segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Projeto no Jardim Santo André orienta moradores sobre problemas do descarte irregular de lixo

Por Vitor Lima

O Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André (Semasa) iniciou esta semana o projeto Cidadania Ambiental e Consumo Sustentável, no Jardim Santo André. O objetivo é esclarecer e sensibilizar moradores do bairro em relação aos problemas ambientais relacionados à produção, destinação e disposição final de resíduos sólidos e, assim, reduzir o acúmulo irregular de lixo nas vias.

Iniciativa desenvolvida com o apoio da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU), responsável pela urbanização do Jardim Santo André, o projeto de educação ambiental pretende formar diversos moradores do bairro para que eles se tornem multiplicadores das informações na região.

Objetivo é gerar engajamento na população | Foto: Divulgação
“Aqui no Jardim Santo André nós temos um grupo de agentes comunitários que trouxe a demanda de que há muito resíduo descartado nas ruas e animais abandonados. Os encontros com o Semasa são muito importantes para aproximar o trabalho do poder público com a população, trazendo mais informação e conscientização ambiental para todos”, afirma Ângela Maria Estevam, assistente social e coordenadora técnica do Consórcio Habitar Melhor, que atua na urbanização no bairro.

De acordo com os moradores, os descartes irregulares de resíduos são comuns no bairro por causa da falta de informações, como dia correto da coleta seletiva. “Sou síndica de um prédio da CDHU e vejo muitas pessoas colocando os sacos plásticos de lixo abertos, não separando os resíduos e descartando tapetes, gavetas e outros objetos no espaço para colocar o lixo comum. Alerto os moradores, mas essa formação vai me ajudar ainda mais a conversar com eles”, disse a aposentada Sônia Maria Alves, de 61 anos.

Serão três encontros com os agentes ambientais do Semasa ao longo do mês de agosto. O primeiro foi realizado na última quarta-feira (8), no escritório da CDHU no bairro. A formação ocorre por meio de atividades lúdicas, palestras, vídeos educativos e de uma visita ao Aterro Sanitário Municipal de Santo André, gerenciado pelo Semasa.

No primeiro encontro, os participantes receberam informações sobre a geração de resíduos em Santo André, como quantidade, destinação do lixo e importância da coleta seletiva.



sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Coronel Nishikawa é candidato a deputado estadual

Por Vitor Lima

Após uma vida inteira dedicada à Segurança Pública, Paulo Nishikawa, 69 anos, decidiu continuar sua luta por uma sociedade mais segura de outra forma. Ele é candidato a uma das cadeiras da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, pelo PSD, mesmo partido do presidenciável Jair Bolsonaro.

Foto: Divulgação
O candidato à Presidência, aliás, foi determinante na decisão de Nishikawa de concorrer nas eleições de outubro. A candidatura de Bolsonaro é "uma luz no fim do túnel", classifica o candidato a deputado estadual.

Nishikawa nasceu em Vera Cruz, no interior de São Paulo, e candidatou-se para soldado da Força Pública (que depois passou a se chamar Polícia Militar do Estado de São Paulo), em 1968. De lá para cá, o candidato passou por diversos cargos militares.

Destaque para sua trajetória no Corpo de Bombeiros, no qual foi comandante de diversos postos do ABC, e sua atuação à frente do 6º Batalhão da Polícia Militar (que na época abrangia os municípios de São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul) durante a década de 1990. Neste período, Nishawaka participou das articulações responsáveis por trazer o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) para o ABC. Atualmente, o candidato atua ativamente no Conselho de Segurança (Conseg) do Centro de São Bernardo do Campo.

Confira a entrevista que o candidato concedeu à reportagem do Ponto Final:

Ponto Final (PF): O que motivou o senhor a se lançar candidato à Assembleia Legislativa? 

Paulo Nishikawa (PN): A situação caótica do nosso País despertou o meu interesse em envolver-me com a política, principalmente, em virtude de ter surgido uma luz no fim do túnel, com a candidatura do deputado federal Jair Messias Bolsonaro. A mobilização se deu porque acredito que ele vai reconduzir o País, novamente, ao progresso nos livrando paulatinamente dos políticos corruptos.

 PF: Caso eleito, quais serão as principais bandeiras defendidas por seu mandato?

PN: Combate à corrupção e o resgate das instituições de Segurança Pública, que vêm sendo sucateadas ao longo dos anos sem reposição de efetivo e de equipamento essencial à atividade. A Educação e a Saúde também sucateadas terão atenção especial.

PF: Na sua opinião, quais as principais demandas do ABC e o que o senhor pretende fazer para mudar este quadro? 

PN: Transporte público também não acompanhou o crescimento populacional dificultando a vida dos moradores da nossa progressista região. (Vou) Cobrar do governo estadual a instalação do metrô de superfície que não saiu do papel.

Na área da Segurança, priorizar a implantação do policiamento aéreo através do Grupamento Aéreo da Polícia Militar, para melhor policiar a extensa área urbana conurbadas reunindo sete municípios de vital importância para o Estado, sem contar ainda com a área de Proteção de Mananciais, bem como uma das maiores, se não a maior, malha viária do País em movimento, constituídas pela rodovia Anchieta, Imigrantes, trecho sul do Rodoanel e ainda a rodovia Índio Tibiriçá.

Descentralização da distribuição do remédio de alto custo, que até agora ninguém fez nada, vivendo só de promessas.

PF: A questão das drogas é um problema latente em todo o estado de São Paulo. Na Assembleia, como o senhor pode atuar para coibir o tráfico de drogas? 

PN: O tráfico de drogas em princípio cabe à área federal, entretanto, é (importante) implementar programas de combate às drogas nas escolas, como o Proerd ministrado por instrutores da Polícia Militar, desde a década de 90, quando trouxemos para a região do ABC, pioneiramente, quando comandávamos o 6º BPM/M São Bernardo do Campo.

PF: Qual estratégia deve ser usada para “proteger” os nossos jovens do contato com as drogas? 

PN: Como dito anteriormente, pela Educação. Não há outro caminho. Introduzir matérias curriculares de combate às drogas nas escolas de ensino fundamental. Ao meu ver qualquer outra medida será um paliativo.

PF: Pesquisa do Ipea divulgada recentemente indica que, pela primeira vez na história, o Brasil atingiu patamar de 30 homicídios por 100 mil habitantes. Diante disso, como o senhor encara o fato de alguns candidatos serem favoráveis a liberação do porte de armas no Brasil? O senhor é a favor da liberação? 

PN: Sou favorável a liberação de aquisição de armas, por cidadãos preparados para defesa da própria vida. Com ressalvas às pessoas que se submetem a exame psicológico e serem reprovados. Como diz o professor Bene Barbosa: "a arma não atira sozinho".

PF: Como o senhor avalia atuação da Polícia Militar de São Paulo? 

PN: A atuação da Polícia Militar é heroica, onde policial é alvo de bandidos só pelo fato de estar fardado. É a última barreira entre o bem e o mal.


Eduardo Leite discute ações para fortalecer o comércio de bairro

Da Redação

Ouvir os pequenos comerciantes para formular propostas de políticas públicas para o setor será o objetivo da roda de conversa que o vereador por Santo André, Eduardo Leite (PT), promoverá na próxima segunda-feira (13).

Arte: Divulgação

"Precisamos fortalecer o comercio local. É vital para o desenvolvimento sustentável da cidade. E nada melhor do que ouvir quem vive essa realidade para nos ajudar a propor melhorias", observa o parlamentar. "Segurança pública, manutenção de vias e calçadas, soluções para estacionamento, iluminação e até ajustes do ISS (Imposto Sobre Serviços) são ações que o município deve se empenhar", comenta.

A roda de conversa com comerciantes será realizada na rua Francisco Amaro, 44, no Centro de Santo André, a partir das 18 horas.


quinta-feira, 9 de agosto de 2018

São Paulo ganha pontos de apoio 24h para ciclistas

Da Redação

Cada vez mais as bicicletas conquistam novos adeptos e mudam o cenário urbano. O trânsito e a necessidade de encaixar uma atividade física no meio da rotina fazem das bikes ótimas ferramentas no quesito qualidade de vida. Mas só quem pedala pela cidade sabe como um pneu furado ou lanterna quebrada pode ser um problema difícil em horários alternativos. Para não deixar o ciclista na mão, e a pé, a Byke Station (https://www.bykestation.com.br/) chega à capital paulista em oito pontos de apoio 24h para reparos rápidos e venda de produtos.

Estações da Byke Station estão localizadas na ciclovia do Rio Pinheiros
 e outros sete pontos também oferecem ferramentas gratuitas e venda de produtos | Foto: Divulgação 
Em formato de vending machine, a estação é completa. “Nela é possível calibrar os pneus ou fazer pequenas manutenções com as chaves disponibilizadas gratuitamente, além da venda de kits remendo, câmaras e luz de emergência para as bicicletas. E, para recarregar a bateria dos ciclistas: bebidas, alimentos e suplementos. Tudo isso de modo fácil e acessível, nos locais e no momento que todos mais precisam”, destaca Sandro Wuicik, CEO da empresa.

A ideia surgiu a partir de uma demanda do próprio criador, que participa de Triathlon de longa distância e tinha dificuldade para encontrar ajuda quando ocorria algum imprevisto. “Era um contrassenso muito grande ter que sair da minha rota justamente para ter acesso aos produtos corriqueiros que precisava”, comenta.

Fundada para facilitar e atender as necessidades de quem utiliza a bicicleta, seja como meio de transporte, lazer ou esporte, a Byke Station escolheu os pontos estrategicamente. Em São Paulo, um projeto junto com a CPTM instalou duas unidades dentro da Ciclovia Rio Pinheiros e nas estações da Vila Olímpia e Vila Lobos/Jaguaré. O Pátio Victor Malzoni, sede do Google Brasil, também possui uma Station que gera comodidade para quem vai de bicicleta ao trabalho.

Expansão e chegada em São Paulo

O projeto de Wuicik já está conquistando as cidades brasileiras, com sete espaços no Paraná, um em Santa Catarina e outros oito no estado de São Paulo. “Neste momento, a nossa expansão está focada na capital paulista, onde podemos ajudar os locais a aumentarem o fluxo de ciclistas, pois se tornam realmente um local bike friendly”, comenta Wuicik.

A iniciativa chamou a atenção da aceleradora Plug and Play, do Vale do Silício (EUA), e da seguradora Porto Seguro, com que realizou um aporte de US$ 50 mil. “Esse investimento foi fundamental para trazermos a operação para a capital paulista e também aprimorarmos ainda mais o produto. A Porto tem sido uma grande parceira, pois além do incentivo, recebemos mentoria dos seus executivos”, disse o CEO, que pretende continuar com o crescimento a todo vapor.



quarta-feira, 8 de agosto de 2018

São Bernardo do Campo implementa programa "Escola de Pais"

Da Redação 

A Prefeitura de São Bernardo do Campo, por meio da Secretaria de Educação, iniciou nesta terça-feira (7) as atividades do programa Escola de Pais. O principal objetivo da iniciativa é criar ambiente em que os pais sintam-se à vontade para conversar abertamente sobre relacionamento familiar, assunto que nem sempre gera conforto ao responsáveis pelas crianças.

Programa organizará reuniões entre educadores e pais | Foto: Ricardo Cassin/PMSBC
A primeira reunião ocorreu no Teatro Inezita Barroso, no bairro Santa Terezinha, e serviu como uma apresentação oficial do programa, que deve ser desenvolvido por meio de encontros periódicos. A palestra ministrada pela secretária de Educação, Silvia Donnini, teve como tema “Relação Escola e Família: Difícil, fácil ou necessária?”.

Entre os assuntos que podem ser abordados ao longo das reuniões estão a educação e cuidados básicos com a criança, as fases do desenvolvimento infantil e seus comportamentos, além de sentimentos infantis esperados em cada fase, alimentação saudável e promoção da saúde, cidadania, adolescência, drogas e sexualidade, entre outros temas.

Tanto os pais quanto as equipes escolares podem sugerir demandas, além de dar sugestões e ideias tendo como objetivo a melhoria das relações entre a escola e família. A dinâmica do Escola de Pais deve contemplar rodas de conversa ou palestras, utilizando-se de apresentações de vídeos, músicas, dinâmicas de grupo, debates de ideias e estudos mais aprofundados dos temas.

Os facilitadores poderão ser os próprios profissionais da rede, além de profissionais que poderão participar de forma voluntária - psicólogos, nutricionistas, advogados e profissionais da saúde.

Estímulo

Para o prefeito Orlando Morando, a aproximação da escola com os pais é um ponto importante para a consolidação dos projetos educacionais da cidade. “A Administração quer ampliar a integração entre as escolas e os pais. Os responsáveis tem todo o direito de conferir a qualidade do ensino oferecido na cidade”, destaca. O chefe do Executivo acrescentou que o contato com os pais será constante. "Pretendemos institucionalizar a relação. É algo que faz parte do plano de governo que apresentamos", prossegue Morando.

A secretária de Educação, Silvia Donnini, por sua vez, elencou outros objetivos do programa Escola de Pais. “O núcleo dessa iniciativa é o de facilitar a promoção da educação integral da criança. O estímulo da família a acompanhar o desenvolvimento da aprendizagem do aluno é importante neste processo”, comenta.

A titular da Pasta acredita também que o contato mais próximo com os pais vai colaborar para os responsáveis entendam as mudanças no comportamento dos alunos da rede municipal. “Queremos proporcionar aos pais maior conhecimento e compreensão sobre o desenvolvimento da criança e do adolescente”, complementa a secretária.


Moradores de Santo André poderão solicitar serviços de zeladoria por aplicativo

Da redação

Com o objetivo de garantir manutenção e zeladoria dos espaços públicos, a Prefeitura de Santo André colocará em operação, nos próximos 90 dias, o Colab, aplicativo (app) para smartphones que será responsável pelo registro de pedidos de serviços de manutenção. Além da comodidade de poder fazer a solicitação pelo celular, o munícipe poderá fazer registro fotográfico, por exemplo, de buraco na rua ou roçagem de terreno, e enviar pelo app.

Aplicativo deve entrar em funcionamento nos próximos 90 dias | Foto: Helber Aggio/PSA 

Ao se tornar o canal de recebimento das demandas, o Colab vai reduzir o tempo de atendimento ao cidadão. Atualmente, é preciso registrar uma reclamação na Praça de Atendimento da Prefeitura, ou via site, que gera um protocolo. No caso de uma poda de árvore, por exemplo, este registro gera uma vistoria no local e uma ordem de serviço, para posteriormente ser enviado para a empresa que realiza o trabalho. Com o aplicativo em funcionamento e com a visualização da foto enviada pelo cidadão, o diagnóstico é facilitado e a intervenção pode ser feita mais rapidamente, reduzindo os trâmites burocráticos.

Na última quinta-feira (2), ocorreu a assinatura do contrato com a empresa que fará o aplicativo. O prefeito Paulo Serra ressaltou que o Colab será um divisor de águas na forma de atendimento ao munícipe. “Passamos a uma nova etapa, para conectar o cidadão com a administração pública, para construirmos uma cidade cada vez melhor. Este processo de comunicação entre as pessoas e o poder público não pode possuir entraves, tem que ser ágil e rápido, criando um fluxo que gere resultados positivos e resolva os problemas da população”, destaca.



terça-feira, 7 de agosto de 2018

Consórcio inicia discussão com Correios para melhorar serviços públicos

Da Redação

O vice-presidente de Negócios Públicos da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, Correios, José Furian Filho, e os consultores Alexandre Brenait e Marcelo Cavalcante, participaram nesta terça-feira (7) da 100ª Assembleia de Prefeitos do Consórcio Intermunicipal Grande ABC. Os executivos vieram apresentar a nova metodologia de trabalho dos Correios, e possibilidade de estabelecer parcerias de serviços com o Poder Público da região. O encontro foi articulado por meio do escritório do Consórcio em Brasília.

Com 355 anos, os Correios são a única empresa pública brasileira presente em todos os municípios do País. O executivo admitiu as dificuldades financeiras dos últimos quatro anos, e até mesmo da recuperação iniciada no ano passado, quando as operações de entregas foram normalizadas. O executivo veio falar sobre o novo tempo dos Correios, mais enxuto, além da “cesta de produtos”.

Encontro entre representantes das duas entidades ocorreu hoje (7) | Foto: Divulgação
“A minha vinda aqui hoje foi justamente para falar sobre esses novos tempos e para mostrar que os Correios, uma empresa pública, pode ajudar e muito ao Consórcio e aos prefeitos das cidades consorciadas, no seu dia-a-dia, com uma cesta de serviços criada para atender ao Poder Público e aos contribuintes”, reforça. Segundo ele, a empresa estaria apta para entregar medicamentos de alto custo, uniformes, kits escolares e outros serviços da administração pública.

Furian explica que a nova cesta de produtos e serviços resultará em ganho para o Poder Público, já que a empresa brasileira já conta hoje com 97% A 98% na taxa de entrega. “Nesse processo se percebeu a necessidade de criação de uma área focada na relação com o cliente e no desenvolvimento de soluções para os diversos serviços dos órgãos públicos. A vice-presidência de Negócios Públicos foi criada com esse objetivo. Atender bem às prefeituras e aos demais órgãos públicos, levando eficiência e agilidade”, reforça.

O presidente do Consórcio e prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, destacou a consulta feita a representantes dos Correios pelo secretário Executivo, Tunico Vieira. Segundo ele, os Correios serão importantes para a entrega de medicamentos aos munícipes. “Os Correios têm expertise no assunto e já trabalham para algumas prefeituras fora de São Paulo com o Leve Leite. Esse é um assunto importante e que gera filas em UBSs e UPAs”, reforça Morando.

O vice-presidente de Negócios Públicos dos Correios explica que a prestação de serviços nesta parceria vai além da entrega de medicamentos. “Estamos falando de soluções como o atendimento nas nossas agências. Abrir as nossas agências para a necessidade das prefeituras, seja para um recadastramento ou para entrega de algum documento, seja o que for. Assim como a distribuição de medicamento ou mesmo o kit escolar. Aquilo que a Prefeitura tenha como demanda e que hoje ela tem de fazer com recursos próprios, os Correios estão preparados. O que viemos hoje oferecer é a capacidade e a expertise que o Correios tem de logística e para atendimento aos prefeitos”, explica.

Crise

Furian disse que a empresa está fazendo um esforço gigantesco para regularizar os problemas de entrega dos últimos três anos. “A diretoria está fazendo um esforço gigantesco para colocar as finanças em dia e para o melhor atendimento da população brasileira na questão da pontualidade das entregas”, destaca. Mas apesar dos problemas dos últimos anos, Furian explica que a empresa melhorou a qualidade operacional, que sempre foi o carro-chefe da empresa, e que já conseguiu alcançar patamares que o mercado aceita. “Estamos falando hoje de 97% a 98% das nossas cartas e encomendas sendo entregues dentro do prazo. É um padrão bastante alto que o mercado exige e que o Correios está conseguindo nesse momento responder de maneira adequada”, diz. Segundo ele, a empresa passou uma dificuldade muito grande, no ano passado, quando cresceram as reclamações pelos atrasos, mas o esforço está surtindo efeito.

A saúde financeira dos Correios é outro ponto que preocupa nessa recuperação empresarial. “Tivemos prejuízos nos últimos três anos, mas no ano passado foi quebrada essa sequência e tivemos um ano de lucro. Em 2018, acreditamos que chegaremos ao final com um lucro pequeno. E a partir de 2019 deveremos sair do vermelho, retomar o crescimento, e consolidar todas essas ações para que a empresa volte a ter capital de investimento”, comenta.

Outra solução encontrada para amenizar a crise financeira foi a adoção de um Plano de Demissão Incentivada. “Incentivamos as pessoas mais antigas de casa a pedirem demissão com algumas vantagens, e conseguimos reduzir de 125 mil para 106 mil funcionários. Nos últimos anos, cerca de 20 mil pessoas deixaram os Correios, e a substituição é feita pela terceirização para aquilo que a legislação trabalhista permite. Assim, alcançamos os resultados e preservamos o que foi acordado com nossos empregados e os sindicatos”.

Mas estão acontecendo investimentos na renovação da frota, o que diminui o custo de manutenção. E até mesmo uma nova configuração de transporte aéreo está sendo implementada. “Enfim, são várias ações que corroboram para sanear as finanças da empresa e a recuperar a qualidade na prestação de serviço dos Correios. Nós passamos por um momento crítico, mas a empresa já começa a ver uma luz no fim do túnel”, conclui Furian.