quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Saque do PIS/PASEP para pessoas com mais de 60 anos inicia dia 24

O pagamento de cotas do PIS/PASEP para pessoas com mais de 60 anos terá início no dia 24 de janeiro. Esta nova etapa de saques beneficia mais de 4,5 milhões de cotistas do PIS e do PASEP que poderão efetuar o saque de R$ 7,8 bilhões disponíveis nas instituições financeiras.

Clientes da Caixa e do Banco do Brasil terão o crédito em suas contas no dia 22 de janeiro.O crédito em conta automático para os beneficiários com conta corrente ou poupança individual nestes bancos será realizado na noite do dia 22.


O pagamento de cotas do PIS/PASEP para pessoas com mais de 60 anos terá início no dia 24 de janeiro. Esta nova etapa de saques beneficia mais de 4,5 milhões de cotistas do PIS e do PASEP que poderão efetuar o saque de R$ 7,8 bilhões disponíveis nas instituições financeiras.

Clientes da Caixa e do Banco do Brasil terão o crédito em suas contas no dia 22 de janeiro.O crédito em conta automático para os beneficiários com conta corrente ou poupança individual nestes bancos será realizado na noite do dia 22.

Com relação ao PASEP, cerca de 1,8 milhão de cotistas terão direito ao valor total de R$ 3,2 bilhões. Quanto ao PIS, mais de 2,7 milhões de pessoas poderão sacar o total disponível de R$ 4,6 bilhões.

O pagamento das cotas do PIS/PASEP para homens com mais de 65 anos e mulheres com mais de 62 anos, que já tinham sido contemplados pela MP 797/2017, será retomado a partir desta segunda-feira (8/1), nas agências e canais da CAIXA e do Banco do Brasil, assim como para os demais cotistas com mais de 70 anos, aposentados e herdeiros.

Esta nova etapa de saques é possível em razão da Medida Provisória lançada pelo governo no fim de 2017 e que reduziu a idade mínima para o saque das cotas do PIS/PASEP para 60 anos, tanto para os homens quanto para as mulheres. O pagamento dos cotistas é uma iniciativa conjunta do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, da CAIXA e do Banco do Brasil.

Quem pode sacar
Tem direito às cotas do PIS/PASEP o trabalhador cadastrado no Fundo entre 1971 até 4 de outubro de 1988 e que ainda não sacou o saldo total de cotas na conta individual de participação.

É possível, por meio dos sites www.caixa.gov.br/cotaspis e www.bb.com.br/pasep, consultar se há saldo disponível para saque. Nas páginas, o trabalhador pode visualizar a data de início do pagamento e os canais disponíveis, além da melhor opção de pagamento, antes de se dirigir a um dos canais oferecidos.

Herdeiros
Os beneficiários legais, na condição de herdeiros, poderão comparecer a qualquer agência da CAIXA e do Banco do Brasil portando o documento oficial de identificação e o documento que comprove sua condição de herdeiro para realizar o saque.

O saque poderá ser realizado pelo representante mediante procuração particular, com firma reconhecida, ou por instrumento público que contenha outorga de poderes para solicitação e saque de valores do PIS/PASEP.

Canais de pagamento e documentação
O saque das cotas do PIS e do PASEP será autorizado após a confirmação do direito nas agências bancárias.

No caso do PIS, os pagamentos das cotas com valor até R$ 1,5 mil podem ser realizados no Autoatendimento da CAIXA apenas com a Senha Cidadão. Já com Cartão Cidadão e Senha Cidadão, o saque pode ser feito nas Unidades Lotéricas e CAIXA AQUI, mediante ainda a apresentação de documento oficial de identificação com foto.

Os saques de valores até R$ 3 mil podem ser feitos no Autoatendimento, Unidades Lotéricas e CAIXA AQUI com Cartão do Cidadão, Senha Cidadão e documento de identificação oficial com foto. Os valores acima de R$ 3 mil devem ser sacados nas agências, mediante apresentação de documento oficial de identificação com foto.

O saque das cotas do PASEP pode ser feito nas agências do Banco do Brasil, com apresentação de documento de identificação oficial com foto.

No BB, para aqueles que possuem saldo de cotas no valor de até R$ 2,5 mil, está disponível solução para envio de TED para outra instituição financeira, sem custos, pela internet (www.bb.com.br/pasep) ou pelos terminais de autoatendimento do Banco.

Canais exclusivos de consulta das cotas do PIS e do Pasep
A CAIXA criou um serviço exclusivo em seu site (www.caixa.gov.br/cotaspis) para facilitar o atendimento ao trabalhador que tem direito ao saque das cotas do PIS por idade e aposentadoria. Na página, o trabalhador pode visualizar o valor que tem a receber, a data do saque e os canais disponíveis para realização do pagamento.

Outras opções de atendimento aos trabalhadores são os terminais de Autoatendimento, por meio do Cartão do Cidadão, ou do internet banking para correntistas da CAIXA, na opção "Serviços ao Cidadão", além do Serviço de Atendimento ao Cliente pelo 0800 726 0207.

O Banco do Brasil disponibilizou todas as informações acerca do PASEP na página www.bb.com.br/pasep, onde os cotistas podem consultar sobre o calendário de pagamento, a documentação necessária para saque, existência de saldo e ainda realizar transferência (TED) para outra instituição financeira, sem custo, caso não seja correntista ou poupador do BB e tenha cota no valor de até R$ 2,5 mil.

As soluções de consulta e saque da cota para envio de TED também estão disponíveis nos terminais de autoatendimento do BB. O cotista também poderá obter informações por meio da Central de Atendimento BB nos telefones 4004 0001 (capitais e regiões metropolitanas) ou 0800 729 0001 (demais localidades).


quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Febre amarela. População do ABC começa a ser vacinada em 3 de fevereiro.


A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo realiza, a partir do próximo mês, uma campanha inédita de imunização contra a febre amarela no território paulista, incluindo o ABC

Entre os dias 3 e 24 de fevereiro, o governo do Estado pretende vacinar 6,3 milhões de pessoas que residem em áreas ainda não alcançados pelo vírus, mas que estão receptivas, pois integram os corredores ecológicos. Somente na Baixada, cerca de 870 mil de pessoas deverão ser imunizadas.



A finalidade é proteger a população preventivamente. A campanha começa em um sábado, “Dia D”, quando os postos de saúde dos municípios envolvidos estarão abertos em regime especial para atender a população.

Das 53 cidades paulistas alcançadas no Estado, estão inclusas seis do ABC (confira abaixo a lista de municípios). As outras 47 estão nas regiões da Baixada Santista, do Vale do Paraíba e Litoral Norte.

Em duas cidades da região – e outros 38 municípios de SP –, a vacina será ofertada para a população total, devido à alta concentração de mata. Os outros quatro municípios do ABC – e mais nove do Estado - terão vacinação parcial para moradores de bairros com maior vulnerabilidade. Todos os recortes foram definidos por critérios epidemiológicos após análises técnicas e de campo feitas pelo CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica/Divisão de Zoonoses) e Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) em locais de concentração de mata.

A campanha será realizada com dose fracionada da vacina, conforme diretriz do Ministério da Saúde. O frasco convencionalmente utilizado na rede pública poderá ser subdividido em até cinco partes, sendo aplicado assim 0,1 mL da vacina. Estudos evidenciam que a vacina fracionada tem eficácia comprovada de pelo menos oito anos. Estudos em andamento continuarão a avaliar a proteção posterior a esse período. As carteiras de vacinação terão um selo especial para informar que a dose aplicada foi a fracionada.

Em todo o Estado, mais de 4,8 milhões de doses da vacina fracionada serão disponibilizadas para as pessoas ainda não imunizadas que residirem nos locais definidos pela campanha.

Quem já tomou uma dose da vacina, mesmo se fizer parte destes municípios incluídos na campanha, não precisará se vacinar novamente. A vacina aplicada até o momento (dose padrão) tem validade para a vida toda, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde).

“Vamos reforçar nossas estratégias para proteger a população contra a febre amarela, antecipando a imunização ao levar as vacinas para locais onde ainda não há circulação do vírus. A campanha complementa um trabalho incessante de monitoramento e prevenção que temos desenvolvido nos dois últimos anos”, destaca o secretário de Estado da Saúde, David Uip.

A campanha também prevê a oferta de 1,5 milhão de doses convencionais, que serão disponibilizadas para crianças com idade entre nove meses e dois anos incompletos, pessoas que viajarão para países com exigência da vacina, grávidas residentes em áreas de riscoe portadores de doenças crônicas – como diabéticos, cardiopatas e renais crônicos, por exemplo.

Deverão consultar o médico sobre a necessidade da vacina os portadores de HIV positivo, pacientes com tratamento quimioterápico concluído, transplantados, hemofílicos ou pessoas com doenças do sangue e de doença falciforme.

Não há indicação de imunização para grávidas que morem em locais sem recomendação para vacina, mulheres amamentando crianças com até 6 meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticoides em doses elevadas (como por exemplo Lúpus e Artrite Reumatoide). Em caso de dúvida, é fundamental consultar o médico.

Nas demais áreas do Estado de São Paulo onde já há vacinação em razão da circulação do vírus a imunização seguirá com a vacina plena.

Municípios com vacinação
total do território
Município
População-alvo
RIBEIRÃO PIRES
114.312
RIO GRANDE DA SERRA
44.959

Municípios com vacinação
parcial do território
Município
População-alvo
DIADEMA
120.000
MAUA
127.000
SANTO ANDRÉ
204.000
SAO BERNARDO DO CAMPO
259.000




Justiça suspende demissões da Universidade Metodista

Da redação

A 8ª Vara do Trabalho de São Bernardo do Campo deferiu, nesta última terça-feira (09), parecer parcialmente favorável à Ação Civil Pública com pedido de liminar proposta pelo Sindicato dos Professores de Santo André (Sinpro ABC), suspendendo a dispensa dos empregados. Até a data da ação, 66 docentes (50 do ensino superior e 16 da educação básica) haviam sido demitidos. 

Então, a ação do Sinpro ABC solicitava a suspensão das demissões e de possíveis novas dispensas; readmissão dos professores demitidos; pagamento dos vencimentos atrasados; abstenção de novas demissões coletivas; e informação nominal de possíveis novos demitidos e as razões dos motivos do desligamento.

Na decisão, a juíza Dra. Valéria Pedroso de Moraes deu como suspensas as demissões, solicitando que, em um prazo de cinco dias, a mantenedora da instituição informe nominalmente ao Juízo o nome dos professores demitidos, além daqueles que podem ser futuramente dispensados, inclusive esclarecendo o motive de cada uma das demissões. Também fica estipulada multa de R$ 10 mil por professional, a partir de agora dispensado, a impossibilidade de novas demissões coletivas sem prévio aviso e negociação com o sindicato da categoria.

Contexto
A Universidade Metodista de São Paulo demitiu em dezembro de 2017 cerca de 70 professores, mestres e doutores, das três unidades localizadas na cidade de São Bernardo do Campo (SP). Dentre os cursos afetados estão a graduação e a pós-graduação (mestrado e doutorado) de Administração, Psicologia, Ciências da Religião e Comunicação, um dos mais atingidos pelas mudanças.

De acordo com o representante dos alunos da pós-graduação em Comunicação da Metodista, Carlos Ferreira, há uma insegurança na comunidade acadêmica. "Muitos alunos estão perdendo seus orientadores... há teses a serem defendidas nos próximos meses e alunos que seriam encaminhados ao exterior por seus orientadores para cursar o doutorado. As demissões têm sido arbitrárias e não demonstram respeito por esses profissionais. Trata-se de mais um exemplo de descaso com a educação e com a produção científica no País", afirma. 

A instituição alega corte de gastos e perda de 3 mil alunos para justificar as demissões. Funcionários e docentes alegam estar recebendo os salários com atraso há meses e, em alguns casos, o FGTS não é depositado desde 2015.

Outras universidades no País passam por crises semelhantes a da Metodista de São Bernardo do Campo. No Rio de Janeiro, a Universidade Estácio já demitiu centenas de professores. Na Universidade Metodista de Piracibaca (Unimep), o cenário é parecido. O Centro Universitário Sant'Anna, de São Paulo, também passa por crise, o que prejudica as atividades acadêmicas de vários alunos.

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Moradores se revoltam com vandalismo em escola

Por Vitor Lima

A EMEIEF (Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) Cândido Portinari, localizado no Jardim Guarará, em Santo André, foi invadida, furtada e vandalizada no último dia 30. 

Foram diversos equipamentos furtados, como computadores, aparelhos de DVD, aparelhos de som e televisores, por exemplo. Além do prejuízo causado pelos furtos, a escola também foi depredada – os vândalos quebraram portas, armários, rabiscaram mesas e paredes, rasgaram livros, entre outras diversas avarias. 

Escola sofreu diversos danos | Foto: Arquivo pessoal

A situação revoltou moradores da região, que reclamam da falta de segurança do bairro. A atuação da Guarda Civil Municipal (GCM), responsável por zelar pelos prédios públicos, também é alvo de críticas – de acordo com moradores do entorno, são feitas poucas rondas no local.

Os responsáveis pela escola, que estava pronto para receber os alunos para o início do novo ano letivo, correm contra o tempo para reparar os danos, conforme conta o vice-presidente do Conselho Escolar da unidade, Edson Antonio. “Estamos com dificuldades em repor as coisas que foram levadas. Devemos retornar (às aulas) só com o básico”, diz, ao relatar que a Prefeitura ainda não se movimentou para solucionar as demandas da unidade.

Por meio de nota, a Prefeitura de Santo André esclarece que "existe uma licitação em andamento para aquisição de material para o reparo necessário, bem como dos equipamentos furtados após o ato de vandalismo". De acordo com informações da administração, 12 empresas participaram da concorrência, que está em fase de análise de documentação técnica. A Prefeitura, contudo, não soube informar se os reparos e a entrega dos equipamentos serão feitos antes do início do ano letivo.

"Parte deste serviço (reparos) será executado com equipes próprias da administração, que não poupa esforços para buscar alternativas para complementar o trabalho de manutenção e reconstrução deste equipamento público", diz o documento.

Além dos itens roubados, ladrões vandalizaram o prédio | Foto: Arquivo pessoal


Ao saber da resposta da Prefeitura, o conselheiro da escola não demonstrou otimismo com a notícia. "É muito difícil a reposição, porque eles estão em uma situação de um empurra para o outro. Reposição de televisão, essas coisas, eles não vão repor para a gente de forma alguma. Vai ser na base da lousa, giz e as crianças no caderno e na caneta", lamenta. Antonio também alerta que a unidade necessita de outras intervenções para receber os alunos de forma adequada, como manutenção elétrica, solução para infiltrações nas salas de aula e novas lousas.

Em relação à segurança do local, a nota da Prefeitura informa que a GCM "realiza rondas setoriais no local com auxílio de motos e agentes da ROMO (Rondas Ostensivas com Motocicletas) e da ROMU (Rondas Ostensivas Municipais)". O comunicado também ressalta que a atual gestão realizou melhorias no entorno das escolas "para proporcionar maior sensação de segurança". Os esforços, entretanto, não foram suficientes para neutralizar a atuação dos vândalos no Jardim Guarará. "Um projeto de instalação de câmeras de monitoramento nas escolas municipais também está em análise", completa o documento.




Santo André é a maior geradora de empregos do ABC em 2017

Da Redação

Santo André é a cidade do ABC que mais gerou empregos em 2017. Segundo dados divulgados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego, no último dia 27, entre janeiro e novembro foram criados 1.681 postos de trabalho na cidade, sendo 264 apenas no mês de novembro. É o oitavo mês seguido que Santo André gera empregos. Os números da cidade colaboraram para o resultado positivo da região, que nos últimos três anos apresentou saldo negativo, demitindo mais do que contratando. Em 2017 foram criados 1.379 postos de trabalho nas sete cidades do grande ABC. No mesmo período de 2016, o resultado regional do Caged apontou os números de 31.601 demissões.

"A melhor forma de cuidarmos do lado social da cidade é gerando empregos e não estamos medindo esforços desde o início da gestão. Primeiramente, implantamos o Via Rápida Empresa, que reduz a burocracia de cerca de seis meses para apenas um dia para abrir uma empresa na cidade, facilitando a vida do empresariado. Além disso, tivemos a retomada do CPTER (Centro Público de Trabalho, Emprego e Renda), o nosso banco de currículos para quem busca uma oportunidade. Em 2018 daremos prosseguimento com novos projetos em busca de aumentar ainda mais este índice positivo de novas vagas", comenta o prefeito Paulo Serra.


No mês de novembro, o destaque na cidade ficou por conta do comércio, que contratou 166 pessoas, impulsionado pela aproximação do Natal, as promoções de Black Friday e alterações da legislação trabalhista que possibilitou às empresas contratarem por regime intermitente, segundo análise do coordenador do Departamento de Indicadores Sociais e Econômicos, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego da Prefeitura de Santo André, Helcio de Oliveira. 

O segundo lugar ficou com o setor de serviços, que criou 83 novos postos de trabalho no mês passado, seguido pela indústria de transformação, que deu origem a 12 novas vagas. Oliveira alerta que é preciso analisar com atenção o desempenho da indústria, já que cada emprego gerado neste segmento acarreta mais quatro em outras áreas, como comércio e serviços. No ano de 2017, foram criadas 353 novas vagas na indústria de transformação em Santo André. “O resultado positivo do Caged aponta que a retomada da economia já está apresentando resultados, mas no caso de Santo André, que apresentou desempenho tão positivo este ano, é preciso levar em conta a influência de uma nova gestão do município, que trouxe uma expectativa positiva e mais confiança para os empresários. Se o empresário se sente abandonado, ele não tem segurança para investir e ampliar seu campo de atuação”, explica. Na análise do período de 12 meses (novembro a novembro), Santo André também está na frente, com 510 novos postos.



Miguel é o nome mais escolhido pelos pais em 2017

Da Redação

O nome mais escolhido pelos pais dos recém-nascidos na região do ABC em 2017 foi Miguel. O nome de origem hebraica está no topo da lista dos mais registrados na região, dando nome a 776 recém-nascidos na área formada pelas sete cidades. Na sequência aparecem Arthur, com 560 registros de nascimentos, e Alice, com 531 registros.

Um novo ranking, mais completo e detalhado, desenvolvido pela Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP) com base nas informações dos 836 Cartórios paulistas prestadas à Central Nacional de Informações do Registro Civil (CRC Nacional) mapeou um estudo completo sobre os nomes mais registrados no estado de São Paulo em 2017.


A nova metodologia permitiu a segura identificação de nomes simples e compostos e a comparação efetiva para se chegar aos nomes mais escolhidos dentre os 30.462 nascimentos registrados na região do ABC até o dia 10 de dezembro do ano passado. Ao todo, a população da região escolheu um total de 4.284 nomes diferentes, alguns deles com ampla variação de grafia, além dos tradicionais nomes diferentes escolhidos pelos pais.

Em 2017, além dos três primeiros colocados, a lista dos “10 Mais” da região conta com Bernardo (451); Lorena (418); Sophia (401); Davi (393); Heitor (387); Laura (382) e Lorenzo (361). 

No ranking separado por sexo, os 10 nomes masculinos mais escolhidos foram Miguel (776); Arthur (560); Bernardo (451); Davi (393); Heitor (387); Lorenzo (361); Gabriel (309); Lucas (260); Enzo (257) e Samuel (229). 

Já entre as mulheres, o ranking dos 10 nomes mais registrados foram Alice (531); Lorena (418); Sophia (401); Laura (382); Valentina (355); Heloisa (346); Livia (314); Helena (272); Maria Eduarda (226) e Isabella (225).

Estado de São Paulo

Os números estaduais seguiram a linha da região. Em 2017, o Estado de São Paulo contabilizou em lista dos “10 Mais” com: Miguel (11.756) registros, Arthur (9.335 registros), Alice (8.776 registros), Davi (6.699 registros), Lorena (6.456 registros), Sophia (6.070 registros), Valentina (5.916 registros), Laura (5.795 registros), Lorenzo (5.767 registros) e Heitor (5.702 registros).

No ranking separado por sexo, os 10 nomes masculinos mais escolhidos foram Miguel (11.756), Arthur (9.335), Davi (6.699), Lorenzo (5.767), Heitor (5.702), Gabriel (5.606), Bernardo (5.257), Pedro Henrique (4.175), Lucas (4.022) e Pedro (3.980).

Já entre as mulheres, o ranking dos 10 nomes mais registrados foram Alice (8.776), Lorena (6.456), Sophia (6.070), Valentina (5.916), Laura (5.795), Helena (5.622), Heloísa (4.916), Maria Eduarda (4.414), Lívia (4.044) e Júlia (4.000).

Nomes tradicionais, da moda e variações

O estudo possibilitou identificar ainda um ranking estadual considerando-se apenas o primeiro nome, as variações dos nomes mais comuns, além dos nomes menos comuns ou que caíram em desuso nos últimos anos. Considerando-se apenas o primeiro nome dos registros, o ranking muda completamente de patamar.

Nesta situação Maria passa a ser o nome mais registrado, com 24.877 registros de nascimento, seguido por Miguel (15.998), Davi (15.703) Ana (14.584), Arthur (14.539), João (13.577), Alice (11.495), Pedro (11.221), Enzo (10.514), Sophia (9.209) e Lorena (8.658). A lista consta ainda com Lorenzo, Laura, Heitor, Gabriel, Valentina e Helena.

Interessante observar que nomes tradicionais, como Maria, possuem 121 variações de registros, sendo Maria Eduarda o mais comum, com 4.414 registros. Na sequencia estão Maria Clara (3.121), Maria Luiza (2.451) e Maria Julia (1.924). Já Ana, possui 83 variações de nomes registrados, com destaque para Ana Clara (2.760), Ana Júlia (2.424) e Ana Luíza (1.413).

Entre os homens João, possui 69 variações de nomes registrados, com destaque para João Miguel (2.928), João Pedro (2.408) e João Lucas (1.396). Já Pedro, possui 63 variações, com destaque para Pedro Henrique (4.175), Pedro Miguel (727) e Pedro Lucas (306).

Nomes considerados “da moda”, também aparecem na lista, sendo Enzo uma das situações mais curiosas, já que duas formas quase empatadas dominam o registro de crianças com este nome: Enzo Gabriel (3.957 registros) e Enzo (3.912). Em número maior registram-se as variações de Davi, sendo David Lucca o mais comum, com 2.485 registros, seguido por David Lucas, David, David Miguel e Davi Henrique.

Por fim, os registros de nomes que chegaram a ser comuns em outras épocas e que cada vez mais caem em desuso, como Adolfo, Newton, Sheila, Ivan, Virginia, Terezinha, Edvaldo, Adalberto e Clóvis, com um registro cada. A lista traz ainda nomes “bem” diferentes, como Larreny, Zahara, Haira, Ysadhora, Aillen, entre outras curiosidades.



quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Ramalhão vence na estreia da Copa São Paulo

Os garotos do Santo André estrearam com o pé direito na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Nesta quarta feira (03), a equipe enfrentou o ABC/RN e venceu por 1 a 0 no estádio Nicolau Alayon em partida válida pelo Grupo 31; o gol foi marcado pelo meia Léo, que entrou na segunda etapa.

Com 3 pontos, a equipe treinada por José Carlos Palhavam divide a liderança da chave com o São Paulo/AP, que também venceu por 1 a 0. O próximo desafio do Ramalhão será diante do Nacional/SP, no próximo sábado, às 14h, no mesmo palco da estreia.

O jogo
Com o campo muito pesado em virtude da chuva, ambos os times tiveram poucas oportunidades de marcar. A melhor do primeiro tempo foi do Santo André, onde o goleiro Gomes fez duas lindas defesas consecutivas nas finalizações dos atacantes Daniel Isaac e Frank.

Na segunda etapa etapa uma grande chance desperdiçada de cada lado. Os potiguares tiveram nos pés de Wesley seu melhor momento, numa linda finalização de fora da área; enquanto os andreenses viram Dakian receber livre e mais uma vez ver a estrela do goleiro brilhar em uma bela intervenção.

Mas aos 38 minutos veio o gol da vitória. Em cobrança de falta do meia Léo, Gomes foi traído pelo quique da bola e ela morreu no fundo da rede. O autor do gol passou a semana que antecedia o confronto em trabalho de fisioterapia junto ao departamento do clube e conseguiu estar apto para ajudar seus companheiros.

Da Assessoria de Imprensa do E.C. Santo André