segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Morte em supermercado. Quem é o culpado?

*Por Thomas Lanz 

 Uma onda de indignação e estarrecimento percorre nossas veias quando acompanhamos pelo rádio, TV e jornais notícias sobre balas perdidas ou ocorrências, até frequentes, de seguranças próprios ou terceirizados que pelas mais diversas razões chegam a ferir ou até levar a óbito suspeitos ou inocentes no exercício do trabalho.

O caso mais recente envolveu um segurança de uma grande rede de supermercados no Rio, o Extra, e a morte de um jovem de 25 anos. Mesmo dominando a vítima e sendo interpelado pelas pessoas ao redor para que parasse, o segurança insistiu de forma violenta em mostrar a sua autoridade  e brutalidade. O jovem veio a falecer pouco tempo depois.

Não podemos de deixar de apontar o funcionário da segurança como culpado pelo ocorrido. Mas pergunto: qual a culpa que leva a rede de supermercados ou a empresa terceirizada responsável pela segurança neste ocorrido?

Em primeiro lugar, há de se notar que as grandes empresas têm os meios de contratar assessorias de imprensa que rapidamente conseguem fazer desaparecer as notícias dos veículos de comunicação. Em segundo: o público em geral não consegue mais acompanhar o caso, que rapidamente cai em esquecimento. Não resta dúvida que o segurança no caso será processado e provavelmente enquadrado na lei. Mas as empresas que, de certa forma, são corresponsáveis, o que acontecem com elas além de terem que prestar depoimentos na delegacia responsável por apurar o caso?

Temos que levar a reflexão ao âmbito da Governança Corporativa. Além de ter que ser transparente e prestar contas aos seus stakeholders, o que pedem as boas práticas de Governança Corporativa, o compliance como ferramenta de governança e a serviço dos Conselhos de Administração deveria apresentar a todos  as regras da empresa relacionadas a questões de segurança, proteção a seus clientes e exigências frente a contratação de empresas terceirizadas.

Queira ou não a rede de supermercados e a empresa terceirizada deveriam ser corresponsabilizadas pelo sinistro acontecimento. Mais uma vez pergunto: será que as autoridades investigam a fundo as normas de contratação de empresas de segurança?.

O compliance da contratante deveria, durante o processo de seleção de prestadores de serviços, exigir de forma detalhada os procedimentos e critérios adotados na contratação dos homens que prestarão os serviços de segurança. Afinal, uma das missões dessas empresas é proteger vidas e zelar pela ordem pública. Será que todas as regras, processos e procedimentos são estudados e analisados pelas autoridades? Caso sejam verificados desvios ou descumprimentos, as empresas ou seus gestores são punidos?

Com certeza muito ainda terá que ser realizado nesta área, começando pela transparência das empresas. O público não é levado em consideração. Presume-se também que as contratações tanto de empresas de segurança, como daqueles que farão a segurança propriamente dita, carecem de cuidados especiais.

Ao contratarmos uma empresa de engenharia para construir nossa casa e esta subcontrata uma hidráulica para instalar os encanamentos, que por uma ou outra razão se rompem após um certo tempo, quem será por nós chamada a prestar esclarecimentos e ser eventualmente punida? Não resta dúvida que é a empresa de engenharia.

No caso discutido neste breve artigo, quem deverá levar a culpa: o segurança, a empresas de segurança ou a rede de supermercados?

*Thomas Lanz é fundador da Thomas Lanz Consultores, especializada em governança corporativa, sucessão, mentoring e reestruturação societária. 

Estação Santo André recebe campanha de vacinação contra febre amarela

Da Redação 

Quem passar pela Estação Santo André, que atende a Linha 10-Turquesa, nesta terça-feira (19), poderá se vacinar contra a febre amarela. Vale lembrar que para participar é necessário apresentar documento de identificação e, se houver, caderneta de vacinação atualizada. A ação acontece das 8h às 12h.

Ação ocorre das 8h ás 12h | Foto: reprodução 
A febre amarela é uma doença infecciosa transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que costuma ter maior proliferação entre os meses de dezembro e maio, devido aumento da temperatura.

Entre os principais sintomas da doença estão: febre, dor de cabeça e vômitos, podendo causar, nos casos mais graves, complicações cardíacas, hepáticas e renais. Dessa forma, a vacinação é uma importante forma de prevenção.

A campanha é uma ação da Secretaria da Saúde e conta com apoio da CPTM, que abre espaços em suas estações para a realização de atividades ligadas a promoção da saúde e bem-estar dos passageiros.

Após sair da prisão, prefeito de Mauá reassume o cargo

Da Redação com ABr

O prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), reassumiu nesta segunda-feira (18) o mandato. Ele estava preso, desde dezembro do ano passado, e foi solto após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, conceder um habeas corpus na última quinta-feira (14).

Atila Jacomussi (foto) foi solto pelo ministro Gilmar Mendes | Foto: Arquivo
Em comunicado divulgado pelas redes sociais,  Jacomussi lamenta os estragos feitos pelas chuvas do fim de semana no município. Os deslizamentos de terra mataram quatro crianças em Mauá. A Defesa Civil interditou 20 casas que apresentavam riscos. Famílias desalojadas foram levadas ao Ginásio da Vila São João.

O prefeito disse que pretende decretar luto pelas mortes. “Quero deixar meus sentimentos aos familiares e para toda Mauá pela tragédia do deslizamento no Jardim Zaíra, mais precisamente na Rua Anne Altomar, neste sábado (16), em decorrência das chuvas, que vitimou quatro crianças que tinham um grande futuro pela frente”, diz o comunicado.

Jacomussi acusou a gestão interina - comandada por Alaíde Damo  - que assumiu a prefeitura enquanto ele estava preso, de paralisar as intervenções que estavam em andamento no local onde ocorreram as mortes. “Nesta segunda-feira, reassumiremos a Prefeitura de Mauá e vamos imediatamente dar toda a atenção aos moradores da região”, acrescenta a nota.

Operações policiais
A prisão de Jacomussi ocorreu durante as ações da Operação Trato Feito, deflagrada em 13 de dezembro pela Polícia Federal. Segundo o inquérito, Jacomussi liderava um esquema criminoso que chegava a movimentar R$ 500 mil por mês. As investigações indicam que eram cobrados entre 10% e 20% sobre os contratos da prefeitura para o pagamento de propinas. Eram fraudados os processos para aluguel de veículos oficiais, reforma de parques, serviços de limpeza e sinalização de vias. De acordo com a PF, o dinheiro era repassado para 22 dos 23 vereadores da cidade.

A Trato Feito é um desdobramento da Operação Prato Feito, deflagrada em maio, que apurava o desvio de recursos públicos da merenda escolar em diversas cidades de São Paulo. Na ocasião, Jacomussi também foi preso, sendo libertado por outra decisão de Gilmar Mendes, em junho. Atualmente, o prefeito de Mauá é alvo de um processo de impeachment aberto em janeiro.

A defesa do prefeito nega que ele tenha participado do esquema.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Eduardo Leite quer mototáxi em Santo André

Por Vitor Lima

O vereador Eduardo Leite (PT) apresentou à Câmara Municipal de Santo André o Projeto de Lei 12/2019, que visa regulamentar a atividade de Mototáxi o município. No ABC, nenhuma cidade dispõe do serviço, prática comum em outras regiões do País.

Proposta precisa do aval dos outros vereadores | Foto: Reprodução
De acordo com o vereador, 46% das cidades brasileiras autorizam o serviço. Na visão do parlamentar, autorizar a atividade de mototáxista "significa gerar empregos e oferecer alternativas de transporte para a população".

A matéria agora precisa ser aprovada pelas Comissões da Casa para depois ser levada ao Plenário, para a apreciação dos demais vereadores. O texto ainda não tem data para ser votado.

Obras na rede de esgoto interditam ruas em Santo André neste domingo

Da Redação

As equipes do Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André (Semasa) realizarão obras na rede de esgoto da Rua Coronel Fernando Prestes X Rua Doze de Outubro (Vila Dora), neste domingo (17). Para efetivação dos trabalhos, será necessário interditar totalmente a via, na altura do número 1.177, entre 7h e 17h.

Obras serão realizadas na Rua Coronel Fernando Prestes X Rua Doze de Outubro (Vila Dora) | Foto: divulgação
A interdição afetará veículos que trafegam pela avenida Pereira Barreto, sentido Centro, e que queiram acessar a Rua Fernando Prestes ou a Rua Doze de Outubro. O trânsito de motoristas só será permitido para veículos em emergência, que precisem acessar ao Pronto Socorro do Hospital Brasil. Por isso, o local contará com agentes de trânsito do Departamento de Engenharia de Tráfego (DET) para orientação.

Também serão afetadas as linhas de ônibus municipais B-63 e I-08. A SA Trans fará o desvio dos coletivos por meio da Rua Venezuela e depois com acesso novamente à Rua Fernando Prestes.

Os motoristas que trafegam pela Avenida Pereira Barreto e desejam acessar as Ruas Doze de Outubro, Andradas ou José Benedito de Castro, deverão continuar na via sentido Centro de Santo André e virar à direita na Rua Venezuela. Seguir pela Venezuela até a Rua Porto Alegre e realizar o acesso as demais ruas.


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Direção do Golden Square nega problemas na estrutura do shopping

Por Vivian Silva

Nesta quinta-feira (14), muitas pessoas receberam mensagem no WhatsApp – inclusive na redação do Ponto Final – e Facebook sobre tremores no Golden Square Shopping (Av. Kennedy,700, bairro Jardim do Mar), em São Bernardo do Campo. Na mensagem divulgada “os funcionários estão com medo”, pois há risco de desabamento no local. Porém, a diretoria do shopping nega que há qualquer problema na estrutura.

Shopping passa por obras de revitalização | Foto: reprodução 
A reportagem do Ponto Final entrou em contato com o shopping e recebeu a seguinte informação, por meio de nota: “Informamos que o Golden Square Shopping está passando por obras de revitalização que não apresentam nenhum risco à segurança e bem-estar de clientes e lojistas e que todas as normas de segurança e legislações vigentes estão sendo seguidas”.

O texto destaca ainda que o local foi vistoriado pela Defesa Civil e Secretaria de Obras da Prefeitura de São Bernardo do Campo e que não há qualquer risco à estrutura do equipamento.

Obra
A nota informa que, desde janeiro, há obras de impermeabilização nos estacionamentos, com demolição da platibanda (guarda-corpo/proteção) dos estacionamentos descobertos e manutenção do revestimento da fachada. Outro procedimento em execução é a preparação da estrutura dos pisos L3, G4 e G5 para receber uma possível expansão. Devido as residências próximas, a reforma ocorre das 6h às 20h.


Advogado fala sobre os cuidados na hora de financiar um imóvel

Da Redação

O cenário é muito positivo para o mercado imobiliário em 2019. Preços ainda estáveis, oferta alta, crescimento do volume de crédito oferecido pelos bancos e juros baixos compõem as condições ideais para quem deseja concretizar o sonho da casa própria. Mas antes de “bater o martelo” é necessário tomar alguns cuidados, conforme orienta o advogado Arthur Ongaro, do escritório Corrêa, Ongaro, Sano Advogados Associados.

Antes de comprar um imóvel, é importante avaliar a estrutura, localização e documentação do local | Foto: reprodução 
Itens como avaliação da estrutura, localização, documentação, condições de pagamento e planejamento financeiro devem estar na lista de prioridades a serem analisadas. Ongaro lembra que ao comprar um imóvel utilizando o financiamento imobiliário, os itens mais importantes para serem observados com cautela no contrato de financiamento geralmente estão nas primeiras páginas.

"Essas primeiras páginas do contrato englobam todas as informações pessoais e as condições do financiamento imobiliário, como o nome do comprador ou eventualmente dos compradores, além dos prazos e taxas. Vale verificar, por exemplo, se a taxa de juros que consta no contrato é realmente a que foi contratada", orienta o advogado.

Outro ponto importante que não pode ser negligenciado é a consequência de não pagar as prestações em dia. "Veja também no contrato as penalidades de uma possível inadimplência. Quanto tempo eu tenho até o imóvel ser retomado pelo banco? Qual é o tipo de garantia estipulada no contrato?  Ter conhecimento do que acontece nesses casos e os prazos definidos em um eventual problema de pagamento pode ajudar a pessoa a tomar a melhor decisão e encontrar alternativas para não perder tudo aquilo que investiu", alerta.

Além disso, o especialista orienta para checar o valor do imóvel, se está com preço de mercado ou abaixo do valor. Caso esteja abaixo o valor, é bom questionar o motivo (a família precisa de dinheiro urgente ou o imóvel apresenta algum problema, como por exemplo na parte estrutural ou até mesmo envolvendo a documentação). “Todos esses pontos devem ser analisados previamente e existem profissionais que podem ajudar com essa avaliação", finaliza Ongaro.

Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), os empréstimos com recursos da poupança (SBPE) alcançaram R$ 57,4 bilhões em 2018, alta de 33% na comparação com 2017. E para 2019 a previsão de crescimento é de 20%.