terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Moinho São Jorge vai a leilão

No sítio de internet da instituição leiloeira, Sato Leilões, está anunciado o leilão da propriedade na qual se localiza o Moinho São Jorge, tradicional empresa localizada em Santo André.

A publicação dá o descritivo do imóvel e o valor mínimo para arremate: pouco mais de R$ 78 milhões. Se não for arremato num primeiro leilão pelo que informa a publicação, numa segunda rodada o preço cairá para próximo de R$ 47 milhões.

A reportagem do Ponto Final procurou a empresa, para comentar o motivo do encerramento das atividades e da venda do imóvel, mas até o momento não tivemos retorno. 

Abaixo publicamos texto de Motta Araujo publicado no Blog GGN em 21 de junho de 2014 com história do Moinho São Jorge e de seus proprietários.
O leilão será realizado 23 de março



Os irmãos Chammas eram comerciantes de trigo por atacado, nos anos 40 todo o trigo era importado e escasso, os campos europeus ainda não tinham se recuperado da guerra, a Argentina vendia o que podia para a Europa, o trigo aqui era importado pelo Governo Federal e distribuido em cotas aos moinhos, quem operava o esquema era o Banco do Brasil, aliaso BB operava muita coisa na area de comercio exterior, através da Carteira de Importação e Exportação, a celebre CEXIM, depois substituida pela CACEX, havia todo um grande sistema de controle, cotas e licenças que valiam ouro, moeda estrangeira era escassa e controlada pelo Banco, obviamente que os proximos ao Governo se davam melhor mas no geral o sistema era bem organizado e funcionava para a época.

O São Jorge tinha enormes silos, os maiores do Pais e estocava o trigo do Banco do Brasil, diziam que esse estoque tinha muitos segredo dos mais variados tipos. Em 1949 no meio de um mercado mundial de escassez de trigo, o Brasil estava ainda em lua de mel com os EUA por causa da colaboração como aliado de guerra, foi celebrado o ACORDO DO TRIGO com os EUA, pelo qual o Governo americano venderia trigo para as necessidades do Brasil, tirado de seu imenso estoque regulador e receberia o valor em cruzeiros, que ficariam depositados na conta do Governo americano no Banco do Brasil. Esse saldo constituiria o Fundo do Trigo e seria usado para financiar projetos do Plano Salte, um conjunto de projetos preparados pela Comissão Mista Brasil EUA, conhecida como Missão Abbink, nome de seu chefe. Parte desse saldo foi o primeiro capital do BNDE e usinas eletricas, fabricas e infraestrutura foram financiados com o dinheiro do Fundo do Trigo.

O irmãos Chammas ganharam muito dinheiro com trigo importado a baixo preço, havia um enorme mercado negro de farinha de trigo, porque era tabelada mas não existia, negociava-se muito com preço por fora. No livro de F.Rodrigues Alves "Um Homem Ameaça o Brasil" de 1954, um libelo contra Adhemar de Barros se contam muitas passagens sobre o caso do trigo, no livro do General Anapio Gomes, então presidente do Banco do Brasil no Governo Vargas, na mesma época, há também narrativas sobre o negócio da farinha e do trigo importado.


O moinho São Jorge era impressionante pelo tamanho e como exclusividade, no seu topo foi construído um enorme e luxuoso salão de baile conhecido como "Palácio de Mármore", onde por décadas se realizaram bailes de formatura, jantares de comemoração, convenções políticas, festas de casamento e bodas, o salão marcou época, era muito bonito e não havia nenhum outro daquele tamanho na região (acho que nem em São Paulo).

Antonio Adib Chammas foi eleito Deputado Federal, os irmãos tinham ótimas relações políticas e financiavam muitos candidatos, tinham força e prestigio, lembremo-nos que o Deputado Ulysses Guimarães morreu em um helicóptero dos Chammas, sempre tiveram aviões e meios de transporte que políticos gostam e os emprestavam com prazer.

Os tempos mudaram, o modelo de industrialização mudou, os grandes moinhos da época de ouro, o São Jorge, o Matarazzo, o Fluminense, conhecido como Moinho Inglez, ficaram ultrapassados, a sucessão no São Jorge foi para o filho Jorge, conhecido como Gito Chammas, que herdou a facilidade de trato do pai e tio, amigo de políticos.

O São Jorge era uma instituição no ABC, mandava na região até a chegada da indústria automobilística, foi palco de muitas histórias folclóricas e saborosas, os Chammas eram ligados ao Governador Adhemar de Barros, muito simpáticos, prestativos, de pouca instrução mas enorme sabedoria e esperteza, nos bons tempos do ABC industrial.


Nenhum comentário:

Postar um comentário