais os reclamos do movimento sindical e demais setores da sociedade organizada.

O presidente do Banco Central sob os 2 mandatos de Lula também participa ativamente das articulações do novo governo. Cotado para ocupar algum cargo importante no comando da economia sob Temer, Henrique Meirelles já começa a operar com doses um pouco mais carregadas de pragmatismo. O ex-presidente internacional do Bank of Boston rompe com a crítica principista dos liberalóides da oposição tucana e já avisa que a situação exige uma postura realista.

Às favas com a demagogia do pato da FIESP! Apesar de toda a crítica oportunista dos representantes mór da sonegação empresarial, Meirelles alerta que será necessário elevar impostos. Ó santa heresia! Afinal o discurso da direita contra Dilma se baseava, entre outros aspectos, na crítica à chamada sanha arrecadatória. Com isso logrou barrar diversas tentativas, como a CPMF e outras iniciativas de tributação. Mas a fina flor do financismo acabará aceitando aquilo que condenaram durante anos como sendo a base fundamental do “bolivarianismo”. Quem sentar na cadeira de ministro, logo sentirá a responsabilidade de promover a tal da “austeridade fiscal” em tempos de recessão aberta, falências crescentes e desemprego crítico. Se insistir na tecla do superávit primário, a exemplo do que fizeram os governos do PT, o novo governo deverá promover ainda mais cortes nas áreas sociais e aumentar a arrecadação. Tarefa inglória.

Talvez consiga alguma folga na área da política monetária, pois o austericídio promovido por Levy e Barbosa reduziu tanto a atividade econômica que a própria inflação começou a ceder um pouco. Assim, não está descartada até mesmo uma redução na SELIC, encaminhada - vejam só! - por um governo da oposição conservadora. Triste ironia da história. Se engatar isso com alguma outra vantagem para o capital, o novo-velho governo poderá conseguir até mesmo uma reversão de expectativas de curto prazo. E com isso talvez obtenha uma mudança de tendência na rota recessiva.

Finalmente, é importante lembrar que estamos em ano eleitoral. Assim a proximidade com o pleito municipal em outubro próximo certamente atuará como colchão contra medidas extremas, na área da política econômica e das reformas sociais. É inegável que existem dificuldades para o PMDB e os demais partidos fisiológicos em patrocinar de forma ativa uma pauta de redução de direitos e de promoção de maiores cortes orçamentários. Este será um dos inúmeros dilemas com os quais se defrontarão os usurpadores. Como conciliar a tal da agenda da mudança - tão prometida e esperada pelas elites - com a necessidade de apontar para algum tipo de esperança para a maioria da população?

Enfim, apesar disso, o cenário pós consolidação do golpe no Senado é bastante preocupante. Por mais que a situação político-eleitoral recomende cautela, a sanha revanchista dos putschistas é de tamanha magnitude que não devemos nos surpreender com medidas anti-populares até mesmo antes de outubro. Basta lembrar que ali estão Aécio Neves, Aloysio Nunes Ferreira, José Serra, José Agripino, Tasso Jereissati, Marta Suplicy, Zezé Perrela e tantos outros. Tendo em vista a necessidade de se legitimar politicamente perante as elites do financismo, o vice-presidente conspirador muito provavelmente comandará uma agenda conservadora. Fala-se em reforma administrativa, para dar continuidade à inexplicável iniciativa de Dilma nessa toada. Enfim, a velha e conhecida sinalização do “menos Estado”, tão ao gosto das editorias dos jornalões e da TV privada.

A mobilização e o combate dos setores que se sentirem prejudicados por tal agenda não pode ser menosprezada. Afinal, espera-se que setores do movimento sindical, parcela das direções de entidades como UNE e UBES e demais organizações associativas deverão reaprender a fazer seu trabalho de base e de luta, rompendo com os anos seguidos de acomodação adesista. Porém, deverão superar a fragilidade do movimento desorganizado e enfrentar a institucionalidade repressiva do aparelho de Estado “sob nova direção”. E contar também com a ameaça representada pelo verdadeiro presente oferecido por Dilma às classes dominantes, sob a forma da lei antiterrorista, que pode ser utilizada para punir e desmobilizar o movimento.

Há muito o que temer em um governo de Michel. Afinal, trata-se de uma avenida aberta pela retirada ilegal de um governo legitimamente eleito. Daí para a promoção integral das perversidades de um programa retrógrado de inspiração neoliberal é apenas um pulo. O único caminho é a incorporação autocrítica dos equívocos cometidos ao longo desses 13 anos e a construção unitária da resistência.


quarta-feira, 20 de abril de 2016

Uma ameaça à internet ilimitada

Por Renato Leite Monteiro, professor de Direito Digital da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Recentemente, os maiores provedores de acesso à Internet do Brasil anunciaram que irão estabelecer franquias de dados aos novos contratos de Internet banda larga fixa, em moldes bem similares ao que já é feito com a Internet móvel. 

Com isso, os clientes passarão a contratar a velocidade de acesso e também a quantidade de dados que poderão consumir mensalmente. Em outras palavras, a era da Internet sem limites pode estar chegando ao fim. Práticas hoje corriqueiras como ver um filme no Netflix, escutar listas inteiras de música no Spotify, jogos online ou mesmo ver vídeos no Youtube podem se tornar cada vez mais raras.


A Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL afirma que as mudanças atingirão poucos clientes, apenas os chamados heavy users, os que normalmente consomem grandes quantidades de dados. Segundo a organização, a maioria dos usuários não sofreria impactos significativos, pois haverá planos mensais condizentes com suas características de navegação e poder aquisitivo. 

Como apontado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor - IDEC, essa análise não leva em considerações os estabelecimentos comerciais de pequeno porte que hoje oferecem acesso grátis à Internet como uma comodidade para os seus clientes. Talvez eles tenham que cessar essa facilidade. 

E, ainda, o fato de que a maioria das funcionalidades que utilizamos hoje estão na nuvem e que praticamente nenhum serviço ou informação é armazenada somente no equipamento; quase todos os backups hoje são feitos online. 

Em tese, desde que haja plena transparência para com o consumidor, não haveria impedimentos legais para oferecer tal modelo. Mas diversos juristas interpretam a situação de forma distinta, apontando ressalvas que devem ser levadas em consideração além da mera relação contratual privada com o consumidor.  

Concentração de mercado

Primeiro, estimativas mostram que, juntas, as três empresas que anunciaram publicamente a limitação (Vivo, Oi e Net) são responsáveis por cerca de 85% a 90% de todo o mercado brasileiro. Ou seja, há uma enorme concentração. 

Em algumas cidades, apenas um desses provedores é responsável por todo o acesso à Internet, ou seja, não há opções. O consumidor provavelmente vai enfrentar barreiras expressivas para poder escolher uma empresa que ofereça uma franquia de dados ilimitada, similar ao praticado atualmente. A única opção restante ao cliente seria pagar taxas adicionais ou adquirir um novo pacote de dados toda vez que quiser continuar usando Internet e sua franquia for atingida. 

Para o pesquisador do IDEC, Rafael Zanatta, tal concentração de mercado pode, inclusive, se caracterizar como um crime contra a ordem econômica. Por esta e outras razões que o instituto propôs uma ação civil pública objetivando a declaração de nulidade de todas as cláusulas contratuais que prevejam a suspensão ou limitação da conexão à Internet e, ainda, requisitando que as empresas forneçam justificativas técnicas para implementar tais medidas, o que não foi feito até o presente momento.

Marco Civil da Internet

Segundo, diferentemente do que tem sido dito nas redes sociais, é possível interpretar que o corte da Internet após o atingimento da franquia mensal de dados violaria o Marco Civil da Internet (Lei 12.965/2014), pois a lei estabelece o direito de acesso à internet para todos (Art. 4º, I) e determina que é um direito do usuário a não suspensão da conexão à internet, salvo por débito diretamente decorrente de sua utilização (Art. 7º, IV), por ser este um serviço essencial para o exercício da cidadania. 

Ou seja, o acesso à Internet não poderia ser cortado ao fim da franquia de dados. Por isso que hoje algumas empresas apenas diminuem a velocidade de acesso no caso de Internet móvel.  

Fragmentação da Internet

Terceiro, um dos maiores riscos na obrigatoriedade desse modelo de cobrança é a fragmentação da grande rede, a criação de duas Internets, uma acessível apenas àqueles com melhor poder aquisitivo, e outra, mais simples e com menos serviços, disponível para o resto da população. 

Basicamente, seria a transformação da Internet numa TV a cabo. Alguns poucos terão o pacote completo de canais, enquanto outros terão que se contentar com o básico. Seria uma fiel reprodução das desigualdades sociais características da nossa sociedade. 

A diferença é que a Internet serve para muito além do mero consumo de conteúdo de entretenimento. Os usuários não são entes passivos. Pelo contrário, são ativos, produzem conteúdo, controlam a distribuição, monetizam o seu próprio conteúdo, o que criam, o que oferecem. 

Ainda, é essencial para o funcionamento de muitos negócios, vários deles rudimentares, oferecidos por meio de mensageiros ou de pequenos websites, mas que servem de subsistência para uma grande parcela da população; cursos completos, das melhores universidades do mundo, estão disponíveis gratuitamente, complementando a educação ineficiente oferecida para a maioria da população brasileira. 

A Internet é essencial para o efetivo exercício dos valores democráticos. As recentes manifestações sobre o contexto político atual do país mais do que corroboram essa tese. Sem uma Internet livre, ilimitada, completa, provavelmente, usufruir de todas essas liberdades será cada vez mais complicado. 

Aspectos técnicos

Quarto, as razões para implementar tal limitação não são claras, ou pelo menos completamente explicadas. As empresas alegam que os serviços de Internet mais utilizados hoje em dia são pesados e demandam muito da infraestrutura de comunicação. Sem mudanças na forma de cobrança, não haveria como investir em melhorias que acompanhassem os novos modelos de negócio que consomem grande parte da banda de acesso à Internet.

Esse argumento, provavelmente, justifica esse modelo de cobrança no caso de acesso móvel, mas nem sempre o faz com relação a fixa. Um provável motivo pode ser inferido da recente guerra declarada contra vários aplicativos de Internet que concorrem diretamente com os serviços oferecidos pelos provedores de acesso. 

O Whatsapp concorre com o envio de SMS das operadoras de telefonia e, agora, também, com os de voz, assim como o Skype; o Netflix concorre com as TV a cabo. Essas empresas são classificadas como Over-the-Top (OTT), porque se utilizam da infraestrutura de comunicação já existente, provida por outras companhias, para ofertar seus serviços, sem pagar mais por isso. Mas mesmo nestes casos há exceções.  

As operadoras em nenhum momento revelam os acordos de cooperação técnica com os serviços hoje responsáveis por boa parte do fluxo de dados na Internet no Brasil (Facebook, Google, Netflix etc). Estes acordos, altamente lucrativos, feitos com os grandes players da Internet, têm por objeto a instalação de Content Delivery Networks – CDNs, infraestruturas paralelas que visam justamente desobstruir os cabos de Internet de responsabilidade dos provedores locais, permitindo, assim, oferecer seus serviços sem que haja uma perda de qualidade ocasionada pela infra deficiente. 

O Brasil já dispõe de várias CDNs e a tendência é a instalação de diversas outras, suplementando a necessidade de investimento por parte dos provedores de acesso à Internet. 

O que pode ser feito

Várias entidades e autoridades já estão se manifestado. O Ministério Público Federal - MPF pediu mais explicações e cobrou que antes de qualquer mudança os provedores devem cumprir suas obrigações de investimento; OAB afirmou que atuará caso haja alterações. 

A própria ANATEL notificou as operadoras determinando que estas somente poderão modificar o modelo de cobrança três meses após o esclarecimento de vários pontos relacionados à qualidade dos serviços e a transparência 

Além disso, há diversos movimentos online protestando contra esses novos modelos. O Movimento Internet Sem Limites tenta conscientizar os usuários sobre o impacto dessas medidas no dia-a-dia de uso da Internet. E a petição online “Contra o Limite na Franquia de Dados na Banda Larga Fixa”, da plataforma Avaaz.org, está aberta para assinatura de qualquer pessoa e já conta com mais de 2 milhões de apoiadores. 

Portanto, se você deseja manter a Internet como ela é, livre, ilimitada, faça sua parte. 



Aciscs entrega carro da Campanha de Natal

A Associação Comercial e Industrial de São Caetano do Sul (Aciscs) entregou à José Carlos Cabrino os documentos do veículo Chevrolet Onix, referente a Campanha de Natal realizada pela entidade em dezembro passado. O veículo foi adquirido por meio de empréstimo bancário aprovado em reunião da diretoria da associação. 

Estevam assumiu a entidade e realizou a entrega do prêmio que deveria ter sido feita pela gestão anterior | Foto: divulgação
O presidente da Aciscs, Walter Estevam Junior, justificou a demora para a entrega do prêmio por erros da gestão anterior. “Esse era um dos compromissos prioritários da atual diretoria da associação, pois o contemplado deveria ter recebido o prêmio, conforme regulamento da campanha, no dia 28 de fevereiro, ainda na gestão anterior”, explica. Estevam assumiu a direção da entidade no dia 31 de março.

Encontro com o prefeito

Além de solucionar a questão da premiação de natal, o presidente também está empenhado na reforma da Lei Cidade Limpa. Em encontro com o prefeito Paulo Pinheiro na segunda-feira (18), a nova diretoria da entidade entregou o projeto de reforma da lei ao chefe do Executivo municipal. 

Durante o encontro, o presidente e os diretores da associação apresentaram ao prefeito outras propostas, como a próxima Campanha de Natal e a iluminação pública metalizada nas principais vias comerciais do município. "O nosso comércio merece e precisa de boa visibilidade", defende Estevam.




terça-feira, 19 de abril de 2016

As novas raposas do galinheiro

Por Reginaldo Gonçalves, coordenador do curso de Ciências Contábeis da Faculdade Santa Marcelina (FASM).

O cenário da votação da admissibilidade do impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados apresentou surpresas que poderão refletir o embaraço em que se encontra o governo, devido à falta de apoio da base aliada. É iminente a possibilidade de a chefe de Estado, eleita pelo povo, ser afastada, embora já seja possível vislumbrar a dificuldade que haverá no Senado, inclusive com a possibilidade de reversão do processo.

"O cenário internacional cobra mudanças"
Não é uma situação fácil. Caprichos e posicionamentos de deputados em sua votação não demonstraram firmeza quanto às suas posições ante os problemas que colocaram o governo na berlinda. Muitos exaltavam e glorificavam Deus, ou falavam em filhos e família, quando grande parte dos congressistas tem problemas jurídicos, inclusive o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, contra o qual pesam evidentes situações de desvio de finalidade e operações de cunho duvidoso.

Em meio a essas questões políticas, para a economia a situação continua sem uma definição. O desemprego é alto e a inflação é o problema que o Banco Central segue  tentando mitigar, por meio da estratégia de manejo da Selic.


O cenário internacional cobra mudanças. Somos um dos países mais importantes da América Latina e tudo está sendo visto com apreensão. O que todos buscam está ligado a interesses comerciais, mas não é possível confiar em um país onde grande parte dos políticos é constituída por corruptos, quando não, mentirosos.

O desgaste da presidente Dilma em torno das pedaladas fiscais e uso das estatais para fortalecer o caixa do governo foi pontual. Contudo, o mais grave é o uso dos recursos dos Créditos Suplementares, cuja utilização exige aprovação do Parlamento. Tal norma está estabelecida na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e pode ser o argumento mais forte para o impedimento.

Por outro lado, as dúvidas pairam sobre o possível Governo Temer. Pergunta-se: terá apoio da grande maioria, importante para o País ser governável? Existe a grande possibilidade de que Renan Calheiros o apoie e que possa pesar no voto do Senado, mas ainda precisa haver melhor avaliação se haverá condições para as efetivas mudanças das quais o Brasil precisa.

Qualquer transformação exige toda cautela. A estagnação do País é notória, mas há necessidade de readquirir a confiança externa para que possa haver interesses em investimentos que permaneçam aqui, não somente de investidores abutres que buscam juros no curtíssimo prazo e depois debandam para outros países. A retomada de investimentos tem de fazer parte da pauta do novo governo, assim como a busca por empregabilidade e redução dos juros. Outro ponto fundamental é a composição do conselho de administração das estatais e de seus fundos de previdência. A gestão não pode ter forte interferência do governo. Essa ingerência já fez com que companhias de economia mista perdessem caixa e os investimentos passassem a segundo plano.

A grande força para mudanças agora estará nas mãos também da população, que precisa unir-se para que sua vontade prevaleça além do voto. Percebemos que o peso do eleitor manifesta-se somente na eleição. Depois dela, poucos honram o voto recebido e os compromissos intrínsecos a ele. Um país soberano e livre de corrupção depende de cada um assumir o seu papel. Não é possível viver com a “Lei de Gerson”. O que se observa na história é que todos perdem quando poucos querem “levar vantagem”.

Infelizmente, o País continua na mão das raposas! As galinhas que se cuidem!



ParkShoppingSãoCaetano sorteia 30 vales-presentes e dois carros no Dia das Mães

O ParkShoppingSãoCaetano preparou uma promoção especial para as mães, que poderão escolher o que quiserem de presente até o final do ano. De 20 de abril a 07 de maio, a cada R$ 300 em compras nas lojas participantes, o cliente ganha um cupom para concorrer a 30 vales-presentes de R$ 10 mil e dois automóveis IX35, da Hyundai. Além disso, seis vitrines estarão distribuídas pelos corredores do shopping com sugestões para ajudar os visitantes na escolha dos presentes. Serão compostas por ambientes como cozinha, sala de jantar e closet, contemplando um mix de opções de compras com o cartão vale-presente. 

Após R$ 300 em compras os clientes ganharão cupons para concorrer aos prêmios | Foto: reprodução
A partir de 28 de abril, serão sorteados diariamente três vales-presentes, que poderão ser gastos até o final do ano, somente nas lojas do ParkShoppingSãoCaetano. O sorteio dos carros acontece em 8 de maio.

Ao usar os cartões com a bandeira Caixa na máquina Cielo o participante ainda ganha um cupom adicional. Com cartões da bandeira Caixa Elo na máquina Cielo, ele ganha três cupons adicionais. Esses benefícios aumentam as chances de ganhar e oferece vantagens para quem aproveitar o empreendimento nas compras do Dia das Mães.

O regulamento completo estará disponível no site www.parkshoppingsaocaetano.com.br e no balcão de trocas, durante todo o período da promoção.



Hyundai convoca recall de IX 35 por problemas na mangueira do resfriador

A Hyundai convocou hoje (19) os proprietários dos veículos modelos IX35, fabricados entre 1°/07 a 31/10/2010, com numeração de chassis de KMHJU81BBBU137368 a KMHJU81CDBU199512, a agendarem junto a uma concessionária da Hyundai Importados a inspeção e substituição das mangueiras do resfriador do fluido da transmissão automática. 

No comunicado, a empresa informa que devido à variação da temperatura da transmissão automática durante o seu funcionamento, existe a necessidade da circulação do fluido lubrificante entre o radiador e o resfriador para controlar a sua temperatura. Ao longo do tempo e do uso existe a possibilidade destas mangueiras apresentarem trincas em sua extensão, ocasionado vazamento do fluido, o que poderá acarretar na perda da pressão hidráulica da transmissão, reduzindo a mobilidade do veículo. Nestas condições, o condutor poderá observar como consequência a troca anormal das marchas e/ou o acendimento da luz de advertência “Check Engine” no painel de instrumentos. Isso implicará na perda de velocidade ou até na parada do veículo, com possibilidade de acidentes graves. Não há risco da perda da funcionalidade de outros sistemas do veículo, tais como freio, direção e motor, por exemplo. 

Modelos IX35 foram voltar para concessionárias para inspeção e substituição da peça | Foto: reprodução
Como ação preventiva, a Hyundai alerta que se for identificado resíduo de fluido embaixo do veículo quando estacionado, ou se apresentar algum sintoma de troca anormal das marchas e/ou acendimento da luz de advertência “Check Engine”, no painel de instrumento, o condutor deverá encaminhar imediatamente seu veículo para reparo. Para mais informações, a montadora disponibiliza o telefone 0800 770 3355, das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira, e o portal www.hyundai-motor.com.br.

O Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Governo do Estado de São Paulo, orienta os consumidores sobre seus direitos: a empresa deverá apresentar os esclarecimentos que se fizerem necessários, conforme determina o Código de Defesa do Consumidor, inclusive com informações claras e precisas sobre os riscos para o consumidor. 

O que diz a lei 

O Código de Defesa do Consumidor (CDC), em seu artigo 10, estabelece que: “o fornecedor não poderá colocar no mercado de consumo produto ou serviço que sabe ou deveria saber apresentar alto grau de nocividade ou periculosidade à saúde ou segurança.

§ 1º O fornecedor de produtos e serviços que, posteriormente à sua introdução no mercado de consumo, tiver conhecimento da periculosidade que apresentem, deverá comunicar o fato imediatamente às autoridades competentes e aos consumidores, mediante anúncios publicitários".
Outra questão importante, que deve ser observada pelos consumidores, refere-se a exigência do comprovante de que o serviço foi efetuado, documento que deverá ser conservado e repassado adiante, em caso de venda. Caso tenha sido comercializado mais de uma vez, o atual proprietário terá o mesmo direito ao reparo gratuito. 

Conforme a Portaria Conjunta nº 69 de 15/12/2010, da Secretaria de Direito Econômico e do Diretor do Departamento Nacional de Trânsito, o veículo que não for reparado/inspecionado em até 12 meses, após o início da campanha de recall, terá a informação lançada no campo 'observações' do próximo CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo) emitido pela autoridade de trânsito.

Os consumidores que já passaram por algum acidente causado pelo defeito apontado poderão solicitar, por meio do Judiciário, reparação por danos morais e patrimoniais, eventualmente sofridos.



quarta-feira, 13 de abril de 2016

Vendas e receita nominal do comércio voltam a crescer

Nielmar de Oliveira -  Agência Brasil

O comércio varejista do país fechou o mês de fevereiro com crescimento em relação a janeiro tanto no volume de vendas como na receita nominal. A constatação é da Pesquisa Mensal do Comércio (PME) divulgada hoje (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em fevereiro, na série com ajuste sazonal, o comércio varejista brasileiro fechou com crescimento de 1,2% em relação a janeiro, a maior expansão desde os 3% de julho de 2013. Já a receita nominal aumentou 1,3%.


Segundo o IBGE, apesar do crescimento de janeiro para fevereiro no volume de vendas, a expansão não foi suficiente para compensar a queda de 4,1% acumulada nos dois meses anteriores. Com isto, a média móvel trimestral encerrada em fevereiro continuou negativa (-1%) pelo terceiro mês consecutivo.

Na comparação com fevereiro de 2015, série sem ajuste sazonal, o volume de vendas do varejo recuou (-4,2%), neste caso a décima primeira taxa negativa seguida, embora com percentual menos acentuado do que o observado em janeiro, quando a retração comparativamente a janeiro de 2015 havia sido de -10,3%.

Varejo em queda

Os dados da Pesquisa Mensal do Comércio indicam, também, que o setor fechou os dois primeiros meses de 2016 com queda acumulada nas vendas do varejo de 7,6%, enquanto a taxa anualizada (últimos 12 meses) encerrou fevereiro com retração de 5,3% - taxa idêntica à do mês anterior.

Quanto ao volume de vendas do comércio varejista ampliado (varejo e mais as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção) houve, de janeiro para fevereiro, na série com ajuste sazonal, crescimento de 1,8% , enquanto a receita nominal subiu 2,9%.

Já em relação a fevereiro de 2015, as variações indicam que o comércio varejista ampliado fechou o segundo mês do ano com queda de 5,6%, enquanto a receita nominal cresceu 3,3%. No ano, o volume de vendas, no entanto, caiu 10,1%, resultado que passou a uma queda de 9,1% no acumulado dos últimos 12 meses. Já as receitas nominais caíram 1,3% no ano e 1,8% no acumulado dos últimos 12 meses.

Análise

O crescimento de 1,2% do comércio varejista em fevereiro deste ano frente a janeiro, na série livre da sazonalidade do período, reflete expansão em quatro das oito atividades pesquisadas pelo IBGE.

A principal influência positiva ocorreu na atividade de móveis e eletrodomésticos, que cresceu 5% e também por hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com expansão de 0,8%, mas com peso maior na composição do indicador.

Com o crescimento da atividade de móveis e eletrodomésticos, o setor reverte queda acumulada de 13,2% de dezembro e janeiro, comparativamente a igual período imediatamente anterior (dezembro de 2014 e janeiro de 2015); e no caso de hipermercados e supermercados, reverte três meses de quedas consecutivas, quando a retração acumulada foi de 3,7%. Também teve crescimento a atividade de combustíveis e lubrificantes (0,6%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, perfumaria e cosméticos (0,3%).

Na outra ponta, fecharam com resultados negativos tecidos, vestuário e calçados (-2,8%); livros, jornais, revistas e papelaria (-2,4); equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-1,3%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (-0,1%).

Já comércio varejista ampliado cresceu 1,8% no volume de vendas entre janeiro e fevereiro influenciado pelo segmento de veículos e motos, partes e peças, que expandiu 3,8% no período e por material de construção (3,3%).

Taxa negativa

Quando as vendas do comércio varejista de fevereiro deste ano são comparadas com fevereiro de 2015 o resultado é uma queda de 4,2% no volume comercializado com a décima primeira taxa negativa consecutiva. O resultado reflete taxas negativas em sete das oito atividades investigadas.

A maior contribuição veio de móveis e eletrodomésticos, com queda de 10,9%; seguida de outros artigos de uso pessoal e doméstico (-11,4%); hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,4%); tecidos, vestuário e calçados (-10,8%); e combustíveis e lubrificantes (-4,1%).

A única atividade com impacto positivo no resultado global no varejo foi a de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, perfumaria e cosméticos com crescimento de 6,2%.

Quanto ao volume de vendas do comércio varejista ampliado, a queda de 5,6% - comparativamente a fevereiro de 2015 - foi a vigésima primeira taxa negativa consecutiva. Segundo o IBGE, a redução das vendas no segmento decorre da menor oferta de crédito, restrição orçamentária das famílias e desaceleração do crescimento real dos salários.

Por estados

De janeiro para fevereiro de 2016, o volume de vendas do comércio varejista cresceu em 17 das 27 unidades da federação, com destaque para os locais que avançaram acima da média brasileira (1,2%): Tocantins (3,3%), Paraná (3,2%), Espírito Santo (2,8%), Minas Gerais (2,5%), Rio de Janeiro (2,2%), Amazonas (2,1%), Amapá (1,4%) e São Paulo (1,4%). Com taxas negativas aparecem Sergipe (-3,7%), Mato Grosso (-1,8%) e Rio Grande do Norte (-1,7%).

Já na comparação com fevereiro de 2015, o volume de vendas caiu em 25 estados, com destaques pelo lado negativo para o Amapá (-17,1%), Sergipe (-12,8%) e Amazonas (-10,8%). No entanto, as participações negativas mais intensas sobre a taxa do varejo vieram de São Paulo (-3,6%) e do Rio de Janeiro (-6,5%).

Já no comércio varejista ampliado, o volume de vendas recuou em 24 estados em relação a fevereiro de 2015, com destaque para o Amapá (-18,6%) e Sergipe (-14,6%); além do Espírito Santo, com retração de 13,2%, e do Maranhão (-12,9%).

As únicas taxas positivas no volume de vendas ocorreram em Rondônia (-5,6%), Roraima (2,2%) e Minas Gerais (0,9%). Já os impactos mais negativos no resultado global do setor (-5,6%) vieram do Rio de Janeiro (-9,4%), São Paulo (-2,4%) e Santa Catarina (-8,4%).


Estado leiloa terreno em Santo André que vale R$ 5 milhões

Da Redação

O governo do Estado de São Paulo leiloa nesta quinta-feira (14) imóvel localizado na Estrada João Ducin, 744,em Santo André terreno com 3.600 m², plano, seco, com benfeitoria de padrão construtivo de escritório econômico com área de 30m² (guarita), em estado de conservação regular.



Havia um prédio no local que foi demolido. O imóvel vem sendo utilizado como estacionamento de carros e caminhões.

O lance minimo é de R$ 5 milhões.


Jornalistas emitem manifesto: Direitos Individuais em Jogo


Profissionais do jornalismo que atuam no Jornal da Cidade, de Bauru, interior paulista divulgaram manifesto em relação ao atual momento político no Brasil, o qual produz ações que violam os direitos individuais dos cidadãos brasileiros e promovem fissuras no Estado Democrático de Direito.

Nós do Ponto Final consideramos o texto, reproduzido a seguir, assertivo e reiteramos os argumentos nele expostos,

Direitos individuais em jogo

Este é um manifesto de jornalistas que, independentemente de posições ideológicas e distantes de alinhamentos político-partidários, prezam pela manutenção dos princípios democráticos. Para todos nós, mesmo que imperfeita, a democracia conquistada no Brasil a custo de muito suor, sangue e lágrimas deve ser defendida. O processo de impeachment está previsto pela Constituição Federal, mas deve obedecer a critérios técnico-jurídicos que vêm sendo aviltados desde o fim da corrida eleitoral de 2014 por sentimentos irresponsavelmente cultivados junto à população por setores da sociedade cujos interesses divergem das necessidades históricas da classe trabalhadora, à qual pertencemos. Não aprovamos os rumos tomados pelo governo da presidente Dilma Rousseff, mas não entendemos que incompetência ou baixa popularidade sejam motivos suficientes para cassar seu mandato, respaldado pelo voto de mais de 54 milhões de cidadãos. Neste contexto, o impedimento do governo interromperá o maior ciclo republicano-democrático já experimentado pelo País. Também reprovamos a corrupção sistêmica instaurada no Estado brasileiro. Mas ela não é exclusividade da gestão petista, amparada, inclusive, por uma grande quantidade de partidos políticos que, agora, se colocam indevidamente como bastiões da moralidade junto à opinião pública. Até pelo exercício do ofício, celebramos a independência do Ministério Público, do Poder Judiciário, da Polícia Federal e da Receita Federal, bem como as motivações iniciais da Operação Lava Jato. Repudiamos, contudo, sua instrumentalização por interesses obscuros e vaidades e, principalmente, a violação de direitos individuais e do Estado Democrático de Direito. Esse desrespeito aprofunda as já tão gritantes injustiças sociais deste País, sendo que o jornalismo apenas se justifica caso haja o compromisso de denunciá-las e a esperança de revertê-las.

Assinam jornalistas do Jornal da Cidade.
Aline Mendes, Ana Cristina de Oliveira, Aurélio Fernandes Alonso, Cinthia Milanez, Daniela Gregório, Heitor Carvalho Jorge, Lilian Grasiela Silva, Luciana La Fortezza, Malavolta Junior, Marcele Tonelli, Marcelo F. Lopes, Márcia Duran, Marcus Liborio, Rita de Cássia Cornélio, Samantha Ciuffa, Sarah Francisco, Sheila Teixeira Junqueira, Thiago Navarro, Thiago Vendrami, Tisa Moraes, Vinicius Lousada, Vitor Oshiro e Wagner Teodoro.

Jornalistas do Jornal Ponto Final
Carlos Alberto Buzano Balladas, Vivian Silva e Vitor Lima.



terça-feira, 12 de abril de 2016

Santo André sedia Megafeirão do Livro

A 22ª edição do Megafeirão do Livro ocorre neste fim de semana (16 e 17) em Santo André, na Creche Amélia Rodrigues (Rua Silveiras, 17, Vila Guimar). Na ocasião, haverá sessões de autógrafos (domingo – a partir das 13h) com os autores Roberto de Carvalho e Luis Hu Rivas.

Megafeirão do Livro reúne livros espíritas, espiritualistas e de autoajuda | Foto: Reprodução

Carvalho já vendeu 15 mil exemplares do livro Eternas Virtudes do Amor, lançado em março. E, Rivas autografará exemplares do lançamento Arte Paranormal – Pintura mediúnica

O  Megafeirão do Livro reúne livros espíritas, espiritualistas e de autoajuda. No local, estarão expostos mais de 150 mil publicações com descontos de até 70%.



segunda-feira, 11 de abril de 2016

Semasa abre concurso público

O Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André (Semasa), autarquia da Prefeitura da cidade, abriu concurso público para provimento de 125 vagas e 16 para formação de cadastro de reserva. As vagas estão distribuídas entre 57 cargos para níveis fundamental, médio e superior. As inscrições vão até 24 de abril, por meio do portal www.caipimes.com.br.
Inscrições para o concurso vão até 24 de abril | Foto: Arquivo

Já os salários variam de R$ 1.135,79 a R$ 6.921,08. A prova objetiva tem data de aplicação prevista para 15 de maio, conforme edital. As informações sobre horários e locais para realização das provas serão divulgadas, em breve, nos portais www.caipimes.com.br e www.semasa.sp.gov.br.


sábado, 9 de abril de 2016

Dérbi do ABC registra briga entre torcedores antes da partida

Vitor Lima

O estádio Bruno José Daniel recebeu na tarde de hoje (9) a partida entre Santo André e São Caetano válida pelas quartas de finais do Campeonato Paulista da série A2. As torcidas compareceram e encheram as arquibancadas do Brunão, que registrou um público de 4.248 torcedores. Antes do jogo, porém, alguns deles foram protagonistas de cenas lamentáveis. 

Estava tudo calmo até o momento em que alguns torcedores do Santo André se dirigiram ao portão reservado para a entrada dos são-caetanenses. Com poucos policias fazendo a segurança do local, os torcedores não encontraram nenhuma dificuldade para acessar a área reservada para a entrada do visitantes e partirem para a pancadaria. Pedras e garrafas foram atiradas por torcedores das duas equipes. Veja o vídeo da briga gravado por um torcedor que prefere não se identificar: 


video


Dentro de campo, a equipe andreense foi melhor e venceu o duelo por 2 a 1 com gols de Branquinho, de falta, e Guilherme Garré, em chute de longa distância. O gol marcado pelo São Caetano foi de Neto, em cobrança de penalti. 

As duas equipes voltarão a se encontrar no próximo sábado (16) no Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, para decidir quem ficará com a vaga para a próxima fase. Um empate classifica o Santo André.