quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Planetário de Santo André promove acampadentro para observação do eclipse lunar

Da Redação

Na noite de domingo (20) para segunda-feira (21), o Planetário e Cinedome, localizado na Sabina Escola Parque do Conhecimento de Santo André, vai promover seu primeiro acampadentro e abrir as portas durante toda a noite para os interessados em observar o eclipse lunar total que acontece nesta data. Quem comparecer, além de observar o fenômeno, terá a oportunidade de esclarecer suas dúvidas com os profissionais do Planetário e também utilizar os binóculos e telescópios do espaço para reconhecimento dos outros astros que estarão visíveis na noite do eclipse. O evento de observação noturna tem início às 23h do domingo e termina às 5h da segunda-feira. O ingresso custa R$ 10.

A observação será na área externa da Sabina, onde fica no NOC (Núcleo de Observação do Céu). De acordo com o professor Marcos Calil, coordenador científico do Planetário, trata-se de um eclipse lunar total, que acontece quando a Lua fica completamente imersa na sombra da Terra. O início do eclipse irá ocorrer à 0h36 da madrugada de 21 de janeiro. Neste momento, acontece o eclipse penumbral, que é pouco perceptível para quem mora em cidades com poluição luminosa. Já o eclipse parcial, momento que poderá ser observado a olho nu, mesmo para quem mora na cidade com poluição luminosa, irá ocorrer à 1h33.
Foto: Júlio Bastos

“Às 2h41 começará o eclipse lunar total, tendo o seu auge às 3h13. Esse será o grande momento do evento. Às 3h43 teremos o final da fase total do eclipse, seguido do término do parcial, que irá ocorrer às 4h50 e, para concluir esse grande fenômeno celeste, teremos às 5h48 o final do eclipse lunar penumbral”, explicou Calil.

De acordo com Calil, no início do evento será possível visualizar também aglomerados estelares, nebulosa e diversas constelações como Cruzeiro do Sul, Órion com suas “Três Marias”, entre outras. Durante a madrugada, também será possível aproveitar a oportunidade de observar os planetas Júpiter e Vênus. “O fato de ser mês de férias foi determinante para que a gente decidisse promover este evento inédito de observação noturna na Sabina. Nunca viramos a noite em observações abertas ao público dentro da Escola Parque”, destacou.

O evento contará ainda com diversas atividades como sessão do Planetário, contação de histórias e palestra sobre o fenômeno. Há também um espaço disponível para realização de lanche na Sabina, porém os participantes precisarão trazer seus alimentos e bebidas. Além disso, desde que se responsabilizem pelo objeto, os interessados poderão trazer seu próprio telescópio para observação do céu. Porém, não será possível o auxilio da equipe do Planetário para montagem e alinhamento do mesmo.

As atividades indicadas estão sujeitas às condições meteorológicas, de forma que, em caso de tempo nublado ou chuvoso, será realizada uma atividade na sala de projeção do Planetário.

O eclipse será transmitido ao vivo pelo canal do Youtube do Núcleo de Observação do Céu. O link é https://www.youtube.com/watch?v=nfTj9kfrN4I

Serviço:
Observação noturna do eclipse lunar total e acampadentro no Planetário e Cinedome de Santo André
Data e Horário: das 23h do dia 20/01/19 (domingo) até as 5h do dia 21/01/19 (segunda-feira).
Número de vagas: 240, mediante a ordem da compra do ingresso.
Venda dos ingressos para o evento: Apenas no dia 20/01/19 a partir das 23h, sendo: Inteira - R$ 10 (por visitante); Meia-entrada - R$ 5 (mediante comprovação) para crianças de 6 a 12 anos, estudantes, professores, servidores públicos andreeenses, aposentados e idosos acima de 60 anos; Grátis - Alunos e professores das escolas municipais de Santo André, crianças de 0 a 5 anos e pessoas com deficiência.
Endereço: Sabina Escola Parque do Conhecimento – Rua Juquiá, altura do nº 135 - Vila Eldizia



quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Paulo Serra realiza balanço do mandato, comenta polêmicas e planeja ações

Por Vitor Lima

O prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), recebeu a equipe do Ponto Final para comentar os dois anos de seu mandato. O tucano realizou balanço das ações dessa primeira metade da gestão e projetou as prioridades para os próximos dois anos.

Entre os assuntos abordados, Serra reconheceu que houve equívocos na tentativa de atualização da Planta Genérica de Valores referentes ao IPTU. De acordo com o prefeito, a atualização deverá ser feita de maneira “escalonada”. 

Foto: Giovana Peres
Sobre o recente aumento nas tarifas de ônibus, o prefeito justificou a elevação por conta da alta porcentagem de gratuidades concedidas na cidade. Ele adiantou à reportagem que pretende rediscutir as gratuidades ainda neste ano. De acordo com ele, se após os debates com a sociedade, houver o entendimento de que é possível diminuir as gratuidades, é possível, inclusive, diminuir o valor das tarifas. 

Ao comentar outro momento crítico de sua gestão, a crise do fechamento dos postos de saúde, o prefeito se mostrou confiante e ressaltou que sempre teve a certeza de que os planos da administração, apesar das críticas, dariam certo. 

Serra, que se elegeu presidente do Consórcio Intermunicipal Grande ABC recentemente, também comentou os desafios que lhe esperam à frente da entidade. O prefeito já trabalha nos bastidores para a volta dos municípios insatisfeitos com a atuação do órgão. 

O tucano também adiantou planos para ampliar o monitoramento via câmeras na cidade, planos para zerar as filas das creches, entre outros diversos outros assuntos. Confira: 




Inaugurado Bom Prato Dia e Noite de São Bernardo do Campo

Da Redação

O Governo de São Paulo inaugurou nesta terça-feira (15) em São Bernardo do Campo, o 57º restaurante popular Bom Prato do Estado. O evento contou com a presença do governador João Doria, da secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Célia Parnes, e do prefeito Orlando Morando Jr, além de Evenson Robles Dotto, presidente da CRAMI, entidade gestora do restaurante.

“Estamos realmente felizes em entregar esse Bom Prato, pois ele significa nossa firme decisão em combater a fome e a desnutrição no Estado. Podemos dizer que se trata de uma franquia bem azeitada de um restaurante popular, com alta qualidade nas refeições e severa fiscalização nos produtos e serviços prestados ao público. Por isso tem dado certo e é um sucesso há 18 anos”, reflete Célia Parnes.
Foto: Secretaria de Comunicação/PMSBC

A nova unidade teve um investimento total de R$ 4.275.992,02, sendo R$ 2.282.842 do Governo do Estado (R$ 1.000.000 para reforma do prédio, instalações físicas e equipamentos, e R$ 1.282.842 para custeio de refeições dos primeiros 200 dias de funcionamento do restaurante) e R$ 1.993.150,02 da Prefeitura de São Bernardo do Campo (R$ 1.679.650,02 em obras e R$ 313.500 em custeio das refeições).

Inicialmente, além de cota diária de 300 cafés da manhã e 1,5 mil almoços, o Bom Prato Dia e Noite de São Bernardo servirá 300 refeições noturnas, podendo chegar a 800. É a segunda unidade da rede a oferecer jantar. A primeira foi a de Campos Elíseos, na capital, que serve, desde 2014, 800 jantares.

Localizado ao lado do Poupatempo (Rua Nicolau Filizola, 100, Jardim das Américas), a unidade funcionará de segunda a sexta-feira, das 7h às 9h, no café da manhã; a partir das 11h até o término da cota diária durante o almoço; e das 17h30 às 18h30, no jantar. Serão 2,1 mil refeições diárias, por R$ 1 almoço e jantar; e R$ 0,50 o café. Crianças até seis anos não pagam.

O cardápio servido no dia da inauguração conta com salada de alface mista, frango xadrez, macarrão primavera, pêssego de sobremesa e suco de frutas vermelhas, no almoço; e arroz, feijão, carne moída colorida, polenta cremosa, salada de acelga com tomate, maçã, de sobremesa e suco de uva, no jantar.



terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Ministério Público desmente CBN sobre “mensalinho” em Santo André

Por Vitor Lima

Conforme publicamos, a rádio CBN veiculou reportagem na manhã de hoje (15) que traz a informação de que o Ministério Público (MP) de São Paulo apura possível “mensalinho” na gestão de Carlos Grana (PT) à frente da Prefeitura de Santo André, entre 2013 e 2016. Em tese, o esquema envolveria membros do primeiro escalão do governo, vereadores, empresas com contratos firmados com a Prefeitura e até jornalistas.

Entretanto, ao tentar contatar o MP para verificar a informação, veículos da imprensa regional se deparam com outra versão. O jornalista Marcelo Uivinha, do Canal RN, obteve como resposta da assessoria de imprensa do MP que o  Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – (GAECO) "ainda não possui investigação instaurada sobre os fatos, no entanto tomaremos as medidas cabíveis quanto à analise de tais questões". Situação idêntica ocorreu na apuração da emissora TV+.

Embora o MP não descarte averiguar o caso, não está em curso nenhuma ação sobre o caso. Ao que tudo indica, portanto, trate-se de uma “barrigada” (termo jornalístico usado para a publicação de notícias inverídicas) da emissora de rádio.

O Ponto Final continua atento ao desenrolar dos fatos.


Aumenta o alerta para febre amarela no verão

Da Redação

Antes mesmo do verão chegar, as autoridades de saúde do Brasil têm alertado a população para o risco de surto de febre amarela durante a estação favorita dos brasileiros. O aumento da temperatura favorece a reprodução dos mosquitos transmissores e, por consequência, o potencial de circulação do vírus. De acordo com números divulgados pelo Ministério da Saúde, de 1º de janeiro a 8 de novembro de 2018, foram registrados 1.311 casos e 450 mortes, quase o dobro do identificado no mesmo período do ano anterior, 736 casos e 230 mortes.

“Há uma possibilidade de um alto índice de casos de febre amarela no Brasil durante o verão. Esta previsão se dá pelo cenário de baixa cobertura vacinal, principalmente nas regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo. O maior número de casos humanos foi entre dezembro de 2017 e fevereiro 2018, no entanto, a detecção em primatas tem se mantido ao longo de todo o ano”, conta o infectologista do Hospital Anchieta, Dr. Manuel Palácios.

A doença

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda transmitida por vetores artrópodes – insetos que se alimentam de sangue e são capazes de transmitir agentes infecciosos entre seres humanos ou animais - e causada por um vírus do gênero Flavivirus, família Flaviviridae.

“Atualmente, a febre amarela silvestre (FA) é uma doença endêmica no Brasil (i.e., região amazônica). Na região extra-amazônica, períodos epidêmicos são registrados ocasionalmente, caracterizando a reemergência do vírus no País. O vírus é mantido na natureza por transmissão entre primatas não humanos (PNH) e mosquitos silvestres arbóreos, principalmente dos gêneros Haemagogus e Sabethes (no Brasil). Sendo a febre amarela silvestre uma zoonose, sua transmissão não é passível de eliminação, necessitando de vigilância e manutenção das ações de controle (especialmente por meio de cobertura vacinal adequada. Uma pessoa com febre amarela silvestre pode, porém, ser fonte para um surto da chamada febre amarela urbana, transmitida principalmente pelo Aedes aegypti, um mosquito que vive nas cidades”, alerta o especialista.

Sintomas

De acordo com o Dr. Manuel Palácios, as manifestações clínicas da febre amarela podem variar desde infecções assintomáticas até a quadros graves e fatais, sendo importante destacar que a expressão da doença independe do contexto de transmissão, se urbana ou silvestre. Estima-se que quadros assintomáticos ocorram em aproximadamente metade dos casos infectados.

“O quadro clínico clássico caracteriza-se pelo surgimento súbito de febre alta, geralmente contínua; dor de cabeça intensa e duradoura; falta de apetite; náuseas e dores musculares. Nas formas leves e moderadas os sintomas duram cerca de dois a quatro dias e são aliviados com o uso de sintomáticos, antitérmicos e analgésicos, e ocorrem em cerca de 20% a 30% dos casos. As formas graves e malignas acometem entre 15% a 60% das pessoas com sintomas que são notificadas durante epidemias, com evolução para óbito entre 20% e 50% dos casos. Na forma grave, a dores de cabeça e musculares ocorrem em maior intensidade, acompanhadas de náuseas e vômitos frequentes, coloração amarelada da pele (icterícia) e diminuição do fluxo urinário ou manifestações hemorrágicas, como sangramento nasal, vômitos com sangue e sangramento ginecológico atípico”, explica o infectologista.

Medidas Preventivas

- Evitar viagens para áreas de risco ou em surto (especialmente áreas de floresta na Amazônia Legal).
- Vacinação preventiva com vacina fornecida pelo Ministério da Saúde (MS). Segundo recomendações da Organização Mundial de Saúde, aceitas pelo MS, uma dose plena da vacina confere proteção duradoura não precisando de novas aplicações. (nota: aplicações de dose fracionada, só tem indicação para surtos e não conferem proteção duradoura).
- Uso de telas de proteção e repelente nas potenciais áreas de risco.
- Evitar manipular ou manusear animais mortos encontrados em áreas de floresta ou peri-urbana. Sempre notificar imediatamente a equipe de Zoonoses.



Chacina de Unaí completa 15 anos; impunidade marca o caso

Da Redação

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho - SINAIT realiza ato em frente ao Tribunal Regional Federal - TRF da 1ª Região, em Brasília, de 9 às 12 horas de 28 de janeiro – segunda-feira, para marcar os 15 anos da Chacina de Unaí.

Será um ato de protesto contra a decisão do Tribunal que determinou um novo julgamento para Antério Mânica, um dos mandantes do crime. O Sindicato também vai cobrar a prisão imediata dos demais mandantes e intermediários, com condenação em segunda instância: Norberto Mânica, Hugo Alves Pimenta e José Alberto de Castro.

O dia 28 de janeiro marca o início da Semana Nacional de Combate ao Trabalho Escravo e o Dia Nacional do Auditor-Fiscal do Trabalho, ambos instituídos por lei, em homenagem às vítimas da Chacina de Unaí.

Relembre o caso

Em 28 de janeiro de 2004, os Auditores-Fiscais do Trabalho Eratóstenes de Almeida Gonsalves, João Batista Soares Lage e Nelson José da Silva e o motorista Ailton Pereira de Oliveira, foram brutalmente assassinados durante uma fiscalização rural em fazendas no interior de Minas Gerais, onde havia indícios de prática de trabalho escravo.

Os executores do crime foram condenados em 2013, em julgamento realizado em Belo Horizonte (MG) e estão cumprindo suas penas em regime fechado. Mandantes e intermediários foram julgados e condenados em 2015, mas todos permanecem em liberdade.

No dia 19 de novembro de 2018, a 4ª Turma do TRF da 1ª Região, em Brasília, julgou recursos dos mandantes e dois dos três desembargadores decidiram que deve ser realizado um novo julgamento, por júri popular, do fazendeiro Antério Mânica, que havia sido condenado a 100 anos de prisão. A defesa alegou insuficiência de provas.

No mesmo julgamento, foi apresentado um fato novo, o irmão de Antério, Norberto Mânica, apresentou uma confissão registrada em cartório em que assume ter sido o mandante do crime em relação ao Auditor-Fiscal Nelson. Para o SINAIT, essa foi uma estratégia montada pela defesa para livrar Antério Mânica das acusações de mando dos assassinatos.

Em relação a Norberto Mânica, Hugo Alves Pimenta e José Alberto de Castro, os desembargadores decidiram pela redução das penas.

Durante o Ato Público em Brasília, o SINAIT cobrará a prisão imediata de Norberto, Hugo e José Alberto e protestará contra a decisão de novo julgamento para Antério, cujas provas são robustas. Passados 15 anos, dificilmente serão encontradas novas provas.


Bolsonaro assina decreto que flexibiliza posse de armas

Da Redação com ABr

O presidente Jair Bolsonaro assinou hoje (15), durante cerimônia no Palácio do Planalto, o decreto que regulamenta o registro, posse e a comercialização de armas de fogo no País, uma das principais promessas de campanha do presidente da República.

Assinatura ocorreu nesta terça-feira (15) | Foto: Alan Santos/ABr
“Como o povo soberanamente decidiu, para lhes resguardar o legítimo direito à defesa, vou agora, como presidente, usar esta arma”, afirmou Bolsonaro.

O decreto refere-se exclusivamente à posse de armas. O porte de arma de fogo, ou seja, o direito de andar com a arma na rua ou no carro não foi incluído no texto.

A assinatura do decreto ocorreu logo depois da reunião ministerial coordenada por Bolsonaro todas as terças-feiras, às 9h, no Planalto, desde que assumiu o poder em 1º de janeiro.