sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Mais de 40% dos idosos são os principais responsáveis pelo sustento da casa

Da Redação

Com a crise econômica que ainda afeta o bolso dos consumidores e o aumento do desemprego entre a população jovem, em muitos lares os idosos acabam sendo a principal fonte de renda. Um levantamento realizado em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que 43% dos brasileiros acima de 60 anos são os principais responsáveis pelo pagamento de contas e despesas da casa - o percentual é ainda maior (53%) entre os homens.

Mais da metade (51%) dos idosos costuma fazer empréstimos, utilizar cartão de crédito ou cheque especial para pagar as contas | Foto: Freepik
De modo geral, 91% dos idosos no Brasil contribuem com o orçamento da residência, sendo que em 25% dos casos colaboram com a mesma quantia que os demais membros da família. Somente 9% não ajudam com as despesas.

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, não é só a crise econômica que explica esses números, mas também uma mudança demográfica e comportamental dessa população. "Há muitos casos em que a renda do aposentado é a única maneira para sustentar o lar de uma família que perdeu emprego, mas o aumento da expectativa de vida dos brasileiros e suas atitudes nesta fase da vida também são fatores importantes. Hoje, os idosos são mais ativos, têm mais autonomia financeira e trabalham por mais tempo, seja por necessidade ou porque se sentem dispostos", explica a economista.

Outro dado que reforça a independência financeira de boa parte dos idosos é que 66% não recebem ajuda financeira de parentes, amigos, pensão ou programa social. Há 34% de idosos que contam com algum tipo de ajuda.

Com a importância dos idosos para o orçamento da casa, muitos acabam emprestando seu nome para outros realizarem compras. De acordo com o levantamento, pouco mais de um quarto (26%) dos idosos brasileiros já fez empréstimo pessoal consignado em seu nome para emprestar o dinheiro a terceiros. Na maior parte dos casos (17%), o empréstimo foi um pedido de filhos, conjugues ou outros parentes, enquanto em 9% dos casos o idoso se ofereceu para ajudar a pessoa.

Se por um lado o estudo mostra que os idosos são de grande importância para o sustento de seus lares, por outro, se observa também que muitos deles apenas conseguem pagar suas contas, sem que haja sobras de dinheiro para realizar um sonho de consumo ou investir. De modo geral, 39% dos idosos brasileiros até conseguem pagar suas contas sem atrasos, mas fecham o mês sem recursos excedentes. Outros 14% nem sempre conseguem pagar as contas e algumas vezes precisam fazer esforço para administrar o dinheiro que recebem e 4% nunca ou quase nunca conseguem honrar os compromissos financeiros. Os idosos em situação financeira confortável, ou seja, pagam as contas e ainda sobra dinheiro, são 42% da amostra.

Para manobrar o orçamento, recorrer ao crédito acaba sendo uma saída prática, apesar de arriscada. Mais da metade (51%) dos idosos costuma fazer empréstimos, utilizar cartão de crédito ou cheque especial para pagar as contas e conseguir cumprir compromissos mensais. Recorrer a uma reserva financeira seria a solução mais indicada, mas apenas 39% dos idosos possuem dinheiro guardado.

Padrão de vida

Ao refletirem sobre o padrão de vida que possuem hoje, comparado ao que tinham aos 40 anos de idade, a maior parte (37%) dos idosos considera que piorou, ao passo que 33% avaliam levar uma vida melhor hoje do que no passado. Para 28% a situação permanece a mesma. Em uma escala de um a dez, a nota média que os idosos atribuem para a satisfação com a vida financeira atual é de 6,7 pontos.

Metodologia

Foram entrevistados 612 consumidores com idade acima de 60 anos de ambos os gêneros e de todas as classes sociais, nas 27 capitais brasileiras. A margem de erro é de 4,0 pontos percentuais para um intervalo de confiança a 95%. A íntegra da pesquisa está disponível aqui.

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Pequenos jovens, grandes empreendedores

Por Reinaldo Simonelli, docente do Colégio Stocco

Tendo em vista complementar a formação acadêmica, social e cultural de nossos estudantes, o Colégio Stocco investe num aprendizado por meio de projetos, proporcionando aprendizagens que vão além da vida escolar e que permitem a estudantes e professores transcenderem os limites que permeiam a sala de aula.

O projeto Pequenos jovens, grandes empreendedores proporciona aos estudantes a oportunidade de conhecer melhor os seus pares, ou seja, os estudantes que estão juntos diariamente em sala de aula, na construção de seus conhecimentos e que compartilham de suas experiências sobre os conteúdos desenvolvidos diariamente, a fim de que os articulem em diferentes situações dentro e fora do ambiente escolar.

O projeto consiste no desenvolvimento de uma empresa com marca independente ou no modo de franquia. Para o desenvolvimento e execução, os estudantes contarão com um montante hipotético de R$ 375 000,00, para gerenciamento de fins administrativos, no que diz respeito à compra ou aluguel de materiais e, assim, garantir o início das atividades profissionais.

Cada equipe deverá ser composta por 4 a 5 estudantes, que deverão dividir as atividades, a fim de que possam equilibrar a divisão das tarefas, respeitando as competências e as habilidades de cada um.
Todo o projeto será realizado ao longo dos dois primeiros trimestres, durante as aulas de Matemática.

Durante o processo, cada grupo deverá elaborar um planejamento estratégico, evidenciando todos os custos necessários para cada etapa do projeto, destacando custos mensais, operacionais, folha de pagamento, projeção de retirada mensal (renda bruta e líquida), assim como a descrição de crescimento da empresa a curto e longo prazo.

A apresentação do projeto será realizada no auditório do Colégio com a presença dos estudantes, coordenação pedagógica e professores.

A avaliação do projeto será constituída por dois momentos: uma das notas refere-se a todo desenvolvimento da equipe, prazos de entrega dos relatórios, organização de conteúdos e articulação dos conhecimentos matemáticos durante a execução do projeto. A segunda nota será atribuída no ato da apresentação, respeitando alguns critérios, tais como: postura durante apresentação do projeto, clareza sobre os objetivos da empresa, elaboração da mídia digital para apresentação ao público; essa segunda nota fará parte da composição de notas do 3º trimestre.



terça-feira, 13 de novembro de 2018

Inadimplência cresce 4,22% em outubro

Da Redação 

O volume de consumidores brasileiros com contas em atraso e registrados em lista de devedores voltou a crescer em outubro. De acordo com dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), a quantidade de inadimplentes cresceu 4,22% no mês de outubro, na comparação com igual mês do ano passado. Em setembro deste ano, frente 2017, a alta havia sido de 3,86%. Em números absolutos, estima-se que 62,89 milhões de brasileiros estejam com o CPF restrito para fazer compras a prazo ou contratar crédito.

Há quase 18 milhões de brasileiros inadimplentes na faixa dos 30 a 39 anos | Imagem: Reprodução 
Na avaliação do presidente da CNDL, José Cesar da Costa, a inadimplência do consumidor continua elevada mesmo com o fim da recessão, pois a recuperação econômica segue lenta e ainda não impactou de forma considerável o mercado de trabalho.

"A retomada do ambiente econômico acontece de forma gradual e ainda demorará para termos um aumento expressivo do número de empregos e renda, fatores que impactam de forma positiva tanto no pagamento de pendências quanto na propensão ao consumo das famílias", analisa Costa.

Regiões

O aumento da inadimplência foi puxado, principalmente, pela região Sudeste, cuja alta observada em outubro foi de 13,30%. Nas demais regiões, as altas foram menos intensas como 5,31% no Norte; 4,11% no Sul; 3,91% no Nordeste e 1,61% no Centro-Oeste.

Idade

O indicador também revela que a maior parte dos inadimplentes está concentrada entre os brasileiros com idade de 30 a 39 anos: são 17,9 milhões de consumidores nessa situação, o que representa mais da metade (52%) dos brasileiros com essa idade. Na sequência, estão os consumidores de 40 a 49 anos, que somam uma população de 14,2 milhões de inadimplentes e os compreendidos na faixa dos 50 a 64 anos, que formam 13,1 milhões de devedores.

As pessoas de 25 a 29 anos representam juntas um universo de 7,7 milhões de inadimplentes, ao passo que a população mais idosa, com idade entre 65 e 84 anos, somam 5,5 milhões de pessoas com contas em atraso, o que significa que quase um terço (32%) dessas pessoas estão com dificuldades para quitar seus compromissos. A população mais jovem, que vai de 18 aos 24 anos, formam um contingente de 4,3 milhões de negativados, o que representa 18% dos brasileiros nessa faixa.

Dívidas

Os dados por setor mostram que o crescimento mais expressivo foi das dívidas bancárias, que incluem cartão de crédito, cheque especial, empréstimos, financiamentos e seguros, cuja alta foi de 7,74%. Também houve alta nas contas atrasadas com empresas do setor de comunicação, como telefonia, internet e TV por assinatura (7,56%). As despesas com contas de serviços básicos, como água e luz, apresentaram alta de 4,46% nos atrasos, enquanto as compras realizadas no carnê ou boleto no comércio cresceram 0,45% no período.


segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Alunos de Santo André com problemas de visão recebem óculos gratuitos

Da Redação

A vida ganhou novos contrastes neste último domingo (11) para 266 alunos da rede municipal de ensino de Santo André. Matriculados no primeiro ano do ensino fundamental, eles compareceram ao Camp Piero Pollone, no Jardim Ana Maria, acompanhados dos familiares, para retirar os óculos gratuitos fornecidos pelo programa Educando com Visão. A iniciativa é fruto de uma parceria entre a Prefeitura de Santo André e o Rotary Club Santo André Norte.

Nesta edição do programa, 266 alunos receberam os óculos | Foto: Helber Aggio/PSA
O programa tem como objetivo melhorar a qualidade de vida dos alunos, por meio da resolução dos problemas oftalmológicos que, inclusive, podem impactar no desenvolvimento do estudante na escola, conforme comenta o presidente do Rotary Club Santo André Norte, Luiz Antonio Pirola:  "A grande maioria das crianças aqui nem sabia que tinha problema de visão. Às vezes, o aluno vai mal na escola não porque não tem capacidade de aprendizado, mas porque não está enxergando direito”.

Desde a sua criação, em 2004, até o ano passado, mais de 4 mil crianças passaram por exames oftalmológicos do programa. Neste ano, 480 alunos compareceram a três mutirões de exames, realizados no Centro de Especialidades I, na avenida Ramiro Colleoni.

Nos mutirões, os alunos cuja necessidade de óculos era comprovada, já puderam escolher a armação. Além disso, aproximadamente 80 alunos foram encaminhados para tratamento com especialistas e receberão, se for o caso, óculos futuramente.

O vice-prefeito Luiz Zacarias ressalta a importância do programa. "Essa é uma parceria da Prefeitura com o Rotary que tem dado certo, com um impacto muito positivo na vida dessas crianças. Os exames realizados nos mutirões identificam até casos que necessitam de tratamento mais específico", afirma.

O programa começa nas escolas, com atenção redobrada dos professores em sala de aula e realização do teste de Snellen (identificação de letras a distância) na própria unidade. Em casos de suspeita de algum problema visual, os alunos são encaminhados para o mutirão. A Prefeitura fornece transporte para a criança e o acompanhante.


sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Prefeitos de Santo André e São Bernardo do Campo estão de licença

Da Redação

A Prefeitura de Santo André, por meio de nota, informou nesta sexta-feira (09) que o prefeito Paulo Serra entrou em licença não remunerada de 8 a 20 de novembro. Na cidade vizinha, São Bernardo do Campo, o prefeito Orlando Morando se afasta também do cargo até o próximo dia 17.

Morando (à esquerda) e Serra estão em licença |Foto: Reprodução 
Em Santo André, o vice-prefeito Luiz Zacarias assume como prefeito em exercício no período citado acima. Já em São Bernardo do Campo, o vice-prefeito Marcelo Lima irá também se ausentar da funçõa, assim como Orlando, para “tratarem de assuntos particulares”. Com isso, quem assume o cargo é o presidente da Câmara, Pery Cartola.


quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Projeto do Semasa incentiva customização de roupas e redução de descarte

Da Redação 

O descarte de blusas, calças jeans e outras peças de roupas no lixo orgânico é um problema frequente em Santo André. Atualmente, cerca de 35,6 toneladas de tecidos são descartadas por dia, o que também aumenta a quantidade de resíduos secos que não deveria seguir para o Aterro Sanitário. Para conscientizar a população sobre este problema e estimular o reaproveitamento de roupas, o Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André (Semasa) começou um projeto de customização, que permite que peças de vestuários se transformem em novos modelos e até mesmo em objetos.

A iniciativa faz parte de uma parceria com o Senac Santo André | Foto: Divulgação/Semasa
O projeto "Sustentabilidade, moda e seus impactos ambientais" está sendo realizado, desde outubro com moradores da região do Recreio da Borda do Campo, localizado em área de manancial. A iniciativa faz parte de uma parceria com o Senac Santo André - em maio, mais de 50 alunos da instituição participaram de oficinas do programa e puderam reaproveitar e revitalizar peças que não eram mais utilizadas.

Antes da oficina de customização, os moradores tiveram uma palestra sobre os impactos ambientais associados à indústria têxtil e também fizeram uma visita ao Aterro de Santo André, que fica na Cidade São Jorge. No próximo dia 9, a ação continua com uma oficina de biojoias, que será realizada no Centro de Referência e Assistência Social (Cras) Recreio da Borda do Campo.

O encerramento do projeto acontece em 14 de novembro com um desfile de moda com as peças confeccionados pelos participantes. O evento acontece das 15h às 16h, no Senac Santo André (Av. Ramiro Colleoni, 110 – Centro).




terça-feira, 6 de novembro de 2018

Prefeitura de Diadema concede desconto de até 100% na multa e nos juros de impostos atrasados

Da Redação

O Programa de Parcelamento Integrado (PPI) 2018 da Prefeitura de Diadema, que prevê o refinanciamento de dívidas municipais para pessoas físicas e jurídicas, permite renegociar os impostos municipais (IPTU, ISS, TFL), exceto multas de trânsito, e ter desconto de até 100% na multa e nos juros para pagamento até 30 de novembro.

O contribuinte poderá fazer o pagamento em até três parcelas, com a primeira prestação vencendo em 30 de novembro. Para pagamento em 2 parcelas, a primeira prestação deve ser quitada em 28 de dezembro e o contribuinte que escolher o pagamento único deverá fazê-lo até 31 de janeiro de 2019.
Com o desconto de juros e multas, a Administração pretende incentivar o contribuinte a sanar suas dívidas e regularizar sua situação com a Prefeitura.

Como fazer
Para aderir ao programa, o contribuinte deve acessar o portal da Prefeitura de Diadema (www.diadema.sp.gov.br/ppi) e seguir as informações. O sistema calcula o débito, valor das parcelas e gera o boleto que deve ser pago nas agências bancárias até o vencimento.

Se o contribuinte preferir, ou tiver alguma dúvida, pode aderir ao PPI comparecendo pessoalmente ou por meio de procurador (com procuração simples) à Central de Atendimento ao Cidadão/Poupatempo (Rua Amélia Eugênia, 397 - Chácara Húngara – Centro).

O programa foi aprovado na Câmara Municipal de Diadema, por meio do Projeto de Lei Complementar 035/2018, que altera dispositivos da Lei Complementar 409, de 11 de setembro de 2015.

 

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Advogados de Santo André lançam chapa para concorrer às eleições da OAB

Da Redação

O grupo de advogados da 38ª Subseção da OAB de Santo André, que compõem a Chapa 1 “Novo Tempo”, recebe nesta segunda-feira (05) a visita do secretário geral da OAB-SP, Caio Augusto Silva dos Santos, candidato à presidência da OAB São Paulo.  A solenidade começou, a partir das 16h, na Faculdade de Direito de Santo André. O encontro com profissionais do Direito marca o início das eleições da instituição e o lançamento da Chapa 1.

Subseção da OAB Santo André fica na Avenida Portugal, 233 | Foto: reprodução 
A Chapa 1 tem o apoio do atual Presidente da OAB de Santo André, Dr. Roberto Gonçalves, que, nas eleições da OAB no próximo dia 29 de novembro, concorre na Chapa 11 como conselheiro estadual.

O advogado Antônio Carlos Cristiano está à frente da chapa 1 “Novo Tempo” composta também por: Simone Fusari (Vice-Presidente), Jazanias Oliveira Santos (Secretário-Geral), Patrícia Pocobi Villela (Secretária Adjunta) e Gabriel Pitassi (Tesoureiro).

Durante o evento, com a presença de presidentes e diretores das Subseções do ABC, os advogados vão declarar o apoio ao candidato à OAB-SP, Caio Augusto, e aos integrantes que compõem a Chapa 11 “Coragem e Inovação”, que disputam a direção da OAB estadual.  Na oportunidade, Cristiano faz uma explanação das propostas que serão levadas à frente da instituição para o triênio 2019/2021.

Santos, candidato à Presidência da OAB São Paulo, é advogado mestre em Direito Constitucional e professor de Direito Civil da Faculdade de Direito de Bauru, professor de Direito Processual Civil da Faculdade Instituto de Ensino Superior de Bauru e professor da Escola Superior de Advocacia da Seção de São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil.



quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Passagem em nível da estação Rio Grande da Serra ficará interditada neste domingo

Da Redação

Neste domingo (4), das 6h às 20h, o tráfego de veículos ficará interditado na Passagem em Nível da estação Rio Grande da Serra da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), localizada na Avenida Guilherme Pinho Monteiro, na Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra).

A intervenção é decorrente das obras de acessibilidade, que estão sendo realizadas no local. A passagem de pedestres, ambulâncias e carros oficiais (Polícia e Bombeiros) será liberada durante a interdição.

Toda a operação será acompanhada por agentes de trânsito do município de Rio Grande Serra e empregados da CPTM.


terça-feira, 30 de outubro de 2018

Munícipes de Santo André podem renegociar débitos com a Prefeitura e Semasa

Da Redação

A partir de hoje (30), munícipes que possuem dívidas com a Prefeitura ou o Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André (Semasa) poderão renegociar seus débitos. Nesta data, entrarão em vigor o Renegocia e o Renegocia Semasa, que visam promover a recuperação de receitas para a cidade. Os dois programas possuem regras distintas e foram criados por meio de leis aprovadas na Câmara, sancionadas pelo prefeito Paulo Serra nesta segunda-feira (29). Nos dois casos, os interessados têm até 14 de dezembro para aderir à renegociação.

Renegociação pode ser feita até 14 de dezembro de 2018 | Alex Cavanha/PSA
O Renegocia da Prefeitura tem o intuito de possibilitar que os atuais 8 mil devedores – de ISS, IPTU e outras taxas e impostos – possam regularizar suas pendências com a administração. Os casos que atenderem aos requisitos da lei poderão saldar débitos de até 1 milhão de Fator Monetário Padrão (FMPs) da seguinte maneira: pagamento em até 3 parcelas terá redução de 100% dos juros de mora e da multa moratória; pagamento de 4 a 12 parcelas terá redução de 95% dos juros de mora e da multa moratória, com taxa de juros remuneratórios de 0,6% ao mês; pagamento de 13 a 24 parcelas terá redução de 85% dos juros de mora e da multa moratória, com taxa de juros remuneratórios de 0,7% ao mês; pagamento de 25 a 36 parcelas terá redução de 75% dos juros de mora e da multa moratória, com taxa de juros remuneratórios de 0,8% ao mês. Em todos os casos serão parcelas iguais e consecutivas.

Já para os débitos acima de 1 milhão FMPs, o pagamento poderá ser feito de 37 a 48 parcelas com redução de 65% dos juros de mora e da multa moratória, tendo taxa de juros remuneratórios de 0,9% ao mês. Quem decidir pagar a dívida em 49 a 60 parcelas, terá redução de 55% dos juros de mora e da multa moratória, tendo taxa de juros remuneratórios de 1% ao mês. Nesses casos, será obrigatório 10% de entrada que poderá ser parcelado em até 2 vezes. O atual valor de 1 FMP é R$ 3,8527.

Quem tiver interesse, deve ir até a Praça de Atendimento localizada no Paço Municipal, ou em um dos cinco postos SIM que funcionam na cidade.  Pessoas físicas devem levar cópia do documento de identidade e do CPF e pessoas jurídicas precisam levar cópia dos atos constitutivos da empresa e alterações e cópia do CNPJ. O programa é válido somente para dívidas geradas até 30 de setembro de 2018.

Semasa 
O Renegocia Semasa prevê desconto de 100% dos juros e da multa para quem pagar em até 3 vezes o seu débito. O benefício será de 85% para quem parcelar entre 4 e 12 vezes; de 75% para 13 a 24 parcelas; e de 50% para parcelamentos de 25 a 36 vezes. No caso de parcelamento de 4 a 36 vezes, haverá aplicação de taxa de juros remuneratórios entre 0,5% e 0,7% ao mês. As dívidas renegociadas podem ser de origem tributária (taxas) ou não tributária (tarifas, multas ambientais). O valor das parcelas não poderá ser inferior a 20 FMPs (Fator Monetário Padrão), ou R$ 77,05.

Para ingressar no programa, o usuário deverá ir a um dos cinco postos de atendimento do Semasa com os documentos exigidos até 14 de dezembro. No posto, o usuário será orientado a protocolar um requerimento de adesão e declarar expressamente a desistência de eventual recurso administrativo referente aos débitos que fazem parte do acordo. A confirmação do acordo só ocorre, porém, com o pagamento da primeira parcela em seu vencimento. A expectativa do Semasa é, com o programa, recuperar R$ 9 milhões de créditos, recursos que serão investidos na melhoria do abastecimento de água na cidade.

O contribuinte pessoa física deve levar cópia de documento de identidade e do CPF e pessoa jurídica precisa levar cópia dos atos constitutivos da empresa e alterações no caso de o contribuinte constituir-se pessoa jurídica. Tanto pessoas físicas quanto jurídicas precisam também levar a conta de saneamento ambiental, nota de débito ou mandado judicial. O Renegocia Semasa contempla débitos gerados até 31 de julho de 2018.


segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Um comportamento chamado “ser” em qualquer “estar”

Por Andréa Tartuce*

Nos tempos digitais, convivemos com uma espécie de vírus com o qual o ser humano se alia, em dado momento, para mascarar seu real comportamento, ajustando-o de acordo com a necessidade do ambiente inserido na ocasião. No ambiente de trabalho, por exemplo, essa alteração comportamental é bastante frequente, principalmente quando há interesse individual se sobrepondo ao do coletivo.

Eis um conflito ético-moral merecedor de um olhar personalizado no sentido de provocar estranhamento à sociedade moderna que, a todo instante, se inspira em comportamentos postos na vitrine como sendo apropriados ou não, sem ao menos levar em consideração seu contexto de realidade, costumes etc. Essa facilidade de troca de comportamento se dá em razão da falta de acesso ao planeta psíquico, como explica o psiquiatra Augusto Cury, justificando tamanha vulnerabilidade ao “fenômeno das aparências”.

Foto: Divulgação
Metáforas à parte, atualmente o “ser” não se apóia à ética (reflexão), de modo que se reverbera negativamente ao “estar”, ou seja, à moral (ação). O que se entende por apropriado ou não, deve condizer com a maneira que se age. Do contrário, não faz sentido pregar algo longe de coincidir com a prática.

O que mais se vê, infelizmente, é indivíduo aconselhando o outro a saudar com “bom dia” o porteiro, mas é o primeiro a fingir não vê-lo. “Ser” em qualquer “estar” tem a ver com o comportamento que se tem em todo lugar, tem a ver com o “eu” em casa, na rua, no parque, no tratamento com os pais, com filho, com o líder, com o empregado… Tem a ver, segundo Clóvis de Barros Filho, com o que não se faria mesmo sendo invisível.

Será que nossas reflexões estão coerentes com nossas ações? Será que é possível pensar de um jeito e agir de outro? Será que os valores morais precisam ser adaptados ao ambiente e/ou pessoas que lá o integram?

A relação da ética com a moral deve ser harmônica e, de acordo com OSHO, o guru da meditação, a chave mestra desse alcance é a consciência, que, por sua vez, pode ser bem trabalhada com a combinação de dois pilares da Inteligência Emocional, criada por Daniel Guleman.

O psicólogo estaduniense, ao estudar sobre como viver de maneira plena, entendeu que as competências social e pessoal melhoram a vida do ser humano, pois auxiliam a edificar bons relacionamentos. Em síntese, o primeiro pilar, competência social, diz respeito à forma de conexão com o outro, enquanto que o segundo, competência pessoal, se refere à conexão consigo.

Logo, o desenvolvimento dessas habilidades contribui e muito com a construção de um ser ético e moral em constante progresso e, por conseqüência, ajudam também a fortalecer o comportamento do “ser” em qualquer “estar”, embora algumas situações nos proponham a, pelo menos, analisar convites indiscretos ou indelicados.

Por isso a importância do bom desenvolvimento das conexões acima citadas, pois servirão como freio para barrar qualquer sugestão que possa infectar a nossa integridade e dignidade ou de quem está conectado conosco direta ou indiretamente.

Mas, se ainda assim, esse freio não for suficiente para concluir se os eventuais convites são apropriados ou não, basta nos lembrarmos da sábia recomendação de Immanuel Kant: “Tudo que não puder dizer como fez, não o faça. Se há razões para não contar, há para não o fazer".

*Andréa Tartuce é advogada, psicopedagoga, mestranda em Direito Acadêmico (Linha "Justiça e o Paradigma da Eficiência"), especialista em Direito Público Global, coordenadora da ESA-Santo André e secretária-geral da OAB Santo André para o triênio 2016-2018.



Anistia Internacional: Bolsonaro representa risco para minorias

Da Redação

Com a eleição de Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão como presidente e vice-presidente do Brasil, ontem (28), a Anistia Internacional divulgou um comunicado, no qual afirma que o Bolsonaro representa “um enorme risco” para minorias.

As promessas de campanha de Bolsonaro incluem a flexibilização das leis de controle de armas e autorização prévia para policiais matarem em serviço | Foto: Reprodução 
A diretora da Anistia Internacional para as Américas, Erika Guevara-Rosas, ressalta os discursos do novo presidente. “O presidente eleito fez campanha com uma agenda abertamente anti-direitos humanos e frequentemente fez declarações discriminatórias sobre diferentes grupos da sociedade.

Sua eleição como presidente do Brasil representa um enorme risco para os povos indígenas e quilombolas, comunidades rurais tradicionais, pessoas LGBTI, jovens negros, mulheres, ativistas e organizações da sociedade civil, caso sua retórica seja transformada em política pública", afirma.

Já as promessas de campanha de Bolsonaro incluem a flexibilização das leis de controle de armas e autorização prévia para policiais matarem em serviço. Essas propostas, se adotadas, agravariam o já terrível contexto de violência letal no Brasil, onde ocorrem 63 mil homicídios por ano, mais de 70% deles com armas de fogo, e onde a polícia comete cerca de 5 mil homicídios por ano, muitos dos quais são, na realidade, execuções extrajudiciais.

Além disso, Bolsonaro ameaçou os territórios de povos indígenas com a promessa de alterar os processos de demarcação de terras e autorizar grandes projetos de exploração de recursos naturais. Da mesma forma, também falou sobre flexibilizar os processos de licenciamento ambiental e criticou as agências de proteção ambiental do Brasil, colocando em risco o direito de todas as pessoas a um ambiente saudável.

"Agora, com o processo eleitoral encerrado, enfrentamos o desafio de proteger os direitos humanos de todos no Brasil. A Anistia Internacional está ao lado de movimentos sociais, ONGs, ativistas e todos aqueles que defendem os direitos humanos, a fim de garantir que o futuro do Brasil traga mais direitos e menos repressão", comenta Erika.

O Brasil tem uma das taxas de assassinatos de defensores e ativistas de direitos humanos mais altas do mundo, com dezenas de mortos todos os anos por defender os direitos que deveriam ser garantidos pelo Estado. Nesse contexto grave, as declarações do presidente eleito, sobre colocar um fim no ativismo e reprimir os movimentos sociais organizados, representam um alto risco aos direitos de liberdade de expressão e manifestação pacífica, garantidos pela legislação nacional e pelo direito internacional.

Bolsonaro e Mourão, ambos militares da reserva no Brasil, também defenderam publicamente crimes do Estado cometidos durante o antigo regime militar, incluindo a tortura. Isso aumenta a perspectiva de graves retrocessos em direitos humanos, desde o fim do regime militar e a adoção da Constituição Federal de 1988.

"As instituições públicas brasileiras devem tomar medidas firmes e decisivas para proteger os direitos humanos e todos aqueles que defendem e se mobilizam pelos direitos no país. Essas instituições têm um papel fundamental a desempenhar na proteção do estado de direito e impedir que as propostas anunciadas se materializem. A comunidade internacional permanecerá atenta para que o Estado brasileiro cumpra suas obrigações de proteger e garantir os direitos humanos", finaliza Erika.



Bolsonaro é eleito com 57,7 milhões de votos

Da Redação com ABr

Neste último domingo (28), segundo turno das eleições, Jair Bolsonaro (PSL) obteve 55,13% dos votos válidos, conquistando 57.796.986 votos. Fernando Haddad (PT) teve 44,87% dos votos, o equivalente a 47.038.963 votos.

Ao lado da esposa, Bolsonaro votou no Rio de Janeiro | Foto: Reuters/Ricardo Moraes
A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, anunciou, por volta das 20h10, que Jair Bolsonaro estava matematicamente eleito novo presidente do Brasil. Segundo a ministra, o resultado da eleição foi definido às 19h18, com 94,44% das urnas apuradas.
A diferença entre os dois candidatos foi superior a 10,7 milhões de votos.

As abstenções somaram 21,3% (31,3 milhões de votos). Votos brancos foram 2,14% (2,4 milhões de votos) e nulos, 7,43% (8,6 milhões de votos).

Terceira menor vitória
Com esse resultado, Bolsonaro teve a terceira menor vitória no segundo turno desde a redemocratização. Ele venceu com vantagens maiores apenas que a de Fernando Collor de Mello, em 1989 (53,03%), e da reeleição de Dilma Rousseff, em 2014 (51,64%).

Em relação ao primeiro turno, o opositor Fernando Haddad (PT) cresceu mais que Bolsonaro. O petista ganhou 15.696.741 de votos do primeiro para o segundo turno, passando de 29,28% para 44,86%. Bolsonaro conquistou 8.519.962 de votos adicionais, saindo de 46,03% para 55,13%.

O índice de Haddad, entretanto, foi menor do que o de Dilma (55% em 2010 e 51% em 2014) e Lula (61% nas duas eleições de 2002 e 2005), que venceram as eleições em segundo turno. O PT perdeu cerca de 7 milhões de votos em relação à disputa do último segundo turno presidencial, em 2014.



sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Reitor confirma presença na audiência pública sobre bolsas na USCS

Da Redação 

A Audiência Pública marcada para a próxima quarta-feira (31) pelo vereador Professor Jander Lira (PP) para discutir a questão das bolsas de estudos na Universidade de São Caetano do Sul (USCS) tem a presença confirmada do reitor da instituição, Sidnei Bassi.

Vereador Jander Lira marcou audiência pública para a próxima quarta-feira (31)| Foto: Divulgação

Na avaliação do vereador, diante de inúmeras reclamações de alunos que perderam a bolsa de estudos nesse ano, é importante um posicionamento oficial da direção da USCS para a população entender o problema e, por outro lado, a direção da USCS compreender toda questão problemática de quem não tem condições de financiar os estudos e, por isso, era contemplado até recentemente com uma bolsa de estudos.

A audiência pública ocorrerá na Câmara Municipal de São Caetano do Sul, com a presença da direção da USCS. Jander informa que quem indica o reitor da universidade é o prefeito e que ele continua no cargo desde a administração passada, sendo que naquela época foram concedidas 1,2 mil bolsas para munícipes de São Caetano do Sul.

“Se o reitor é o mesmo, só mudou o prefeito, então por que houve essa redução para apenas 200 bolsas de estudos concedidas nesse ano?”, pergunta, que lembrou que o atual prefeito, em sua campanha eleitoral, prometeu ampliar a quantidade de bolsas de estudos para moradores da cidade poderem estudar na USCS.



quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Por que voto nulo

Por Gilberto Natalini*

O segundo turno da eleição presidencial de 2018 não tem precedentes. Pode significar o fim da Era Lula da Silva/Dilma Rousseff/Michel Temer (2003 – 2018), marcada pela corrupção, e ao mesmo tempo trazer sérios riscos de retrocesso à democracia e à ampla liberdade, garantias que permitem expressar opiniões e criticar o presidente da República, por exemplo, sem medo de sofrer retaliações.

Por traz da fala mansa do candidato Haddad, espécie de laranja de Lula da Silva, os velhos caciques do PT estão dispostos a pôr em prática uma receita que o Brasil conhece bem e está farto – responsável por 13 milhões de desempregados e outros 62 mil assassinatos por ano. Representante do presidiário de Curitiba, Haddad manteria a fórmula surrada de alianças com o chamado Centrão e a distribuição de cargos estratégicos, por meio dos quais os políticos continuariam a roubar os recursos que deveriam financiar o desenvolvimento do país. Voltariam todos a se organizar para assaltar o Estado. A eleição de Haddad seria mais do mesmo.

Já o candidato Bolsonaro é um salto no escuro. Isolado, sem alianças, o ex-capitão do Exército, um deputado inexpressivo, mostra seu despreparo ao fugir dos debates. Quase não tem o que dizer. Esconde-se, protegido pelas redes sociais e seu exército de disseminadores de fake news. Além disso, Bolsonaro instiga ódio, violência, intolerância e é capaz de idolatrar sujeitos como o ex-coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, um assassino que prestou "serviços" ao regime militar (1964 – 1985). E não adianta defendê-lo – eu sou uma de suas vítimas, prova viva de que Ustra torturava pessoas sequestradas e presas ilegalmente nos porões da ditadura. Torturou-me em 1972. Fiquei com deficiência auditiva permanente.

O Brasil está encalacrado. Candidato do sistema, Haddad não teria alternativa a não ser baixar a cabeça e dar guarida aos privilégios que fazem do Brasil um país injusto, desigual e subdesenvolvido. Não passaria de marionete, uma Dilma Rousseff sem saias, dependente do apoio político do chefe e, por isso mesmo, pronto a obedecê-lo, mesmo que as ordens agora venham da cadeia.

Por sua vez, Bolsonaro está longe de possuir as credenciais e qualidades de um chefe de estado, como o Brasil tanto precisa. Após 50 anos de luta pela democracia, constrangido e ciente da reação emotiva do eleitorado contra os malfeitos perpetrados pelo PT, tomei minha decisão: voto nulo.

Não tenho dúvidas de que chegamos a essa difícil quadra da vida política brasileira graças às lambanças promovidas pelos governos do PT. Agora, independentemente do resultado final da eleição, caberá às forças democráticas a firme defesa das instituições e das conquistas sociais, ameaçadas por duas candidaturas extremas que, por ironia, se tornam semelhantes em seus radicalismos. Nós, democratas, não deixaremos o Brasil retroceder para uma ditadura, seja de esquerda ou de direita.

*Gilberto Natalini, 66, vereador (PV-SP), foi secretário do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo



Brasil e totalitarismo

*Leonardo Torres

A palavra das últimas semanas foi violência. Os jornais estão noticiando agressões por todo o Brasil. Nas redes sociais, vídeos estão sendo divulgados registrando discussões, brigas, espancamentos e mortes. O país que sempre se vangloriou de sua cordialidade, diversidade, alegria e amor, tornou-se o país do ódio e da violência.

De que lado o ódio está? Da esquerda ou da direita? Exclusivamente, de nenhum dos dois. O ódio está do lado do totalitarismo. Infelizmente, a motivação da facada que fez de vítima Jair Bolsonaro foi a mesma motivação que matou um mestre de capoeira, em Salvador.

O ódio, nesses últimos anos, tem sido gestado na alma do brasileiro, sendo alimentado pela angústia de um país cindido, de direitos perdidos, de educação e saúde precárias, de corrupção generalizada e de uma mídia que mais confunde do que informa. Tudo isso gerou, sem dúvidas, uma crise plural: social, política, mental, ambiental, etc.. Crise essa que é muito similar ao período alemão que precedeu o nazismo. Na história, vimos que o ódio, seja de qualquer povo, quando gestado, tem que escapar de alguma forma. E, na maioria das vezes, os povos elegem a forma mais primitiva e sombria para esse escape: a violência.

Hannah Arendt, grande estudiosa do totalitarismo, aponta que o embrião desse movimento é o isolamento dos indivíduos, ou seja, deixar todos contra todos – de fato, cindir a população. E então, fazer o povo crer em uma bipolaridade do que é verdadeiro e do que é falso. Do que é real e do que é irreal. De quem é o herói e de quem é o inimigo. Essa dinâmica, muito recorrente em nossos antepassados, não é algo difícil de ser aderida pela população, pois ela é simples, não é preciso pensar muito, nem estudar, nem se aprofundar. É algo dado. E parece ser mais atual do que nunca em nosso país.

No Brasil, existe a dinâmica "pai-herói contra o mal". Somos um país que possui a alma do órfão ferido. Não temos um fundador ou herói da nação na História, tentaram enxergar o pai-herói em Tiradentes, em Vargas, nos militares, em Collor, em Lula, em Moro (pediram até que ele se candidatasse) e, agora, em Jair Bolsonaro. Curiosamente, não é à toa o número de filhos que não tem o nome do pai em suas certidões de nascimento.

Nessa polarização, considerar um como pai-herói é imputar no outro todo o mal existente. Essa é a dinâmica do bode expiatório, estudada por Rene Girard, cuja finalidade é a contenção das tensões sociais pelo derramamento de sangue, pela violência. Portanto, é necessário ponderar a exaltação de um ou outro candidato, principalmente quando ele promete resolver os problemas de forma rápida e prática.

Nossa recente pesquisa sobre contágio psíquico demonstra que uma parte da comunicação humana não se dá somente pela linguagem, mas também pelas emoções, sejam benéficas ou maléficas. E, assim como a comunicação, o contágio psíquico é um dos formadores dos pensamentos e julgamentos de uma sociedade. O ódio é uma emoção, portanto, é contagioso. Ele não passa pelo crivo da racionalidade, ele está aquém dela. Ele é irracional e inconsciente, e isso dá as bases para o isolamento e para a bipolaridade vividos hoje. De certa forma, o ódio está na alma.

Apesar de termos percebido agora, é responsabilidade nossa tudo o que está sendo gestado em nossas almas, consciente ou inconscientemente. Resta-nos escolher se vamos ou não nos contagiar por essas emoções.

*Leonardo Torres, 28 anos, doutorando e mestre em Comunicação e Cultura Midiática, palestrante e professor universitário.


terça-feira, 23 de outubro de 2018

Santo André não terá aumento no IPTU em 2019

Por Vitor Lima

O prefeito de Santo André, Paulo Serra, esteve na Câmara Municipal hoje (23) para protocolar o projeto referente à cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de 2019. Em breve pronunciamento aos vereadores e munícipes presentes no plenário, Serra adiantou o teor da matéria e garantiu que não haverá mudanças no tributo – o único reajuste se dará de acordo com a inflação oficial do País.

Havia a expectativa de que o texto contemplaria a atualização da Planta Genérica de Valores (PGV), que não é alterada desde 2002. A PGV é o documento fiscal da cidade, isto é, o que determina o valor venal dos mais de 200 mil imóveis do município – com base do valor venal é que se determina o quanto deve ser cobrado de imposto de cada propriedade.

Prefeito esteve na Câmara para apresentar projeto | Foto: VL
"Ouvindo a Câmara, a cidade de uma forma geral, a gente decidiu determinar que, em 2019, o IPTU não terá aumento".

Durante o primeiro ano de governo, o prefeito defendia a atualização do cadastro constantemente. Em conversa com os jornalistas, Serra admitiu que o cadastro é “ultrapassado, antigo e que realmente atrapalha o desenvolvimento da cidade”. Mesmo assim, o prefeito afirmou que não irá alterar a PGV em seu mandato.

“O remédio, quando a gente erra na dose, se torna veneno. A gente quer que o remédio seja a cura para um mal que a cidade tem”, justificou.

Assim, o chefe do Executivo se blinda dos efeitos políticos negativos da medida. Vale lembrar que, em 2017, o Executivo enviou projeto ao Legislativo sobre o assunto. O texto foi aprovado, mas a atualizaçã na PGV gerou diversos erros e distorções nos valores contidos nos boletos. Os excessivos aumentos revoltaram a população, que se mobilizou para pedir a revogação da medida. Após muita pressão popular, dos vereadores e de setores organizados da sociedade civil, Serra se viu acuado e foi obrigado a recuar e cancelar o projeto.

De acordo com informações cedidas pelo próprio prefeito, estima-se que a atualização na PGV geraria um aumento de, aproximadamente, R$ 150 milhões na arrecadação da cidade.

A não entrada deste valor nos cofres municipais é compensada, na visão de Serra, pelas medidas de redução de gastos adotadas pelo Executivo e pelo aumento na arrecadação de Imposto Sobre Serviços (ISS) em Santo André. De acordo com ele, esses itens geraram cerca de R$ 90 milhões ao município, 60% do valor que seria arrecadado com a atualização.

O índice de inadimplência neste ano em relação ao tributo foi de pouco mais de 20%. Mesmo assim, a arrecadação de IPTU prevista para 2019 é de R$ 360 milhões. “Santo André está pronta para crescer. O nosso diagnóstico é muito realista, mas as soluções são otimistas. Devemos ter 2019 de muita entrega, muito trabalho, para tirar do papel uma enormidade do plano de governo”, projeta o prefeito.


Aluna de Santo André vence desafio culinário e ganha curso na Itália

Da Redação

Com um fettuccine ao ragu de linguiça suína flambado na cachaça, a estudante Mariane Fausto Felix venceu nesta segunda (22) o desafio culinário Uma massa criativa dentro da tradição italiana. A disputa foi realizada entre alunos do curso técnico de Cozinha das Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) no laboratório da unidade Santa Efigênia, na Capital. Mariane, que estuda na Etec Julio de Mesquita, de Santo André, ganhou uma bolsa de estudos no Italian Institute for Foreigners (ICIF), em Piemonte, na Itália. O embarque deve ocorrer em outubro de 2019.

“Em casa sempre comemos linguiça com abóbora, então, coloquei esses ingredientes na receita. A cachaça dá o diferencial”, conta a estudante. “Acredito que (a viagem à Itália) será uma experiência única, que vai me agregar conhecimento e cultura.” A jovem está no segundo semestre do curso técnico e pretende seguir carreira na gastronomia. Mariane é formada  em Relações Internacionais, mas percebeu que sua verdadeira paixão está nas panelas.

Mariane preparou um fettuccine com ragu de linguiça flambado na cachaça | Foto: Divulgação
Outros cinco estudantes participaram da final com receitas que transitaram entre o clássico italiano e a cozinha brasileira. Ana Caroline Alexandre da Silva, da Etec Camargo Aranha, ficou em segundo lugar com uma receita usando molho de beterraba e quiabo defumado e terá a oportunidade de estudar culinária italiana no ICIF do Brasil. Mais de 30 estudantes se inscreveram para a competição. A competição teve o apoio da Colavita.

Rumo à Itália

Mariane é a segunda aluna do Centro Paula Souza premiada com bolsa de estudos para estudar no ICIF italiano. Thayna Cruz, autora da melhor receita de risotos em um desafio no ano passado, embarcou em outubro e está estudando no Costigliole d’Asti, sede da instituição italiana, com todas as despesas pagas. Em novembro, ela inicia estágio em restaurante da região.

Conheça a receita vencedora de 2018:

Fettuccine ao Ragu de Linguiça Suína flambado na cachaça

Rendimento: 4 porções

Tempo de preparo: 40 minutos

Ingredientes:

Macarrão fettuccine Colavita a nido – 340g

Azeite – 50 ml

Linguiça suína – 400g

Cachaça branca – 50 ml

Cebola – 150g

Alho poró – 50g

Abóbora cabotiá = 100g

Alho – 60g

Molho de tomate pelado – 480g

Sal – 1g

Pimenta preta moída – 1g

Noz moscada – 1g

Tomilho (1 ramo) – 3g

Alecrim  (1 ramo) – 3g

Manjericão (1 ramo e folhas soltas) – 5g

Queijo parmesão ralado – 120g

 Modo de preparo:

Tire a tripa da linguiça e corte a carne em pedaços pequenos. Em uma frigideira quente, coloque um fio de azeite e doure bem a linguiça. Acrescente uma dose de cachaça para deglaçar a panela e flambe.

Quando o álcool evaporar, adicione a cebola, o alho, a abóbora e o alho poró picados. Salteie, mexendo ocasionalmente, por cerca de cinco minutos. Adicione o molho de tomate pelado.

Acrescente as ervas (tomilho, alecrim e manjericão) em buquê garni.

Deixe cozinhar por cerca de 15 minutos ou até os tomates desmancharem. Caso seja necessário, coloque um pouco de água para não secar o molho.

Cozinhe o fettuccine em uma panela com 4 litros de água fervente com sal até ficar al dente. Tire o buquê do molho, tempere com sal e pimenta a gosto. Junte a massa ao molho.

Retire do fogo para servir em quatro pratos. Sirva com queijo parmesão ralado fresco e folhas de manjericão.


segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Alternativas de solução de conflito e a cultura do litígio

Por Andréa Tartuce*

Concordar e discordar são verbos muito presentes no nosso cotidiano, o que não é desagradável de modo geral. Entretanto, se não acompanhados por algumas capacidades, como flexibilidade e senso crítico, o desejo por litigância se manifesta e inspira pedido de “socorro” ao Estado.

Muitos pedidos são encaminhados ao Judiciário diariamente e a demanda volumosa enseja um congestionamento quase que infindável, até porque é humanamente impossível os servidores públicos cumprirem efetivamente o princípio da celeridade diante de uma demanda tão intensa. Esta situação decorre da cultura do litígio, ou seja, aquela ideia ilusória de que só se soluciona um conflito quando este estiver judicializado.
Foto: Divulgação

Mas os dados do Relatório Justiça em Números revelam que, anualmente, essa cultura belicosa é ineficiente, sendo primordial considerar as formas alternativas de solução de conflito, as quais auxiliam a cultuar o diálogo, afastando-se, assim, o espírito de batalha que reina entre a sociedade.

O Código de Processo Civil de 2015 trouxe diversas inovações de grande valor para o tema, com forte incentivo aos meios alternativos para a solução de conflito, como se observa no art. 3º, §3º, a Mediação e a Conciliação como métodos a serem estimulados por juízes e advogados, por exemplo. No §1º do mesmo art., está prevista a Arbitragem, outro meio alternativo já regulamentado pela Lei Nº 9.307, de 23 de Setembro de 1996.

A legislação, então, tem feito sua parte. E o advogado, que representa uma autoridade diante de seu cliente, precisa atualizar seu perfil profissional e apresentar a ele os referidos métodos amigáveis desde o primeiro contato.

Vale lembrar que o advogado é ESSENCIAL e INDISPENSÁVEL para a solução de qualquer conflito, pois o cargo, o conhecimento, o peso da OAB (uma das instituições com maior prestígio e aprovação social), lhe conferem o poder de guiar seu cliente no caminho que julgar adequado.

Se a referida autoridade for exercida de forma belicosa, o advogado terá um cliente disposto a litigar até o fim, mesmo que não se resolva o problema, ou se resolva com tal demora, perdendo o sentido do pleito.

Já com um espírito Conciliador e Mediador, pode-se chegar a resultados bem mais eficazes, no famoso esquema “ganha-ganha”. Nem sempre é uma questão de justiça, mas sim de viabilidade. Buscar o bom acordo pode, em última instância, significar vantagem para todas as partes, inclusive para o advogado, que receberá de forma célere e terá a oportunidade de alcançar mais clientes.

No final, andamos tanto e voltamos à sabedoria dos mais antigos, onde se dizia com voz mansa naquela conversa de cozinha: “Calma, pensa melhor. Às vezes um bom acordo vale ouro”.


*Andréa Tartuce é advogada, psicopedagoga, mestranda em Direito Acadêmico (Linha "Justiça e o Paradigma da Eficiência"), especialista em Direito Público Global, coordenadora da ESA-Santo André e secretária-geral da OAB Santo André para o triênio 2016-2018.



sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Banda Maskavo é um dos destaques culturais no USCS Day

Da Redação

Amanhã (20), a Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) recebe as bandas Maskavo, Circuladô de Fulô e Contexto, a partir das 17h, finalizando as atividades do USCS Day. O evento, que recebe interessados em ingressar no ensino superior, além de membros da comunidade, será composto de diversas atividades, como orientação profissional, apresentação dos cursos oferecidos, oficinas e workshops. Interessados que participarem de atividades do USCS Day terão direito a ingressos para o show.
Foto: Divulgação
 Sobre o USCS Day

O USCS Day, que chega à sua segunda edição neste sábado (20), das 11h às 17h, tem o intuito de abrir as portas da Universidade para apresentar seus cursos e infraestrutura, com diversas atividades e serviços para aqueles que buscam escolher sua profissão ou conhecer melhor a área que pretendem seguir. A entrada e as atividades são gratuitas e abertas à comunidade. Interessados já podem realizar sua inscrição em: http://www.uscs.edu.br/hotsite/uscsday.

No evento, o público terá a oportunidade de conhecer melhor a universidade e as características dos mais de 40 cursos de graduação oferecidos, conversando com gestores e professores, participando de palestras, oficinas e outras atividades relacionadas à vida acadêmica e profissões. Além disso, será realizado um hackaton, maratona na qual grupos competem entre si, buscando encontrar soluções criativas para um desafio específico.

O espaço contará ainda com serviços à comunidade, arena geek, festival cosplay, espaço gamers, atividades culturais, oficinas (grafitti, street art, youtuber, maracatu, cestaria, circo etc) e espaço gourmet (feira gourmet e vegana). No dia, a Plug Rádio USCS, rádio universitária da instituição, realizará a cobertura e transmissão de todo o evento.

O USCS Day ocorre no Campus Barcelona (Avenida Goiás, 3400, Barcelona, São Caetano do Sul), das 11h às 17h. Mais informações e inscrições em www.uscs.edu.br/uscsday.


quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Ministério libera R$ 3 mi para obras do Plano Diretor de Mobilidade do ABC

Da Redação

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC informou por meio de veiculação no Diário Oficial da União (DOU) o recebimento, em 9 de outubro, do valor de R$ 3.294.708,39, que é referente à 21ª medição dos projetos dos corredores, e as quatro primeiras parcelas do Projeto Executivo do Centro de Controle de Operações (CCO).

O Plano Diretor de Mobilidade do Grande ABC, elaborado pelo Consórcio Intermunicipal, tem como objetivo propor ações regionais de mobilidade urbana que subsidiem políticas e projetos integrados entre os municípios da região. A iniciativa abrange, dentre outras ações, a reorganização das redes municipais e metropolitanas de transporte coletivo, intervenções físicas em obras de ampliação da infraestrutura viária e medidas operacionais de gestão da circulação.

Em 2015, o Ministério das Cidades autorizou para o Consórcio ABC o repasse de R$ 31,6 milhões, sendo R$ 26,4 milhões para 21 projetos funcionais e básicos de engenharia para a requalificação de corredores preferenciais para transporte coletivo e R$ 4,7 milhões para o projeto do Centro de Controle de Operações (CCO). Os recursos estavam previstos no PAC Mobilidade Urbana do ABC.

Desde 2016, o Consórcio está elaborando, a partir dos recursos federais, os 21 projetos funcionais e básicos de engenharia que têm como objetivo de melhorar a fluidez e desafogar gargalos do transporte público. Em março deste ano, o Ministério das Cidades autorizou o repasse para o projeto executivo do CCO, que havia sido anunciado em 2013, pela então presidente Dilma Rousseff, e só foi liberado neste ano graças ao trabalho do Consórcio para destravar o repasse por meio de tratativas junto à pasta.

Por procedimento, os repasses, realizados periodicamente pela Caixa Econômica Federal, são divulgados no Diário Oficial da União e em jornais de grande circulação locais.


quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Campanha em prol da APAE é apadrinhada por Péricles

Da Redação

O sonho, considerado um dos carro-chefe da Padaria Brasileira, é mais uma vez o pãozinho doce e fofo para ter parte da verba revertida em doação para a APAE Santo André e o padrinho da ação este ano é o cantor andreense Péricles. A loja matriz recebeu ontem (16) o artista e as crianças da entidade para marcar o início da 7ª edição da campanha "Alimente esse Sonho".

Andreense Péricles é padrinho da campanha
"Alimente Esse Sonho", da Padaria Brasileira | Foto: Arquivo
Até 30 de outubro os clientes também podem participar da campanha comprando sonhos e ajudando a divulgar em suas redes sociais a hashtag #alimenteessesonho. Ao comprar o pacote com 10 unidades (R$ 12) no sabor de creme, doce de leite ou brigadeiro de leite, o valor de R$ 3 é automaticamente revertido para a entidade.

A escolha do produto "sonho" surgiu no primeiro ano da campanha por ser um dos itens mais comercializados em toda a rede e só em 2017 foram mais de 116 mil sonhos vendidos, conta o diretor da Padaria Brasileira, Antonio Henrique Afonso Junior. "Nossa meta é que este ano a contribuição seja ainda maior com a participação de artistas e atletas da região e a mobilização das redes sociais", explica.

A instituição, sem fins lucrativos, há 54 anos presta assistência nas áreas de educação, saúde e assistência social a portadores de deficiência intelectual e múltipla, assim como a seus familiares e tutores, buscando promover amparo e inclusão. São centenas de pessoas, sendo 294 assistidos diretamente, de todas as idades, além de tutores, familiares e apoiadores.


terça-feira, 16 de outubro de 2018

Direita andreense também se mobiliza e convoca manifestação

Por Vitor Lima

Além do ato contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), Santo André receberá, também no próximo domingo (21), a manifestação "Todos contra o PT! Ato pelo Brasil", em apoio ao candidato da extrema-direita, às 10h, no Paço Municipal da cidade, no Centro.

Arte: Reprodução
A manifestação foi convocada pelo Movimento Brasil Livre (MBL). Na descrição do evento no Facebook (que pode ser acessado aqui), os organizadores alertam para o "risco da volta da esquerda ao Planalto e também no Estado de São Paulo". O texto ainda clama para todos irem de verde e amarelo "a favor da direita e do Brasil".


Santo André recebe ato cultural contra Bolsonaro

Por Vitor Lima

No próximo domingo (21), Santo André receberá o ato “Resistência ao Retrocesso”, em frente a Escola Estadual Américo Brasiliense (na Praça Quarto Centenário, no Centro), das 10h às 19h. Na ocasião, diversos artistas e grupos farão apresentações culturais gratuitas em “defesa da democracia”.
Arte: Divulgação

Um dos organizadores, Edson José da Silva, explica que a motivação para o ato é o momento político do País e as eleições do próximo dia 28. “Infelizmente caminhamos para um retrocesso inimaginável. Daí a união para contribuir de alguma forma para não eleger o candidato fascista”, comenta, em referência ao candidato Jair Bolsonaro (PSL).

Na descrição do evento no Facebook (que pode ser acessado aqui), os organizadores ressaltam que o “outro lado”, representado pelo candidato do PSL, “age com violência e barbárie. Acreditamos que é necessário combater com inteligência e conhecimento”.

Até o momento, estão confirmadas 17 atrações culturais durante o ato – todos os artistas, grupos e coletivos se apresentarão de forma voluntária, em apoio às pautas do ato. Também estão programadas oficinas de arte para crianças.

“É uma satisfação imensa fazer parte desta turma, todos temos o mesmo propósito de contribuir de forma sensata para que o eleitor não eleja o  proliferador de ódio”, afirma Silva.


O novo rosto da política brasileira

Por Cícero Bezerra*

Esta eleição marcada pelas redes sociais e pela velocidade da divulgação das intenções de votos - e que em alguns casos se tornaram impossíveis de serem medidas pelos institutos - trouxe para o cenário político brasileiro 243 parlamentares que exercerão seu primeiro mandato compondo um índice acentuado de renovação.

Seguem alguns que se destacaram:

Joice Hasselmann (PSL) - Segunda candidata mais votada para a Câmara dos Deputados em São Paulo, com mais de um milhão de votos. É jornalista, tem 40 anos, se destacou no Paraná e depois mudou-se para São Paulo seguindo “debaixo do guarda-chuva” do candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL).
Jovem formada em Harvard teve mais de 200 mil votos em sua primeira eleição | Foto: Reprodução 
Um destaque para a jovem Tabata Amaral (PDT) - Nascida na periferia de São Paulo, formou-se em Ciências Políticas e Astrofísica na Universidade de Harvard. Lançou seu nome e foi eleita.

André Janones (Avante) - Terceiro candidato à Câmara dos Deputados mais votado por Minas Gerais, com 178,6 mil votos, o advogado, de 34 anos, ficou conhecido como voz ativa na greve dos caminhoneiros de 2018, sem, contudo, nunca ter dirigido um caminhão – assim, conclui-se que é alguém que soube aproveitar uma crise social para se promover.

Áurea Carolina (PSOL) - Com bandeiras como o combate ao racismo e em defesa dos direitos das mulheres, foi a quinta deputada mais bem votada, com 162,7 mil votos.

Helio Negão (PSL) - Uma das novidades na Câmara, o candidato mais votado pelo Rio de Janeiro é afilhado de Jair Bolsonaro, e obteve 345.234 votos. Subtenente do Exército, 49 anos, fez várias aparições ao lado do presidenciável.

Flordelis (PSD) - Outra cara nova na bancada do Rio de Janeiro na Câmara, ela é pastora evangélica e cantora gospel. Tem 55 filhos (quatro deles são biológicos) e um instituto que acolhe crianças e adolescentes de rua.

Marcel van Hattem (Novo) - Campeão de votos para a Câmara Federal no Rio Grande do Sul, aos 32 anos é um político crítico da esquerda e que se define como liberal. Aos 18, foi eleito vereador de Dois Irmãos, no Vale do Sinos.

Marlon Santos (PDT) - O médium de 43 anos tem trajetória na política, mas chega pela primeira vez ao Congresso Nacional. Ele já foi deputado estadual do Rio Grande do Sul e prefeito de Cachoeira do Sul, sua cidade natal.

Eduardo Bolsonaro (PSL) – 34 anos, filho de Jair Bolsonaro, foi o deputado federal mais votado de São Paulo e de todo o Brasil. Seu desempenho foi de 1,8 milhão de votos, o mais alto para um candidato a deputado federal na história.

Esse é o rosto plural da nossa representatividade. Cabe agora acompanhar, buscar representatividade, monitorar para que as necessidades reais dos cidadãos sejam atendidas, que leis justas sejam implementadas e que a justiça de Deus prevaleça sobre nossa terra querida e amada, o Brasil.

*Cícero Bezerra é coordenador do curso de Teologia Bíblica Interconfessional do Centro Universitário Internacional Uninter.



segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Nossa Constituição é uma mulher adulta

Por Andréa Tartuce

Neste mês celebramos os 30 anos da promulgação da nossa Constituição Federal, nosso principal símbolo do processo de redemocratização nacional.

Olho para nossa Constituição como quem olha para um adulto crescido e vê a lembrança de um recém-nascido. Três décadas de uma Carta Magna que nasceu em um contexto pós ditadura, cheio de repressão e autoritarismo. Eram tempos mais duros...

Os mais de 20 anos galgados no período de exceção, amargamente testemunhados por cada cidadão da época, inspiraram a produção de uma Constituição mais justa. Todas as dores sofridas precisavam estar prevenidas ali. Talvez por isso ela tenha nascido tão parruda, com tanto peso. A desigualdade social, o fim da tortura, do autoritarismo, a defesa da democracia, tudo estava nela.

Foto: Divulgação
Tratou também de se proteger com cláusulas que dificultavam sua mutilação e por já imaginar o quanto seria atacada, criou as cláusulas pétreas para guardar o que lhe era mais precioso. Boa mãe, escreveu de forma definitiva que “a criança é prioridade absoluta” e positivou uma gama de direitos fundamentais.

Então, em 5 de outubro de 1988, estabeleceu-se a dignidade da pessoa humana como fundamento da República Federativa. Queríamos construir uma sociedade livre, justa e solidária.

Como madrinha, a nossa Constituição, também chamada de Carta Cidadã, tinha a Declaração Universal dos Direitos Humanos, que já havia consolidado a dignidade como inerente a qualquer membro da família humana, em 1948.

Na verdade, sua construção foi um processo aberto onde diversos intérpretes atuaram na construção da pluralidade. Mas trinta anos depois, temo que esta jovem tenha envelhecido mal. Já tivemos mais de 100 Emendas para atender necessidades diversas.

Ouço, a todo o momento, brados pedindo um novo texto Constitucional, pois este está “muito desatualizado”. Será que mudamos tanto assim? Será que, ao contrário do que se tem da sabedoria, os anos não consolidaram nossos valores, mas os modificaram? A dignidade da pessoa humana deve ser relativizada?

Adaptações são bem-vindas, sempre. É preciso se reinventar, mas também é preciso guardar a essência, o que faz de nós um povo, uma Nação. Abandonar o que foi tão custoso alcançar, e pior, o que sequer conseguimos implantar, me parece uma prova de imaturidade, não da Constituição, mas da sociedade ou parte dela.

Será que o tempo nos fez mal? Sopro as velinhas desta amiga que completou seus 30 anos e desejo profundamente que não.

*Andréa Tartuce é advogada, psicopedagoga, mestranda em Direito Acadêmico (Linha "Justiça e o Paradigma da Eficiência"), especialista em Direito Público Global, coordenadora da ESA-Santo André e secretária-geral da OAB Santo André para o triênio 2016-2018.


quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Instituições religiosas lançam manifesto contra Bolsonaro

Da Redação 

No próximo dia 28, ocorre o segundo turno das eleições para Presidente da República e governadores, em alguns Estados. Na disputa, estão os presidenciáveis Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Ao longo da sua trajetória política, Bolsonaro fez declarações polêmicas, muitas delas, com conteúdo fascista e preconceituoso, com isso, muitas instituições temem pelo futuro do Brasil, caso ele seja eleito. Abaixo mais um manifesto contra o candidato do PSL.

Fernando Haddad e Manuela D’Ávila recebem o apoio de diversas instituições religiosas | Foto: Reprodução 
“Manifesto inter-religioso contra a barbárie

Nós membros dos movimentos que subscrevem este manifesto, vimos a público neste momento decisivo em que a barbárie desafia a civilização, nos manifestar em nome da democracia.

Somos parte das três religiões monoteístas do mundo. Acreditamos em um Deus de bondade e de amor. Um Deus que ama todas suas criaturas, não importa sua cor ou seu gênero. Ele nos fez à sua semelhança, e nossa diversidade é a prova de um Deus que está em cada um de nós.

Toda vez que a fé foi utilizada para promover a paz, tivemos progresso e convivência pacífica entre os seres humanos. Mas quando utilizaram dela para promover o ódio, tivemos os piores períodos da nossa história.

Não podemos colaborar para que estes tempos sombrios voltem a surgir entre nós. A barbárie que bate a nossa porta não pode entrar.

O Judaísmo trouxe ao mundo a Bíblia Hebraica, o Cristianismo trouxe ao mundo os Evangelhos e o Islã o Alcorão, livros sagrados que orientam o ser humano a um mundo de respeito ao próximo.

Todos aqueles que professam a sua fé em Deus e nos valores éticos e morais do monoteísmo estão conosco a favor da civilização e do direito de todos os seres humanos conviverem em paz e harmonia. Judeus, cristãos e muçulmanos irmanados por um Brasil para todos e contra o obscurantismo.

Possa Nosso Deus único nos proteger, permitindo que o bem vença o mal, o amor e a compaixão vençam o ódio que foi semeado no coração de cidadãos brasileiros e que nos ajude fazendo com que todos retornem a consciência da palavra de Deus, em suas ações!

Por tudo isso nós conclamamos o apoio aos candidatos Fernando Haddad e Manuela D’Ávila, através do seu voto.

Judeus contra Bolsonaro
Articulação Judaica
Movimento Nossa Voz - SP
Igreja Anglicana Latino Americana - MG
Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito
Abrahamicos Unidos - Rio de Janeiro
Mesquita Sumayyah Bint Khayyat – Embu das Artes-SP
Comissão Justiça e Paz – SP
Juprog
Grupo Católico de Oração e Solidariedade Rio Maria-RJ
Cristãos e Cristãs contra o fascismo
Evangélicos pela Justiça
Aliança de "Batistas do Brasil"
Grupo Católico de Oração e Solidariedade Expedito Ribeiro de Souza-RJ”.

Link relacionado:

Banco de sangue em São Caetano precisa de doadores com urgência

Da Redação

Os níveis do banco de sangue de São Caetano estão abaixo do esperado e, por esse motivo, a Prefeitura convida a população para que compareça ao Núcleo Regional de Hemoterapia Dr. Aguinaldo Quaresma (Rua Peri, 361, Bairro Santa Paula), mantido pela Associação Beneficente de Coleta de Sangue (Colsan), de segunda a sábado, das 8h às 12h, para reverter esse quadro.

“Pacientes que estão em tratamento no Centro de Oncologia e no Complexo Hospitalar Municipal dependem desse sangue”, alerta a secretária municipal de Saúde, Regina Maura Zetone. “A adesão de todos é uma união pela vida”.

  Foto: Divulgação/PMSCS
Segundo a enfermeira responsável pelo posto, Joice Caldas, a frequência atual é de, em média, 15 a 20 doadores por dia. “O ideal é até 30 coletas diárias para manter o estoque no nível desejado”, explica.

Procedimento

Na chegada, o doador preenche um formulário com algumas perguntas pessoais, que devem ser respondidas com extrema veracidade para imprimir ainda mais segurança ao procedimento, e são coletadas amostras para fazer a sorologia. Após 30 dias, são disponibilizadas informações como tipo sanguíneo, data para próximas doações e resultado de exames de hepatite (B e C), Aids, HTLV, doença de Chagas e sífilis.

Não é necessário marcar horário para doação, mas terão prioridade de atendimento aqueles que agendarem pelo aplicativo “Time do Sangue”. Para mais informações, o telefone do Núcleo Regional de Hemoterapia Dr. Aguinaldo Quaresma é 4227-1083.

Quem pode doar

Para doar, é preciso ter idade entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg, estar em boas condições de saúde, bem alimentado – evitar refeição gordurosa nas três horas que antecedem a coleta - e apresentar documento oficial com foto. Menores de 18 anos devem estar acompanhados dos pais ou responsáveis legais e apresentar cópia do documento de identidade dos adultos. Caso estejam desacompanhados, além dos documentos com foto, é preciso apresentar autorização para doação com firma reconhecida em cartório, que pode ser retirada no posto de coleta ou no site colsan.org.br.

Homens podem doar a cada dois meses, até, no máximo, quatro vezes no período de um ano. Mulheres podem doar a cada três meses, até, no máximo, três vezes no período de um ano.

Quem não pode doar

Segundo o Ministério da Saúde, estão definitivamente impedidas de doar sangue pessoas que tenham passado por quadro de hepatite após os 11 anos de idade, usuários de drogas ilícitas injetáveis e quem já contraiu malária, hepatites B e C, Aids (vírus  HIV), doença de Chagas ou associadas aos vírus HTLV I e II.

Há restrição temporária para quem está com gripe, resfriado ou febre (sete dias após desaparecer os sintomas), gestantes, mulheres em período pós-parto (90 dias para parto normal e 180 dias para cesárea), mulheres em fase de amamentação (até 12 meses após o parto), pessoas que ingeriram bebidas alcoólicas nas 12 horas que antecedem a doação, pessoas que fizeram tatuagem e/ou piercing nos últimos seis meses (piercing em cavidade oral ou região genital impedem a doação), extração dentária (72 horas), apendicite, hérnia, amigdalectomia e varizes (três meses), transfusão de sangue (um ano), exames/procedimentos endoscópicos (seis meses), vacinação (tempo variável conforme o tipo de imunização recebida) e ter sido exposto a situações de risco acrescido para infecções sexualmente transmissíveis (aguardar 12 meses após a exposição).