sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Eduardo Leite quer mototáxi em Santo André

Por Vitor Lima

O vereador Eduardo Leite (PT) apresentou à Câmara Municipal de Santo André o Projeto de Lei 12/2019, que visa regulamentar a atividade de Mototáxi o município. No ABC, nenhuma cidade dispõe do serviço, prática comum em outras regiões do País.

Proposta precisa do aval dos outros vereadores | Foto: Reprodução
De acordo com o vereador, 46% das cidades brasileiras autorizam o serviço. Na visão do parlamentar, autorizar a atividade de mototáxista "significa gerar empregos e oferecer alternativas de transporte para a população".

A matéria agora precisa ser aprovada pelas Comissões da Casa para depois ser levada ao Plenário, para a apreciação dos demais vereadores. O texto ainda não tem data para ser votado.

Obras na rede de esgoto interditam ruas em Santo André neste domingo

Da Redação

As equipes do Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André (Semasa) realizarão obras na rede de esgoto da Rua Coronel Fernando Prestes X Rua Doze de Outubro (Vila Dora), neste domingo (17). Para efetivação dos trabalhos, será necessário interditar totalmente a via, na altura do número 1.177, entre 7h e 17h.

Obras serão realizadas na Rua Coronel Fernando Prestes X Rua Doze de Outubro (Vila Dora) | Foto: divulgação
A interdição afetará veículos que trafegam pela avenida Pereira Barreto, sentido Centro, e que queiram acessar a Rua Fernando Prestes ou a Rua Doze de Outubro. O trânsito de motoristas só será permitido para veículos em emergência, que precisem acessar ao Pronto Socorro do Hospital Brasil. Por isso, o local contará com agentes de trânsito do Departamento de Engenharia de Tráfego (DET) para orientação.

Também serão afetadas as linhas de ônibus municipais B-63 e I-08. A SA Trans fará o desvio dos coletivos por meio da Rua Venezuela e depois com acesso novamente à Rua Fernando Prestes.

Os motoristas que trafegam pela Avenida Pereira Barreto e desejam acessar as Ruas Doze de Outubro, Andradas ou José Benedito de Castro, deverão continuar na via sentido Centro de Santo André e virar à direita na Rua Venezuela. Seguir pela Venezuela até a Rua Porto Alegre e realizar o acesso as demais ruas.


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Direção do Golden Square nega problemas na estrutura do shopping

Por Vivian Silva

Nesta quinta-feira (14), muitas pessoas receberam mensagem no WhatsApp – inclusive na redação do Ponto Final – e Facebook sobre tremores no Golden Square Shopping (Av. Kennedy,700, bairro Jardim do Mar), em São Bernardo do Campo. Na mensagem divulgada “os funcionários estão com medo”, pois há risco de desabamento no local. Porém, a diretoria do shopping nega que há qualquer problema na estrutura.

Shopping passa por obras de revitalização | Foto: reprodução 
A reportagem do Ponto Final entrou em contato com o shopping e recebeu a seguinte informação, por meio de nota: “Informamos que o Golden Square Shopping está passando por obras de revitalização que não apresentam nenhum risco à segurança e bem-estar de clientes e lojistas e que todas as normas de segurança e legislações vigentes estão sendo seguidas”.

O texto destaca ainda que o local foi vistoriado pela Defesa Civil e Secretaria de Obras da Prefeitura de São Bernardo do Campo e que não há qualquer risco à estrutura do equipamento.

Obra
A nota informa que, desde janeiro, há obras de impermeabilização nos estacionamentos, com demolição da platibanda (guarda-corpo/proteção) dos estacionamentos descobertos e manutenção do revestimento da fachada. Outro procedimento em execução é a preparação da estrutura dos pisos L3, G4 e G5 para receber uma possível expansão. Devido as residências próximas, a reforma ocorre das 6h às 20h.


Advogado fala sobre os cuidados na hora de financiar um imóvel

Da Redação

O cenário é muito positivo para o mercado imobiliário em 2019. Preços ainda estáveis, oferta alta, crescimento do volume de crédito oferecido pelos bancos e juros baixos compõem as condições ideais para quem deseja concretizar o sonho da casa própria. Mas antes de “bater o martelo” é necessário tomar alguns cuidados, conforme orienta o advogado Arthur Ongaro, do escritório Corrêa, Ongaro, Sano Advogados Associados.

Antes de comprar um imóvel, é importante avaliar a estrutura, localização e documentação do local | Foto: reprodução 
Itens como avaliação da estrutura, localização, documentação, condições de pagamento e planejamento financeiro devem estar na lista de prioridades a serem analisadas. Ongaro lembra que ao comprar um imóvel utilizando o financiamento imobiliário, os itens mais importantes para serem observados com cautela no contrato de financiamento geralmente estão nas primeiras páginas.

"Essas primeiras páginas do contrato englobam todas as informações pessoais e as condições do financiamento imobiliário, como o nome do comprador ou eventualmente dos compradores, além dos prazos e taxas. Vale verificar, por exemplo, se a taxa de juros que consta no contrato é realmente a que foi contratada", orienta o advogado.

Outro ponto importante que não pode ser negligenciado é a consequência de não pagar as prestações em dia. "Veja também no contrato as penalidades de uma possível inadimplência. Quanto tempo eu tenho até o imóvel ser retomado pelo banco? Qual é o tipo de garantia estipulada no contrato?  Ter conhecimento do que acontece nesses casos e os prazos definidos em um eventual problema de pagamento pode ajudar a pessoa a tomar a melhor decisão e encontrar alternativas para não perder tudo aquilo que investiu", alerta.

Além disso, o especialista orienta para checar o valor do imóvel, se está com preço de mercado ou abaixo do valor. Caso esteja abaixo o valor, é bom questionar o motivo (a família precisa de dinheiro urgente ou o imóvel apresenta algum problema, como por exemplo na parte estrutural ou até mesmo envolvendo a documentação). “Todos esses pontos devem ser analisados previamente e existem profissionais que podem ajudar com essa avaliação", finaliza Ongaro.

Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), os empréstimos com recursos da poupança (SBPE) alcançaram R$ 57,4 bilhões em 2018, alta de 33% na comparação com 2017. E para 2019 a previsão de crescimento é de 20%.





terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Banco de sangue de São Caetano do Sul precisa de doadores Rh negativo

Da Redação

Doar sangue é um gesto simples e que salva muitas vidas. No Núcleo Regional de Hemoterapia Doutor Aguinaldo Quaresma (Rua Peri, 361, Bairro Santa Paula), em São Caetano do Sul, a situação é crítica no estoque de Rh negativos (A-, B-, AB- e O-). Por isso, são solicitadas doações principalmente destes tipos sanguíneos.

Doações podem ser feitas de segunda a sábado, das 8h às 12h, na Rua Peri, 361, em São Caetano do Sul | Foto: divulgação/PMSCS 
Interessados em doar, podem comparecer de segunda a sábado, das 8h às 12h. Vale ressaltar que doações de todos os tipos sanguíneos são bem-vindas.

De acordo com a Associação Beneficente de Coleta de Sangue (Colsan), mantenedora do Núcleo, o ideal para suprir a necessidade é de 40 doações por dia. Para mais informações, o telefone do núcleo é 4227-1083.

Quem pode doar?
Para doar, é preciso ter idade entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg, estar em boas condições de saúde e bem alimentado – evitar refeição gordurosa nas três horas que antecedem a coleta -, e apresentar documento oficial com foto. Menores de 18 anos devem estar acompanhados dos pais ou responsáveis legais e apresentar cópia do documento de identidade dos adultos. Caso estejam desacompanhados, além dos documentos com foto, é preciso apresentar autorização para doação com firma reconhecida em cartório, que pode ser retirada no posto de coleta ou no site colsan.org.br.

Homens podem doar a cada dois meses, até, no máximo, quatro vezes no período de um ano. Mulheres podem doar a cada três meses, até, no máximo, três vezes no período de um ano.

Quem não pode doar?
Segundo o Ministério da Saúde, estão definitivamente impedidas de doar sangue pessoas que tenham passado por quadro de hepatite, após os 11 anos de idade, usuários de drogas ilícitas injetáveis e quem já contraiu malária, hepatites B e C, Aids (vírus  HIV), doença de Chagas ou associadas aos vírus HTLV I e II.

Há restrição temporária para quem está com gripe, resfriado ou febre (sete dias após desaparecer os sintomas), gestantes, mulheres em período pós-parto (90 dias para parto normal e 180 dias para cesárea), mulheres em fase de amamentação (até 12 meses após o parto), pessoas que ingeriram bebidas alcoólicas nas 12 horas que antecedem a doação, pessoas que fizeram tatuagem e/ou piercing nos últimos seis meses (piercing em cavidade oral ou região genital impedem a doação), extração dentária (72 horas), apendicite, hérnia, amigdalectomia e varizes (três meses), transfusão de sangue (um ano), exames/procedimentos endoscópicos (seis meses), vacinação (tempo variável conforme o tipo de imunização recebida) e aqueles que praticaram sexo não seguro ou com vários parceiros.

Organizações pedem exclusão da Vale do Pacto Global da ONU

Da Redação com Reuters 

Organizações globais de meio ambiente e direitos humanos pediram nesta terça-feira (12) que a Vale seja excluída do Pacto Global, da Organização das Nações Unidas (ONU), após o rompimento da barragem em Brumadinho em 25 de janeiro, que deixou mais de 160 mortos.

Vista aérea de Brumadinho, após o rompimento da barragem da Vale | Imagem: divulgação Corpo de Bombeiros/MG
A denúncia aponta que a Vale falhou ao não avaliar adequadamente os riscos, ao deixar de tomar medidas preventivas e de mitigação e ao não adotar medidas que evitassem a repetição de um desastre como o de Mariana, em 2015.

De acordo com as organizações, no rompimento da barragem de rejeitos da Mina Córrego do Feijão identifica-se “séria violação de direitos humanos” e “graves danos ambientais” pela mineradora, o que fere os princípios do Pacto Global, uma rede de responsabilidade corporativa que engloba mais de 9 mil empresas mundiais.

As mais de 15 organizações que assinam o texto também apontaram a Vale como violadora persistente, citando o caso do rompimento da barragem da Samarco, uma joint venture da Vale e da australiana BHP Billiton, em Mariana em 2015.

O coordenador de Desenvolvimento e Direitos Socioambientais da Conectas Direitos Humanos, Caio Borges, afirma que: “O rompimento da barragem de Brumadinho apenas três anos após o desastre de Mariana demonstra que houve uma falha sistêmica das políticas e procedimentos da Vale na prevenção de catástrofes socioambientais”.

De acordo com as organizações, se trata de um “caso sem precedentes de má conduta corporativa” e o pior acidente trabalhista da história do Brasil.

“Essa maneira de conduzir negócios viola os princípios do Pacto Global da ONU e os padrões internacionais de sustentabilidade. A exclusão da Vale do Pacto Global da ONU seria uma sinalização de que haverá consequências para empresas que cometem violações egrégias”, explica Borges.

As entidades pedem, para o caso de a Vale não ser excluída, que o conselho do pacto suspenda a empresa por pelo menos 12 meses e que seja exigido neste período que a mineradora apresente relatórios periódicos sobre o progresso das medidas de remediação e que adote garantias de que não haverá outro desastre semelhante.

O Pacto Global é uma iniciativa de caráter voluntário, em que a empresa se compromete a implementar princípios de sustentabilidade e em consonância com as metas da ONU para ser incluída na lista de empresas participantes.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Prefeitos analisam novo modelo de gestão para o Consórcio Intermunicipal

Da Redação

A formatação de um novo modelo de gestão para o Consórcio Intermunicipal Grande ABC, que garanta menos gastos e mais efetividade para a região, está tomando forma. O prefeito de Santo André e presidente do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, Paulo Serra, se reuniu na manhã desta segunda-feira (11), na Prefeitura de Diadema, com os prefeitos Lauro Michels (Diadema), José Auricchio Júnior (São Caetano) e Gabriel Maranhão (Rio Grande da Serra) para avaliarem o novo conceito.
Prefeito Paulo Serra, de Santo André, presidente da entidade regional, disse que novo
modelo vai garantir menos gastos e mais efetividade para a região | Foto: Thiago Benedetti
Segundo Paulo Serra, nesta terça-feira (12), durante a 105ª Assembleia de Prefeitos, o novo conceito será apresentado aos demais prefeitos. “Uma vez aprovado, faremos agendas junto às Câmaras Municipais, começando pelas cidades que deixaram a entidade. Estou bastante otimista na reunificação e na volta dos sete municípios ao Consórcio, para solucionarmos as principais questões da nossa região, como Mobilidade Urbana, e avançarmos em projetos que tragam o desenvolvimento sustentável do Grande ABC. O trabalho não para”, comemorou Paulo Serra.

Pautas

Além da apresentação oficial do novo Secretário Executivo, o engenheiro civil Edgard Brandão Júnior, nomeado pelo presidente do Consórcio Intermunicipal, a pauta conta ainda com a apresentação do novo modelo de gestão pelo presidente do Consórcio. Os demais itens da pauta são o Orçamento 2019 (receitas x despesas); Recursos Humanos; Estrutura Organizacional; Distribuição de medicamento com a coordenação do Consórcio; A Filiação à Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e à Associação Brasileira de Municípios, além de informes diversos.